“Vítimas de fraude no mercado financeiro são investidores gananciosos atraídos por trambiqueiros que sabem explorar o gatilho mental da ganância”

Marcelo de Montalvão

 

Nesse artigo vamos falar de alguns dos golpes mais comuns no mercado financeiro do Brasil e porque trambiqueiros atraem vítimas e conseguem fazer fortunas com o Esquema Ponzi (imagem destacada), também conhecido como pirâmide financeira ou falso “marketing multinível”.

 

Fraudadores não descansam e estão sempre à procura de investidores inexperientes que não têm tempo de estudar melhor o assunto ou pesquisar sobre a pessoa, organização, ativo financeiro ou modalidade de investimento.

 

Um alerta a Traders e investidores que sabem fazer dinheiro com o trabalho e empreendedorismo, mas, confiam em promessas que jamais serão cumpridas.

 

 

Tecnicamente, os crimes descritos na lei são chamados “tipos penais”. Os principais esquemas fraudulentos praticados contra Traders, investidores e o mercado financeiro são os crimes descritos na lei como

 

Estelionato
Fraudes e abusos na fundação ou administração de sociedade por ações
Crime contra a economia popular
Crimes contra o sistema financeiro nacional

Os esquemas fraudulentos mais comuns, os golpes no mercado financeiros que têm “pegado” muitos Traders e investidores desavisados são:

 

1- Esquema Ponzi ou Pirâmide Financeira ou Falso Marketing Multinível

2- Esquema Boiler Room ou Falsa Corretora de Valores Mobiliários

3- Esquema Chupa-cabra ou Clonagem de Cartão de Crédito

4- Corretoras de Bitcoin Fraudulentas

5- Mercado de Câmbio ou Mercado Forex (Foreign Exchange) Simulados

6- Empreendimentos Imobiliários Falsos ou Fundos de Investimento Imobiliário Irregulares

 

Você também vai aprender aqui

 

Como evitar fraudes online?

 

Como fazer uma denúncia no Ministério Público Federal (MPF)?

 

Como fazer uma denúncia na Comissão de Valores Mobiliários (CVM)?

 

Como fazer uma denúncia na Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL)?

 

Fique conosco e saiba como evitar cair em um desses golpes e o que você pode fazer para denunciá-los.

 

 

1- Esquema Ponzi ou Pirâmide Financeira ou Falso Marketing Multinível

 

“Eu disse apenas o suficiente para aguçar a ganância e a curiosidade das pessoas”

Charles Ponzi

 

Esquema Ponzi ou Pirâmide Financeira é também conhecido pelas autoridades do mercado financeiro como falso Marketing Multinível, ou ainda, falso Marketing de Rede.

 

São chamadas “pirâmides financeiras” pela sua estrutura piramidal em que os novos integrantes do sistema de pagamentos é uma maioria que sustenta os integrantes mais antigos.

 

Quando cessam as contribuições, a pirâmide desmorona.

 

Falso marketing multinível (MMN) ou de rede porque, sem um produto, serviço ou instrumento financeiro que justifique as contribuições e sua rentabilidade, então o produto é o próprio participante.

 

Sistema parecido com o do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e seu “pacto intergeracional“. Mas, isso é assunto para outro artigo.

 

O Esquema é chamado “Ponzi” porque o primeiro caso oficial, relatado pelas autoridades financeiras dos Estados Unidos da América, teve como fundador Charles Ponzi e sua empresa “Securities Exchange Company” (!), na cidade de Boston (MA), em 1920.

 

Charles Ponzi pagava fantásticos rendimentos aos seus investidores com o dinheiro de novos investidores, em uma pirâmide financeira.

 

Ponzi era charmoso e prometia aquilo que todos queriam ouvir. Ele fundamentava o sucesso dos investimentos em cupons de resposta postal internacional, que nada mais eram que Certificados, que poderiam ser trocados nos Correios por selos, usados o envio de cartas com retorno em resposta do destinatário de outro país.

 

Com o Mercado de Câmbio volátil após a 1ª Guerra Mundial, Charles Ponzi alertava seus clientes que “poderiam ser realizados enormes lucros quando Certificados comprados com liras italianas fossem resgatados nos EUA”.

 

A promessa era de lucro de “100% em 3 meses”.

 

Como muitos dos clientes eram ítalo-italianos e no início Ponzi pagava altas remunerações, as expressões “liras italianas” e “enormes lucros” soavam como música nos ouvidos das vítimas.

 

Quando o jornal Boston Post revelou em excelente trabalho de jornalismo investigativo que Charles Ponzi havia sido condenado pela Justiça por falsificar cheques (“Prenda-me se for capaz”?), e que os Correios não confirmaram a aquisição de tantos Certificados, os cupons de resposta postal internacional, o fluxo de novos investimentos foi abruptamente interrompido.

 

A pirâmide financeira criada por Ponzi desmoronou.

 

Charles Ponzi teria aplicado um golpe de ao menos US$ 10 milhões, o equivalente a US$ 100 milhões nos dias atuais. Ponzi não foi o primeiro nem o último estelionatário a aplicar um antigo golpe conhecido nos EUA como “tirar de Pedro para pagar Paulo”, mas, o tamanho do rombo deu a essa fraude um novo nome.

 

Segundo o biógrafo Mitchell Zuckoff, o Esquema Ponzi foi “o primeiro estrondo da década de 1920”, marcada pela mania de lucro fácil e apostas no mercado de ações que desembocariam no “crash” da Bolsa de Nova Iorque em 1929.

 

Ponzi foi preso em 1934 e deportado para a Itália. Em 1941, desembarcou no Brasil, como funcionário da antiga companhia de aviação italiana Ala Littoria S/A. Não durou muito tempo na empresa e foi viver bairro do Engenho Novo, subúrbio do Rio de Janeiro. Nunca mais deu certo nos negócios.

 

Morreu doente e cego e longe de sua esposa Rose que havia ficada nos Estados Unidos e com quem ainda trocava cartas escritas por um vizinho chamado Antônio. Foi Antônio que avisou Rose que seu marido havia morrido de infarto no Hospital São Francisco dia 18 de janeiro de 1949.

 

O crime compensa? Charles Ponzi morreu pobre, doente e cego no Brasil aos 66 anos de idade.

Fonte: “Ponzi’s Scheme: True Story of a Financial Legend” de Mitchell Zuckoff.

 

 

“Comecei meu negócio com literalmente US$ 500. Em 1987, eu era um cara rico”.

Bernard Madoff

 

Quase 100 anos depois, quem rivalizou com a mesma fama do mago das finanças de Boston foi Bernard Madoff, presidente da Madoff Investment Securities LLC e um dos fundadores da Bolsa de Valores NASDAQ, com ênfase em empresas de tecnologia.

 

Em 2008, “Bernie” Madoff praticou um Esquema Ponzi que teria causado um rombo de mais de US$ 65 BILHÕES, prejudicando clientes de várias instituições financeiras como Fairfield Greenwich Advisors, Tremont Capital Management, Banco Santander, Bank Medici, Ascot Partners, Access International Advisors, Fortis, Union Bancaire Privée, HSBC e muitos outros.

 

O Esquema Ponzi de Bernard Madoff foi considerado a maior a principal fraude no mercado financeiro de todos os tempos, segundo o The Wall Street Journal.

 

O crime não compensa: Bernard Madoff cumpre pena de 150 anos em uma prisão federal de Butner, Carolina do Norte (EUA).

 

 

Alguns participantes do Esquema Ponzi sabem que integram uma pirâmide financeira e não estão nem aí, desde que “saiam antes da pirâmide desmoronar”.

 

O problema é que cada participante atrai novos, sejam amigos ou parentes sejam “clientes”, mediante todo tipo de conversa e força de vendas, seja pela Internet seja por telefone ou venda direta porta-a-porta ou “eventos”.

 

Outro problema do Esquema Ponzi é que ninguém sabe exatamente quando a pirâmide financeira vai desmoronar, nem mesmo seus controladores, pois depende do fim dos investimentos dos novos participantes, geralmente ativada por uma denúncia, ou da ganância e disposição dos controladores em fugir com o dinheiro de todos.

 

A maior pirâmide financeira registrada no Brasil foi a do Caso InDeal, que teria lesado aproximadamente R$ 1 BILHÃO sob pretexto de investimento em Bitcoin. Na Operação Fractais (2021), um desdobramento e 3ª etapa da Operação Egypto (2019), a polícia federal investigou supostos “laranjas” que teriam praticado lavagem de dinheiro e sequestrou 170 imóveis avaliados em aproximadamente R$ 80 milhões (Fonte: Agência Brasil).

 

 

Ganância, o “Gatilho Mental” do Fraudador

 

A característica mais marcante dos “piramideiros” é a oferta de vantagens excessivas, quase milagrosas. São promessas de “riquezas”, “lucro fácil e rápido”, rendimentos de “20% ao mês ou mais” e gordas comissões pela simples indicação de novos participantes (!?). Algumas premiações incluem viagens e iPhones.

 

São promessas que escapam do princípio da razoabilidade, ou seja, são muito boas para serem verdade. E adivinhem a característica mais marcante das vítimas desse tipo de fraude? Acertou quem pensou na “ganância”.

 

As vítimas geralmente sabem dos riscos e até aceitam se arriscar, na esperança de receber o prêmio.

 

É quase um jogo, uma jogatina disfarçada de “investimento”. As vítimas das pirâmides financeiras e falsos Brokers são como “apostadores” em um cassino, felizes quando ganham e revoltados quando não ganham. E só se queixam depois que perdem…

 

As promessas mirabolantes são reforçadas pela opinião de um familiar ou amigo da vítima que ou já caiu no golpe e ainda não sabe ou é mais um trambiqueiro de consciência tranquila porque “tá tudo mundo fazendo”. E porque esse familiar ou amigo também foi vítima de sua própria ganância e precisa atrair novos integrantes para o esquema de pirâmide para receber a sua remuneração.

 

E aí entra também o efeito manada. Vendo que “todos estão lucrando”, outras pessoas também querem “lucrar”.

 

Voluntária ou involuntariamente, ou seja, dolosa ou culposamente, uma vítima/participante do esquema fraudulento seguirá um “script” de venda direta para ofertar no mercado um produto ou serviço ou instrumento financeiro que não existe, um pretexto inventado pelos organizadores do “evento”, os verdadeiros autores ou co-autores dos crimes financeiros.

 

Nesses casos de ganância e ambição no mercado financeiro, a linha que separa o trambiqueiro do ganancioso ingênuo é muito tênue. Ninguém é 100% honesto em um esquema de pirâmide financeira ou falso marketing multinível.

 

E não existe juiz, advogado, promotor, psicólogo ou psiquiatra que possam afirmar, com certeza, quem é vítima e quem é bandido. Na verdade, todas as vítimas contribuíram para o sucesso do esquema e só se queixaram após o desmoronamento do esquema ou o fim dos “lucros” astronômicos.

 

Assim como em uma franquia, em que o franqueador encontra franqueados que trabalharão para o negócio sem exigir direitos trabalhistas e ainda pagarão por isso – em troca de parte dos lucros, claro -, o fundador da pirâmide financeira fará das vítimas revendedores leais de suas promessas mirabolantes justamente porque, no início, acreditaram nas promessas ou até mesmo receberam algum adiantamento.

 

Como disse, ninguém em uma pirâmide é 100% inocente.

 

 

Organograma e sistema de uma pirâmide financeira clássica.

 

 

Como Detectar uma Pirâmide Financeira

 

Um dos alertas que a Montax Inteligência faz aos clientes é “atenção para retornos muito acima daqueles praticados pelo mercado”.

 

Não importa o fundamento ou “ativo” objeto do “investimento”, se Certificados dos Correios, cupons de resposta postal internacional, ouro, boi, avestruz, selos, leite, quotas de imóveis, Bitcoin, câmbio, opções binárias: Se a promessa é de retorno financeiro (lucro) de mais de 20% (vinte por cento) ao ano, desconfie!

 

O Esquema Ponzi é de longe o principal esquema fraudulento do mundo de todos os tempos porque se disfarça de todo tipo de pessoa, organização, ativo financeiro ou modalidade de investimento.

 

 

2- Esquema Boiler Room ou Falsa Corretora de Valores Mobiliários

 

Boiler room” é uma expressão sem tradução no Brasil. Pode ser traduzido literalmente como “sala da caldeira”, provavelmente em alusão ao local onde os clientes “frios” são “esquentados”, ou seja, onde potenciais clientes (“leads”) são convertidos clientes efetivos, compradores.

 

A expressão também pode ser traduzida como “inferninho”, em alusão ao local de trabalho. Salas com muitas, muitas pessoas trabalhando de forma frenética.

 

Boiler rooms são call centers onde Corretores de ações poliglotas e picaretas telefonam para Traders inexperientes e investidores incautos vendendo ações e outros ativos que não existem.

 

Como eles conseguem fazer isso? De novo, com o gatilho mental da ganância além de outras técnicas de persuasão como o desafio (“está com medo?”), escassez, urgência e o efeito manada (“vai perder essa oportunidade?”).

 

É um esquema de fraude de investimento que depende de técnicas de engenharia social, do logro e engano para manipular investidores. Atualmente, basta um site de visual moderno para atrair as vítimas.

 

Segundo a Europol, uma investigação revelou que uma organização criminosa havia lucrado aproximadamente 3 bilhões de euros com esse esquema.

 

As vítimas são atraídas por sites bonitos e ofertas de “crédito para uso da plataforma e investimentos” apoiados por anúncios no Google, Facebook e Instagram.

 

Segundo a União Europeia, “os fraudadores ligam para suas vítimas e as pressionam a investir em ações inexistentes ou de valor muito baixo. Os criminosos costumam usar documentos e certificados falsos para apresentar sua empresa e ações como legítimas“.

 

Geralmente vendem ativos financeiros que não existem e somem com sua grana, mas, às vezes vendem ativos por preços muito superior aos praticados no mercado. Ou simplesmente vendem ativos financeiros ruins ou muito arriscados como se fosse uma “pechincha” ou “oportunidade imperdível” para investidores não qualificados ou pouco sofisticados. Perda certa.

 

São lobos ao telefone tentando arrancar dinheiro de qualquer um que se cadastrou em seu site na Internet, revelando ter potencial para ser um “investidor”.

 

A boiler room e seus Analistas (“Brokers”) podem funcionar de qualquer lugar do mundo, e sua empresa e contas bancárias costumam ser offshores em Paraísos Fiscais e seu Domínio de Internet em provedor de país secreto.

 

“Analistas de investimentos” enviam mensagens via WhatsApp ou Telegram ou ligam de telefones VoIP, tudo para não serem rastreados.

 

Eles convencem as vítimas a investir “no exterior”, mas, pedem para realizar depósitos em empresas de meios de pagamento eletrônico do Brasil (?!), geralmente usadas para a lavagem de dinheiro. Os R$ (reais) arrecadados são convertidos em Bitcoin e outros criptoativos, e depois depositados nas carteiras virtuais (“Wallets”) dos líderes da organização criminosa.

 

Os Analistas nacionais ficam com uma parte, é claro.

 

Nesse tipo de esquema são praticados muitos, muitos crimes, desde falsidade ideológica passando por estelionato, crime contra a economia popular, crimes contra o sistema financeiro nacional e organização criminosa (outrora chamado de quadrilha ou bando).

 

A “cereja do bolo” são os crimes de sonegação fiscal e crimes de “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores, presentes em praticamente todos os crimes financeiros, quer porque o fraudador não declara nem recolhe impostos dessa atividade econômica, quer porque utiliza de contas bancárias de interpostas pessoas (“laranjas”) para escapar das agências de Inteligência Financeira.

 

 

Clique na imagem e assista ao trailer do filme Boiler Room (2000), menos famoso que o concorrente “O Lobo de Wall Street”.

 

 

Saiba mais sobre pirâmides financeiras, boiler rooms e lavagem de dinheiro nos artigos

 

Vlom é Confiável? Montax Desvenda Esquema Transnacional de Fraudes Online Contra Traders e Investidores do Mercado Forex, Opções Binárias e Criptomoedas, uma “Boiler Room”, e Seu Sistema de Lavagem de Dinheiro e Evasão de Divisas no Chamado “Triângulo da Monetização”

 

Muito Além de “O Lobo de Wall Street”: Pirâmides Financeiras Agora São Globais e Oferecem Bitcoin, Mercado Forex e Opções Binárias

 

História da Guerra à Lavagem de Dinheiro no Brasil – E o Grande Reformador das Políticas de Estado Nesse Sentido, o Ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos.

 

 

3- Esquema Chupa-cabra ou Clonagem de Cartão de Crédito

 

O chupa-cabra é aquele ser sobrenatural da lenda rural a quem algumas comunidades da América Latina atribuem a culpa pela morte de cabras, galinhas e outros animais. Fazendeiros perdiam parte da criação animal, que estranhamente não era mordida, mas, tinha seu sangue “chupado”.

 

Sangue é vida, e o “esquema chupa-cabra” nada mais é o roubo de dados e informações de cartões de crédito de terceiros para serem usados em compras fraudulentas.

 

Ele chupa os dados de seu cartão e “esvazia” seu crédito.

 

Antigamente, os fraudadores instalavam pequenos dispositivos magnéticos próximo dos caixas eletrônicos de bancos para extrair dados dos cartões das vítimas (“skimming”).

 

Ou simplesmente um comerciante desonesto fotografava a frente e o verso do seu cartão em um momento de descuido, acessando nome, número, validade e código de segurança (que somente no American Express não fica no verso), para realizar compras online.

 

Atualmente, Hackers criam sites de vendas online falsos com ofertas tentadoras – de novo, a ganância – apenas para coletar os dados dos cartões de crédito das vítimas!

 

A boa notícia é que algumas operadoras de cartões de crédito como MASTERCARD e VISA devolvem o dinheiro roubado se a vítima da fraude solicitar um Chargeback (estorno).

 

Para isso, o titular do cartão deve documentar todas as etapas de uma transação fraudulenta – até mesmo compras que ele próprio fez em sites piratas -, e realizar um Chargeback junto ao banco emissor do cartão-de-crédito, que entrará em contato com a administradora do cartão de crédito (bandeira) para o cancelamento do negócio e a devolução do dinheiro.

 

Mais detalhes nos documentos Chargeback Guide – Mastercard e Dispute Resolution Visa.

 

Segurança da informação (Cybersecurity): O roubo de dados e informações para a fraude mediante a clonagem cartões de crédito é chamado nos Estados Unidos e Europa de skimming

 

 

4- Corretoras de Bitcoin Fraudulentas

 

Os fraudadores agem do mesmo modo que em uma Boiler Room, atraindo-o com sites bonitos, vendendo aquilo que não possuem por telefones VoIP e prontos para “sumir” depois de tirar todo seu dinheiro.

 

Com a diferença que o ativo financeiro “Bitcoin” está na moda e a procura por ele é tão grande que os fraudadores nem precisam te telefonar: Um site bonito captura seus dados e envia um meio de pagamento eletrônico e a vítima pensa estar investindo em Bitcoin.

 

A Corretora de Bitcoin pode ser considerada fraudulenta apenas porque tem cláusulas contratuais abusivas e cobra taxas de serviços extorsivas.

 

Porém, os fraudadores podem simplesmente clonar um site de uma Corretora de Bitcoin séria (“phishing”) para capturar seus dados de cartão de crédito (“skimming”) ou receber pagamentos indevidos.

 

São sites falsos de Corretoras honestas que atraem suas vítimas com ofertas de “Bitcoin grátis”!… A ganância não para de prejudicar investidores…

 

 

5- Mercado de Câmbio ou Mercado Forex (Foreign Exchange) Simulados

 

Algumas plataformas de negociação do Mercado de Câmbio ou Mercado Forex (Foreign Exchange), ou de Opções Binárias e Outros Derivativos são falsas!

 

Esses instrumentos financeiros existem, são sofisticados e arriscados, mas, são irregulares no Brasil.

 

E são criminosos quando oferecem softwares ou plataformas de negociação falsas desses contratos. Esses softwares piratas não realizam negócios senão uma simulação do negócio, de modo que seu dinheiro está em realidade em uma conta bancária. A vítima pensa que opera, mas, não opera nada e o resultado da simulação é primeiramente te dar lucro para convencê-lo a realizar mais depósitos e, depois, você “perde tudo”.

 

É como um home broker, uma plataforma de negociação de ações de companhias da Bolsa de Valores, só que exclusiva para o Mercado Forex não autorizasdo no Brasil pela CVM, e ainda por cima falsas.

 

Mercado de Câmbio ou Mercado Forex (Foreign Exchange) são contratos de negócios que têm como objeto a variação cambial entre duas moedas, logo, configuram investimentos sofisticados de renda variável e podem resultar tanto em ganhos como em perdas. Eles são irregulares no Brasil.

 

Esses instrumentos financeiros têm características de derivativos e são ofertados ao público geralmente por meio da Internet. É proibida a oferta de derivativos no Brasil por instituição financeira (IF) estrangeira não regulamentada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ou por intermédio de empresa nacional não cadastrada na CVM.

 

É crime de estelionato ou crime contra a economia popular, ou ainda, crimes contra o sistema financeiro nacional.

 

A oferta irregular por falso Analista de Valores Mobiliários ou Consultor de Valores Mobiliários ou Prestador de Serviço de Administração de Carteiras também pode configurar a contravenção penal de exercício ilegal da profissão (artigo 47 da Lei de Contravenções Penais).

 

A simples oferta desses instrumentos financeiros para Traders e investidores inexperientes é uma fraude. Porque as perdas são quase certas e apesar disso os donos das plataformas (softwares) de negociação não estão preocupados com isso. Eles lucram com cada negociação.

 

Comprou uma casa de R$ 1 milhão por R$ 3 milhões? Não tem problema, o Corretor de imóveis vai ganhar sua comissão de 5%. Vendeu a mesma casa que comprou por R$ 3 milhões pelo preço justo de R$ 1 milhão? Sem problemas, o mesmo Corretor de imóveis ganhará mais uma vez com nova comissão.

 

Mesmo se a comissão de corretagem for menor, ele ganha com o volume de negociações.

 

Entendeu agora porque todas as Corretores querem ver você virar um “Trader profissional” ou investidor “desbancarizado”?

 

Continuem operando, com ou sem lucro…. Brokers e firmas de investimento agradecem…

 

 

6- Empreendimentos Imobiliários Falsos ou Fundos de Investimento Imobiliário Irregulares

 

Esse é outro golpe que atrai investidores inexperientes motivados pela ganância. A diferença é que o golpe do falso empreendimento imobiliário ou investimento em fundos de investimento imobiliário irregulares é que o ativo financeiro usado para atrair a vítima é um ativo fixo imobiliário, um imóvel ou fração de imóvel.

 

Considerado o investimento mais conservador e ativo financeiro predileto dos brasileiros, o imóvel atrai pela sensação de segurança e solidez do negócio. Acrescente liquidez ao investimento em imóveis, tradicionalmente um ativo sem liquidez, e voilá! Parece um investimento dos sonhos.

 

Os trambiqueiros prometem isso mediante plantas de projetos imobiliários e instrumentos jurídicos e financeiros cercados de segredos, como se o investidor fosse fazer parte de seleto “clube” de investidores.

 

São espécies de fundos de investimento imobiliário, só que sem CNPJ próprio de fundo de investimento, muito menos registrados na Bolsa de Valores ou Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

 

O fraudador cobra uma taxa a título de investimento em quotas de uma “Unidade do empreendimento”.

 

Dependendo da estrutura societária da construtora ou incorporadora, é um crime de estelionato ou fraudes e abusos na fundação ou administração de sociedade por ações ou crime contra a economia popular, ou ainda, crimes contra o sistema financeiro nacional porque o fraudador realiza uma oferta pública de investimento em contratos coletivos de compra-e-venda de imóveis.

 

No papel, são chamados geralmente de “Quotas de Participação em Empreendimento Imobiliário” ou “Quotas de Sociedade em Conta de Participação (SCP)”, espécie de empresa de fato que está prevista em lei e a própria lei isenta os sócios de registrar a empresa em um cartório de Notas ou Junta Comercial.

 

A intenção do legislador era boa, mas, tem gente maliciosa que se aproveita para fazer “contratos de gaveta” que dificultam o resgate dos valores investidos e dos quais candidatos a investidores ou sócios participantes não podem consultar cartórios de Notas ou Juntas Comerciais para saber mais sobre a natureza e o histórico do empreendimento.

 

Empreendimentos imobiliários fajutos são ofertados geralmente por empresas construtoras ou incorporadoras falsas, que só existem no papel e em site bonito na Internet. Algumas têm escritórios elegantes em bairros nobres, porém, são “construtoras” que nunca construíram nada. Tudo é lindo e maravilhoso em suas propostas, maquetes, croquis e imagens ilustradas e dinâmicas em seus sites, porém, nada disso nunca saiu e nunca “sairá do papel”.

 

Muitos investidores ignoram que esse negócio integra o mercado financeiro. O ofertante e suas empresas/CNPJ geralmente escapam da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) por falta de denúncias. Mas, respondem várias ações judiciais cíveis de cobrança e indenização.

 

Um modo simples de evitar cair nesse tipo de golpe é solicitando o a) portefólio de empreendimentos imobiliários de construção ou incorporação da companhia efetivamente erguidos e b) cópia da Certidão de Matrícula do imóvel onde será construído o empreendimento imobiliário.

 

Desconfie se faltar um ou outro ou se o portefólio apresentado for o de outra companhia ou se o nome do empreendedor imobiliário não constar da Matrícula do imóvel.

 

 

Como evitar fraudes online?

 

Para evitar cair nos golpes de Piramideiros, Brokers picaretas e falsos sites de Corretoras de Bitcoin, recomendamos uma breve pesquisa acerca da reputação da marca e do Domínio de Internet, instrumento de conexão entre a organização criminosa e as vítimas.

 

Sim, se a marca for famosa e gozar de boa reputação é importante saber se não se trata de um site pirata, falso, o que podemos descobrir pelo Domínio de Internet.

 

Desconfie sempre de Domínios de Internet .com (sem o .br).

 

O primeiro local de consulta deve ser o Google.

 

Coloque o nome da empresa suspeita “entre aspas” no famoso buscador + a palavra “fraude” ou “golpe”, ou ainda, “scam” (golpe em Inglês). Use também a expressão “CNPJ” para tentar descobrir se a empresa tem registro na Receita Federal do Brasil (RFB).

 

A maioria das Boiler Room só tem um site na Internet e não têm registro no Brasil.

 

Depois, com o nome ou CNPJ consulte o Cadastro Geral da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Se a Corretora de investimentos não constar do Cadastro Geral da CVM, atenção! Ela não tem autorização para negociar ativos financeiros.

 

Por fim, e o mais importante, consulte empresas de proteção do consumidor e de clientes do mercado de ações, tanto do Brasil quanto do exterior como a ReclameAQUI, Forex Peace Army e Trustpilot.

 

Mas a falta de antecedentes não quer dizer muita coisa se o site é novo, criado recentemente.

 

Portanto, fique alerta para empresas novatas ou que não têm company page no LinkedIn ou Glassdoor.

 

Se o Domínio de Internet for .com.br, ou seja, registrado no Brasil, é fácil descobrir seu proprietário no Whois do Registro.BR. Abaixo, realizamos um tutorial de como identificar o proprietário de um site para consultar o nome dele n Google e nos Tribunais de Justiça.

 

Nesse vídeo ensinamos como consultar um Domínio de Internet para a prevenção de fraudes online ou mesmo identificar o proprietário do Domínio de Internet, para comsulta de antecedentes e penhora desse ativo financeiro para a solução de dívidas.

 

 

Como fazer uma denúncia no Ministério Público Federal (MPF)?

 

Se você não pesquisou antes e acabou sendo vítima de fraude no mercado financeiro, recomendamos tomar providências junto ao Ministério Público Federal e outras agências de Estado.

 

Empresas de Inteligência & Investigações como a Montax Inteligência, para a identificação dos fraudadores, coleta de provas e reunião de vítimas para ações em conjunto, e Escritórios de Advocacia Especializados em Direito Penal Econômico como o Fernando Martins Advogados que pode ajudá-lo com os conceitos legais e a desenvolver as ações de recuperação de ativos financeiros que se seguem:

 

a) Documente todo o passo-a-passo da fraude, especialmente com provas do pagamento ou entrega do dinheiro como comprovantes de depósito e transferência bancária;

b) Realize pesquisa, por conta própria ou com ajuda de especialistas em investigação de crimes financeiros, para a coleta de provas e para listar a maior quantidade de vítimas possível, com nome completo e CPF ou registros de reclamações no ReclameAQUI;

c) Protocole uma Representação inicial (denúncia) na página de serviços online do Ministério Público Federal (MPF) de estelionato e/ou crime contra a economia popular e/ou crimes contra o sistema financeiro nacional e/ou organização criminosa e/ou sonegação fiscal e “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores.

 

ATENÇÃO: O Ministério Público Federal não pode atuar como seu Advogado e defender interesses particulares senão defender direitos coletivos e interesses difusos, logo, se você não demonstrar que o prejuízo foi generalizado, de toda a sociedade ou grupo de investidores, sua Denúncia não será aceita.

 

 

Como fazer uma denúncia na Comissão de Valores Mobiliários (CVM)?

 

A vítima deve seguir o mesmo passo-a-passo da Representação inicial (denúncia) do MPF, porém, pedir a abertura de um Processo Administrativo Sancionador na página de Consultas, Reclamações e Denúncias da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

 

 

Como fazer uma denúncia na Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL)?

 

Isso mesmo, na Anatel! Muitas boiler room e pirâmides financeiras são empresas e negócios sem registro na Receita Federal do Brasil (RFB) e usam um site ou página no Facebook.

 

São crimes cibernéticos, crimes online, logo, são crimes telemáticos que podem e devem ser investigados pela agência de Estado responsável pela concessão de licenças de telecomunicações.

 

Se dependem da Internet, os criminosos cibernéticos precisam de um Provedor de Internet e linhas de telefone VoIP, telefones de Internet.

 

Se o Provedor de Internet que abriga o site picareta tiver filial ou representante no Brasil, a vítima de fraude online deve Registrar Reclamação no site da Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL).

 

 

Quê preciso para a Montax Inteligência analisar meu caso?

 

Para analisar a conveniência e oportunidade de realizar ações de busca, identificação de fraudadores e recuperação de ativos financeiros, Montax precisa que o credor ou vítima de fraude envie um e-mail para montax@montaxbrasil.com.br de Assunto “Inteligência Financeira” ou “Recuperação de Ativos” e entregando os dados, informações e provas que se seguem:

 

a) CNPJ/CPF ou nome completo das pessoas de interesse;

b) Valor que pretende recuperar;

 

Com essas informações, entregaremos orçamento de serviços de Inteligência Financeira.

 

 

 

 

 

 

Para pesquisa de antecedentes de candidatos a vagas de emprego (Background check), Devidas diligências de clientes e fornecedores (Due diligence KYC) e prevenção a lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo (PLDFT), o Chief Compliance Officer (CCO) e demais integrantes do Departamento de Compliance podem realizar um curso online de Inteligência Financeira – Due Diligence, Pesquisa de Bens & Compliance de Prevenção a Lavagem de Dinheiro – Roteiro de Proteção e Recuperação de Ativos. Clique no banner abaixo para acessar agora mesmo o seu Manual:

 

Inteligência Financeira – Due Diligence, Pesquisa de Bens & Compliance de Prevenção a Lavagem de Dinheiro – Roteiro de Proteção e Recuperação de Ativos

 

 

 

 

SOBRE O AUTOR

MARCELO CARVALHO DE MONTALVÃO é diretor da Montax Inteligência, franquia de Inteligência & Investigações que já auxiliou centenas de escritórios de advocacia e departamentos jurídicos de empresas como PSA Group (Peugeot Citroën), Cyrela, LG Eletronics, Localiza Rent A Car, Sara Lee, Kellog, Tereos, Todeschini, Sonangol Oil & Gas, Chinatex Grains and Oils, Generali Seguros, Estre Ambiental, Magneti Marelli, Banco Pan, BTG Pactual, Banco Alfa, W3 Engenharia, Geowellex, Quantageo Tecnologia e muitas outras marcas.

Especialista em Direito Penal Econômico e solução de crimes financeiros como estelionato (fraude), fraude a credoresfraude à execuçãoevasão de divisas e “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores.

Autor do livro Inteligência & Indústria – Espionagem e Contraespionagem Corporativa.

Conecte-se com Marcelo no LinkedIn

Ouça o Marcelo no YouTube

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Due Diligence | Pesquisa de Bens | Investigação Empresarial | Compliance Intelligence

 

 

Rio de Janeiro – RJ

Rua Figueiredo Magalhães, 387/801 – Copacabana – CEP: 22031-011

Telefone + 55 (21) 2143-6516

WhatsApp +55 (21) 99682-0489

E-mail montax@montaxbrasil.com.br


www.montaxbrasil.com.br 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Montax Inteligência de Crédito e Cobrança Ltda.
CNPJ 11.028.620/0001-55
Copyright © 2009

 

Montax Inteligência alerta para uma fraude muito comum porém pouco investigada pelas empresas: Fraudes na licença médica do INSS (Previdência Social) e inconformidades previdenciárias.

 

Muitas corporações não percebem os prejuízos causados por esse tipo de fraude e os riscos da participação, mesmo que involuntária, em um esquema fraudulento.

 

Fraudes previdenciárias de empregados de licença médica desonestos contaminam o ambiente corporativo porque podem levar os colegas a achar que também podem “receber sem trabalhar”.

 

O Compliance Previdenciário é um excelente “conjunto de mecanismos e procedimentos internos de integridade, auditoria e incentivo à denúncia de irregularidades” do Programa de Integridade do Decreto 8.420/2015, que regulamentou a Lei 12.846/2013 (Lei Anticorrupção)

 

Além de reduzir o risco de multas, investigações internas de fraudes previdenciárias garantem mais segurança jurídica aos departamentos de Recursos Humanos (RH) e Jurídico Trabalhista.

 

E reduzem despesas com planos de saúde e manutenção de clubes e grêmios recreativos para empregados que merecem dispensa.

 

Por Marcelo C. de Montalvão

 

O que você vai ler aqui:

 

#1 Sumário 

#2 Método

#3 Licença médica e perfil dos principais Atores (Key Players

#4 Inteligência & Investigações, como proceder

#5 Identificação de ativos e rendimentos

#6 Análise

#7 Estratégia básica de solução de fraudes previdenciárias

 

Vamos falar sobre Licença Médica, “Alta do INSS” e Retorno ao Trabalho e sistemas de Compliance de Prevenção à Fraude no INSS para a redução de despesas e custos operacionais desnecessários.

 

E preparar a companhia para a demissão dos fraudadores.

 

 

#1 Sumário 

 

O Compliance da companhia, conjuntamente com empresa de investigação especializada como a Montax Inteligência, devem realizar a coleta de provas de atividades física ou atividade laboral ou atividade econômica praticadas pelo(s) empregado(s) afastado(s) por licença médica.

 

Atividades econômicas muitas vezes não demandam esforço físico, motor, senão mental, intelectual.

 

Mas, podem configurar provas ou indícios de fraude do seguro ou inconformidade previdenciária.

 

É o caso da falsidade ideológica do empregado ou para obter a licença médica ou para estender a licença médica por tempo indeterminado…

 

E receber benefícios do seguro da Previdência Social (INSS) e continuar recebendo outros benefícios da companhia empregadora.

 

O plano de saúde é o principal alvo deles!…

 

 

#2 Método 

 

O trabalho de pesquisa consiste em apurar inconformidades previdenciárias eventualmente praticadas por empregados de licença médica contra a Previdência Social (INSS) por meio do departamento médico ou de Recursos Humanos (RH) da companhia.

 

O Compliance e empresa de auditoria externa realizarão trabalho de Inteligência Financeira combinado com Inteligência “de campo” para pesquisa de atividade econômica ou laboral ou atividade física dos empregados “afastados” por motivo de licença médica.

 

É a busca de provas de patrimônio, renda e atividade econômica e atividade física (motora) discrepante, que destoa do laudo médico ou alegação de incapacidade permanente.

 

O Alvo de busca são provas de fraudes ou inconformidades de empregados afastados por licença médica, de todos os níveis hierárquicos.

 

Portanto, o critério deve ser puramente estatístico, sem direcionamento político, hierárquico ou geográfico. Exemplo: Se a companhia tiver empregados em licença médica em vários estados da federação, não deve investigar “somente os paulistas” ou “somente os cariocas” ou “somente os que frequentam o clube” etc.

 

Licença médica

 

O foco da investigação empresarial deve ser a listagem de empregados sob licença médica que

 

a) Empregados em licença médica mais jovens, com maior capacidade de recuperação e regeneração;

b) Empregados em licença médica há muito tempo, porque é possível tenham se recuperado

c) Empregados em licença médica com CNPJ vinculado ao seu nome ou de familiar ou endereço;

d) Empregados em licença médica que o Compliance decidir investigar.

 

Os critérios estatísticos devem ser os mais isentos possíveis para evitar alegações de “perseguição” ou violação de intimidade ou espionagem corporativa.

 

“Alta do INSS” e retorno ao trabalho – Compliance de Prevenção à Fraude no INSS

 

Compliance de prevenção à fraude no INSS e Auditorias interna, externa e a investigação de fraude previdenciária são “mecanismos e procedimentos internos de integridade, auditoria e incentivo à denúncia de irregularidades e na aplicação efetiva de códigos de ética e de conduta, políticas e diretrizes com objetivo de detectar e sanar desvios, fraudes, irregularidades e atos ilícitos praticados contra a administração pública” do Programa de Integridade previsto na Lei Anticorrupção (Decreto 8.420/2015).

 

Então, você pode começar ou aperfeiçoar seu Programa de Integridade com um Compliance trabalhista e previdenciário.

 

O Compliance trabalhista e previdenciário vai ajudar governos, empresas e sociedade a diminuir os índices de Licença Médica e aumentar os índices de “Alta do INSS” e Retorno ao Trabalho.

 

É um círculo virtuoso para corporações, Estado e cidadãos.

 

IMPORTANTE: A corporação vítima de fraudes ou inconformidades previdenciárias em momento algum deve investigar servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), quer porque não tem capacidade técnica para esse tipo de investigação, quer porque a Contrainteligência governamental ou Inteligência doméstica é de competência da Polícia Federal (Constituição, art. 144, inciso I).

 

E porque a auditoria da Previdência Social é tarefa da Auditoria-Geral do INSS.

 

O principal Alvo de busca, o escopo do trabalho, é a obtenção de Conhecimento de Inteligência acerca dos Atores (Empregados em licença médica), crimes financeiros e atividade física ou laboral incompatíveis com a alegação de “incapacidade para o trabalho”.

 

As fontes são dados e informações públicas como declarações públicas em redes sociais virtuais e privadas (depoimentos pessoais); Cadastros de agências governamentais, Escrituras públicas de compra-e-venda de imóveis; Escrituras particulares de promessa de compra-e-venda; Contratos Sociais e alterações societárias; Documentos pessoais em arquivos de litígios (autos de processos judiciais) etc.

 

Inteligência de campo

 

O trabalho de Inteligência de campo consiste em entrevistar vizinhos e colegas para análise do comportamento social e outras informações de fontes humanas de Inteligência.

 

Informações de fontes locais.

 

IMPORTANTE: Informação é produto da Inteligência, valiosa do ponto-de-vista da Inteligência, mas, a Justiça pública é organização conservadora que exige provas para justificar decisões, provas (evidências) que podem estar em arquivos físicos ou digitais, ou ainda, no cérebro das pessoas consultadas.

 

O desafio da empresa de investigação privada é dar suporte ao Compliance da companhia e ao seu departamento jurídico com documentos e provas que deem tangibilidade à Informação acessada.

 

O Alvo de busca (escopo) são provas de atividades econômica, laboral ou física (motora) incompatíveis com a licença médica.

 

Ou ainda, um padrão ou coincidências ou discrepâncias ou patrimônio e rendimentos não declarados pelos empregados em licença médica.

 

A experiência demonstra que existem doenças que ainda aparecem nos exames, mas, com possível diminuição da dor ou recuperação da capacidade laborativa do empregados em licença médica, ou ainda, regeneração de ossos e tecidos.

 

Alguns empregados em licença médica podem trabalhar, mas, não querem: Querem continuar gozando de benefícios previdenciários (INSS) e benefícios corporativos (plano de saúde, clube etc.).

 

Às vezes para não fazer nada às vezes para ter tempo para outra ocupação, outra fonte de renda.

 

Fraude ou inconformidade previdenciária.

 

 

#3 Licença médica e perfil dos principais Atores (Key Players

 

Não existe um perfil ou os dados acessados pela Montax ainda não permitem estabelecer um padrão para os empregados em licença médica cujas provas ou indícios sugerem fraude previdenciária ou inconformidade previdenciária.

 

Assim que realizarmos o estudo os resultados serão publicados.

 

Mas, uma doença que se repete muito é a hérnia de disco.

 

A hérnia discal tem como característica a incapacidade para a atividade laboral que demanda esforço físico, por conta das fortes dores nas costas com reverberações de dor ou formigamento nos braços e pernas.

 

Hérnia de disco é altamente incapacitante para o trabalho.

 

E não tem cura.

 

Porém, as pessoas acometidas de hérnia de disco podem melhorar.

 

Com o tempo e/ou tratamento, a dor passa e a pessoa pode voltar ao trabalho…

 

Mas, a dor é um critério subjetivo e não sai nos exames… A hérnia de disco não tem cura e permanece lá… Só sai com cirurgia, que às vezes incapacita ainda mais… É a doença ideal do fraudador…

 

Isso não quer dizer que os empregados em licença médica por causa de hérnia de disco sejam fraudadores. Ou que demorem mais para se recuperar, propositalmente.

 

Mas, se o empregados em licença médica por causa de hérnia de disco tiver um CNPJ ou outra condição ou circunstância descritas nas alíneas “a”, “b”, “c” ou “d” acima listadas, abra o olho!

 

 

#4 Inteligência & Investigações, como proceder

 

Não existe sistema, método ou “receita de bolo” para a investigação de fraudes corporativas, muito menos de fraudes previdenciárias ou inconformidades previdenciárias.

 

O que vamos propor agora é apenas uma parte do método da Montax Inteligência.

 

A Inteligência não é uma Ciência Exata, muito menos estática. Ela evolui com o tempo, os costumes e a tecnologia. E os Analistas estão sempre trazendo novidades.

 

Esperemos que essas dicas sejam úteis ao Compliance da companhia ou ao Auditor externo contratado, todas fontes abertas de Inteligência (OSINT) e gratuitas!

 

Linkedin

 

Consultar o perfil do Ator no LinkedIn é uma das principais técnicas OSINT (Open Source Intelligence).

 

Rastrear atividade econômica é tarefa fundamental. Faça isso de forma discreta!

 

Para acessar o Linkedin discretamente, sem que os titulares dos perfis do Linkedin reconheçam os visitantes ou mesmo identifiquem visitas ao seu perfil, mesmo que configuradas para não informar quem visitou, os Analistas da Montax Inteligência

 

a) Capturam link do perfil no Google ou no próprio Linkedin, sem abri-lo;

b) Testam seu URL no Mobile Friendly, onde copiam o código HTML;

c) Realizam a leitura do código HTML no Code Beautify e, com um simples “run”, acessam o perfil da pessoa de interesse no Linkedin de modo discreto, sem registro de visitação.

 

Facebook, YouTube e outras mídias sociais

 

Analistas da Montax consultam redes sociais como Facebook e YouTube para tentar encontrar pistas do padrão e estilo de vida do empregado sob licença médica.

 

Perfis de redes sociais de familiares também são excelentes fontes abertas de Inteligência porque eles podem publicar imagens (provas) que o próprio Ator (pessoa de interesse) não teria coragem de publicar.

 

CENPROT – Central Nacional de Protestos

 

Os Analistas da Montax Inteligência também consultam o CENPROT – Central Nacional de Protestos, que pode revelar protestos de títulos de crédito nos cartórios participantes e, às vezes, remeter a um negócio ou atividade econômica secreta ou discreta.

 

Em outras palavras, o cartório de Protesto de Títulos e outros registros de dívidas podem dar pistas sobre atividade econômica e locais de trabalho.

 

Google

 

Esse buscador dispensa explicações, mas, você sabe mesmo usá-lo?

 

Consulte o nome do Ator “entre aspas” ao lado de expressões-chave de busca de atividade econômica como “CNPJ”, “Vendas”, “Tratar”.

 

Com a quantidade exagerada de cargos políticos e partidos políticos no Brasil, dificilmente um dos empregados afastados por licença médica não terão concorrido a cargo eleitoral, provas que podem aparecer como “ELEIÇÃO 2020 FULANO DE TAL VEREADOR (2020) (CNPJ 11.222.333/0001-00).

 

Pesquisa e você vai se surpreender com o que alguns empregados afastados por licença médica fazem para ganhar dinheiro.

 

Escavador

 

Consultamos principalmente o site Escavador, indexador de processos judiciais, principalmente de Reclamações Trabalhistas, bem como o site do Tribunal de Justiça do local de nascimento ou residência do Ator.

 

Precisamos identificar processos judiciais porque os arquivos de litígios podem revelar provas de atividade física, atividade laboral ou atividade econômica.

 

É uma excelente fonte de provas de fraudes ou inconformidades previdenciárias.

 

Outras fontes abertas de Inteligência (OSINT)

 

Os Analistas da Montax também cruzam dados pessoais do Ator com o de possíveis locais de trabalho, de mesma atividade econômica anterior, divulgados em sites como StarOfService, Guia Fácil e Telelistas.

 

Muitos empregados “doentes” permanecem no mercado realizando a mesma atividade econômica, porém, de maneira informal, ou seja, sem registro na Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS).

 

Alguns podem ter negócios de compra-e-venda de mercadorias e até infoprodutos pela Internet.

 

Inteligência de campo

 

A Inteligência de campo deve realizar pesquisa social do Ator, visitando-o de forma discreta para saber se está mesmo sob licença médica ou trabalhando e o que está fazendo.

 

O Analista de campo deve coletar o nome completo e endereço de vizinhos ou mesmo colegas de trabalho para eventual produção de prova testemunhal de atividade física ou laboral ou atividade econômica mesmo que sem impacto motor, físico.

 

Por razões culturais, Porteiros e vizinhos no Brasil costumam revelar a atividade econômica das pessoas de interesse do Compliance.

 

 

#5 Identificação de ativos e rendimentos

 

Apesar de não ser o Alvo de busca (escopo) do trabalho de investigação de fraude previdenciária, a identificação de ativos e rendimentos com certeza vai ajudar na identificação de atividade econômica, podendo conduzir às provas de inconformidades previdenciárias.

 

O Conselho Federal de Contabilidade define “ativo” como qualquer bem tangível ou intangível que pode gerar benefício econômico.

 

A Busca de Ativos & Investigações têm como principais objetivos

 

a) Avaliar a capacidade econômica de um Ator (pessoa ou organização);

b) Encontrar provas de crimes de sonegação fiscal e “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores, com a identificação de ativos não informados na Declaração de Rendimentos do IRPF ou IRPJ;

c) Encontrar provas de enriquecimento sem causa, incompatibilidade entre os salários e benefícios com os bens adquiridos na mesma época de eventual fraude corporativa; e

d) Listagem de bens passíveis de penhora para a eficácia das eventuais ações de Recuperação de ativos.

 

O time de especialistas da Montax Inteligência classifica os ativos e rendimentos em várias classes:

 

1- Ativos Intangíveis – Marcas, Patentes, Quotas Sociais, Ações (S/A Fechadas) e Bens Móveis Incorpóreos;

2- Ativos Fixos Imobiliários – Propriedade de imóveis (Matrícula) ou Direito e Ação ou Posse ou Usucapião;

3- Valores Mobiliários – Dinheiro, Ações (S/A), Quotas de fundos, Obras-de-arte, Semoventes (Gado);

4- Direitos & Créditos – Direitos de Exploração, Contratos, Precatórios Judiciais, Execuções de sentença;

5- Máquinas & Equipamentos – Aeronaves, Automóveis, Embarcações, Máquinas e Equipamentos;

6- Rendimentos – Aplicações Financeiras, Aluguéis, Salários, Aposentadorias, Royalties e Proventos.

 

A busca de ativos e renda do Ator pode ajudar a compreendê-lo melhor. Desse modo, sua investigação será mais assertiva.

 

#6 Análise

 

Os Analistas de Inteligência Financeira que encontram provas de atividade econômica ou atividade laboral ou atividade física devem analisar essas provas antes de emitir opinião sobre o caso.

 

Algumas agências de Inteligência privada dividem essas tarefas, seja para aumentar a produção e por questões de especialização seja para compartimentar a pesquisa a fim de proteger dados e informações sensíveis, de modo que o Analista que realiza a coleta de provas pode não ser o mesmo que analisa e opina sobre o valor da prova.

 

De certo que profissionais de Inteligência não são contratados para formular estratégia senão revelar os fatos com maior verossimilhança.

 

Quanto mais próximos da realidade, o decisor poderá tomar decisões mais acertadas.

 

Mas, muitas vezes o Analista de Inteligência é chamado a dar uma opinião, a emitir um parecer.

 

Nesse caso, o o Analista de Inteligência ou profissional de Compliance ou Auditor externo devem ressaltar acerca da existência ou inexistência de provas de recuperação da doença que causou a licença médica ou de atividade econômica sem impacto físico.

 

Porque às vezes o empregado em licença médica acaba aprendendo a exercer atividade econômica que não exige esforço físico.

 

Pandemia de Covid-19

 

As atividades do empregado em licença médica podem ter sido limitadas em razão pandemia de Covid-19, o que pode tornar esse tipo de investigação mais difícil.

 

Inquérito Administrativo (CLT) e Auditoria-Geral (AudiGer-INSS)

 

As provas de fraudes ou inconformidades previdenciárias devem ser consistentes para justificar um Inquérito Administrativo no âmbito da Justiça do Trabalho (artigos 494, 628 § 3º, 652 alínea “b”, 821 e 853 da CLT), bem como a justificar a reanálise do processo administrativo pela Auditoria-Geral (AudiGer-INSS).

 

Essas medidas não podem ser consideradas extremas se levarmos em conta que o “empregador deve arcar com salários enquanto empregado afastado aguarda resposta do INSS“, mesmo que o Auxílio Doença seja indeferido (!).

 

A lei trabalhista é favorável ao empregado, mas, a Justiça do Trabalho não tolera fraudes.

 

“Alta do INSS” e retorno ao trabalho

 

Mesmo que seu caso não revele fraude ao seguro, pode revelar inconformidade previdenciária como a omissão de reavaliação do caso com novos exames.

 

Muitos empregados continuam de licença médica porque não realizaram novos exames médicos que demonstrariam que já são capazes de trabalhar.

 

Nesse caso, a comunicação dos fatos pode levar àquilo que é vulgarmente conhecido como “Alta do INSS” e retorno ao trabalho pelo empregado de licença médica.

 

Acabou a dolce vitta.

 

 

#7 Estratégia básica de solução de fraudes previdenciárias

 

O Compliance da corporação vítima de fraudes ou inconformidades previdenciárias deve promover ataque concentrado e maciço ao Centro de Gravidade do inimigo[1], que pode ser um lugar, pessoa ou organização ou coletivo ou mesmo uma ideia.

[1] General CARL Von CLAUSEWITZ: “[…] Em caso de ataque inelutável, escolher a mais curta via na direção do Centro de Gravidade do exército inimigo […] Um certo Centro de Gravidade, um Centro de poder e de movimento de que tudo depende formar-se-á por si próprio, e é contra esse Centro de Gravidade do inimigo que se deve desferir o golpe centrado de todas as forças […]“. Da Guerra, Livro V, Capítulo IV e Livro VIII, Capítulo IV. (Século XVIII)

 

Para as Hipóteses de Emprego (HE), analisamos o Ator como um sistema para identificar os fatores críticos (Strange) e o Centro de Gravidade (CG) com enfoque na aposentadoria ou licença médica:

 

a) Qual o objetivo do sistema? (Benefício previdenciário),

b) Como o sistema é capaz de atingir o objetivo? (Decisão administrativa do INSS),

c) Qual Ator (pessoa ou organização) atinge o objetivo e pode ser o CG? (Perito do INSS) e

d) O que precisa para funcionar, qual fator crítico? (Validade/Eficácia da Decisão administrativa do INSS).

 

Hipótese de Emprego (HE) com enfoque na prova da atividade econômica, laboral ou física:

 

a) Qual o objetivo do sistema? (Lucro),

b) Como o sistema é capaz de atingir o objetivo? (Vendas),

c) Qual Ator (pessoa ou organização) atinge o objetivo e pode ser o CG? (geralmente o próprio Ator) e

d) O que precisa para funcionar, qual fator crítico? (geralmente um canal-de-distribuição).

 

Em um ambiente operacional marcado por empregados dissimulados e um Poder Judiciário moroso e favorável ao trabalhador, o Compliance da corporação deve lançar mão do conjunto de informações acerca do patrimônio, renda e atividades do empregado em licença médica.

 

E promover a reavaliação de saúde.

 

Considerando que a Montax Inteligência orgulhosamente atendeu mais de 100 departamentos jurídicos de grandes marcas no Brasil e no mundo; considerando que a interatividade entre a Montax e diretores jurídicos e de Compliance permitiu testar soluções de crimes financeiros e fraudes corporativas, recomendamos

 

  • Enviar Reclamação ao Auditor-Geral do INSS, WILLIAM GUEDES (audger@inss.gov.br), e Coordenador-Geral de Autoria em Benefícios, OLACIR LUCHETTA (cgaben@inss.gov.br), solicitando Revisão do benefício pela recuperação do empregado, ou na Central 135 ou na Ouvidoria do INSS;

 

Acreditamos que muitos empregados de licença médica aptos para o trabalho não ficariam tranquilos com a leitura deste artigo.

 

Leia também

Empresas de investigações internas

7 Erros comuns da investigação empresarial

Legislação da Atividade de Inteligência & Investigações pela iniciativa privada 

 

Quê preciso para a Montax Inteligência analisar um caso?

 

Para analisar a conveniência e oportunidade de realizar ações de busca, identificação e prevenção de fraudes, envie um e-mail para montax@montaxbrasil.com.br de Assunto “Fraude previdenciária” e entregando os dados, informações e provas que se seguem:

 

a) Nome completo, CPF e imagem fotográfica dos empregados em licença médica;

 

A partir dessas informações, podemos entregar orçamento de serviços de Inteligência & Investigações de crimes financeiros.

 

 

Para pesquisa de antecedentes de candidatos a vagas de emprego (Background check), Devidas diligências de clientes e fornecedores (Due diligence KYC) e prevenção a lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo (PLDFT), o Chief Compliance Officer (CCO) e demais integrantes do Departamento de Compliance podem realizar um curso online de Inteligência Financeira – Due Diligence, Pesquisa de Bens & Compliance de Prevenção a Lavagem de Dinheiro – Roteiro de Proteção e Recuperação de Ativos. Clique no banner abaixo para acessar agora mesmo o seu Manual:

 

Inteligência Financeira – Due Diligence, Pesquisa de Bens & Compliance de Prevenção a Lavagem de Dinheiro – Roteiro de Proteção e Recuperação de Ativos

 

 

 

 

SOBRE O AUTOR

MARCELO CARVALHO DE MONTALVÃO é diretor da Montax Inteligência, franquia de Inteligência & Investigações que já auxiliou centenas de escritórios de advocacia e departamentos jurídicos de empresas como PSA Group (Peugeot Citroën), Cyrela, LG Eletronics, Localiza Rent A Car, Sara Lee, Kellog, Tereos, Todeschini, Sonangol Oil & Gas, Chinatex Grains and Oils, Generali Seguros, Estre Ambiental, Magneti Marelli, Banco Pan, BTG Pactual, Banco Alfa, W3 Engenharia, Geowellex, Quantageo Tecnologia e muitas outras marcas.

Especialista em Direito Penal Econômico e solução de crimes financeiros como estelionato (fraude), fraude a credoresfraude à execuçãoevasão de divisas e “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores.

Conecte-se com Marcelo no LinkedIn

Ouça o Marcelo no YouTube

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Due Diligence | Pesquisa de Bens | Investigação Empresarial | Compliance Intelligence

 

 

Rio de Janeiro – RJ

Rua Figueiredo Magalhães, 387/801 – Copacabana – CEP: 22031-011

Telefone + 55 (21) 2143-6516

WhatsApp +55 (21) 99682-0489

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Montax Inteligência de Crédito e Cobrança Ltda.
CNPJ 11.028.620/0001-55
Copyright © 2009

 

Montax Inteligência vem alertando Traders e investidores iniciantes acerca dos riscos de confiar seu dinheiro a Corretoras de valores online (“Brokers”) que usam plataformas de simulação de investimentos e opções para fraudar pessoas no mundo todo com promessas de ganhos elevados com Ações, Câmbios, Mercado Forex, Opções Binárias e Criptomoedas.

 

São na maioria falsas Corretoras que operam um Esquema “Boiler Room” em que montam uma central de telemarketing multilíngue para enganar Traders e investidores inexperientes ao estilo “O Lobo de Wall Street”.

 

Se o Trader ou investidor usar como intermediário uma Corretora (“Broker”) picareta, não importa se “investiu” em ações VVAR3, IRBR3, BBAS3, AZUL4, ou Câmbios, Mercado Forex, Opções Binárias e Criptomoedas etc. vair perder todo o seu dinheiro e o dinheiro de clientes e amigos.

 

Os “investimentos” podem não valer nada se o Trader ou investidor forem enganados por uma Broker online fraudulenta.

 

Por Marcelo C. de Montalvão

 

O que você vai ler aqui:

 

#1 Se você só perde dinheiro no Mercado Financeiro pode estar sendo enganado mediante “simulação” 

#2 Sede da Broker não precisa ser na Avenida Paulista, mas, também não pode ser em Paraíso Fiscal que você nunca ouviu falar

#3 Promessa de lucro de mais de 20% ao mês é muito boa para ser verdade

#4 Jogador de futebol como garoto-propaganda é “gatilho mental” de investidores pouco sofisticados 

#5 “Bônus” de inscrição, prêmios em dinheiro ou iPhones pela indicação de novos clientes é pirâmide

#6 “Analistas” da Broker telefonam de números VoIP não rastreáveis

7# Corretoras picaretas estão fora do radar do Banco Central do Brasil (BACEN) e Comissão de Valores Mobiliários (CVM)? Então pesquisa onde conhecem elas!

 

Vamos aos sistemas de prevenção de fraudes com Corretoras de valores (Brokers).

 

 

#1 Se você só perde dinheiro no Mercado Financeiro pode estar sendo enganado mediante “simulação” 

 

O golpe da “Broker” é simples: Traders e investidores pensam que estão investindo em ativos verdadeiros por intermédio de uma Corretora de valores mas, em realidade, estão só depositando dinheiro em contas bancárias e wallets de uma quadrilha de estelionatários.

 

Ultimamente, essas organizações criminosas têm usado softwares de investimento no mercado de ações e criptomoedas (home-brokers) e de simulação de investimentos e operações o Mercado Forex como o MetaTrader5.

 

São programas de computador muito bons, desde que a licença esteja registrada em nome do Trader ou investidor. E que a simulação não seja ingenuamente tida por eles como “investimento real”.

 

O Trader ou investidor devem acessar esses softwares diretamente de seu fabricante ou distribuidor autorizado, e instalá-lo em seu próprio nome.

 

A licença deve estar em seu nome e não registrado no nome da Broker ou outra inscrição genérica como “TradingAccount-Server”. Verifique o nome e código de licença no canto superior esquerdo do software de investimentos (home-broker).

 

Se a licença não for sua o home-broker poderá ser modificado para a simulação de investimentos que o Trader ou investidor pensam ser reais. Ou ainda, a simulação da simulação em que o Trader sempre ganha enquanto não coloca o seu dinheiro e o de seus amigos e clientes. Só começa  a perder quando coloca dinheiro de verdade na conta.

 

 

#2 Sede da Broker não precisa ser na Avenida Paulista, mas, também não pode ser em Paraíso Fiscal que você nunca ouviu falar 

 

Corretoras picaretas existem em todo lugar, mas, dificilmente elas tem sede fiscal ou são registram e muito menos operam em países de legislação dura contra criminosos como Japão, Estados Unidos e Irã.

 

Brokers que operam um esquema boiler room geralmente funcionam em locais secretos, sua sede operacional é secreta e pode ser qualquer lugar, até do seu prédio, mas, tem sede fiscal (registro) em Paraísos Fiscais minúsculos de legislação frouxa, comissões de valores mobiliários ineficazes e carentes de agências de Inteligência Financeira e Detetives privados como Chipre, Ilhas Marshall, Ilhas Seychelles, São Vicente e Granadinas, Papua Nova Guiné, República da Granada, Ilhas Vanuatu, Ilhas Tuvalu, Kiribati etc.

 

Não se engane só porque a Broker tem sede fiscal em país da União Europeia. Chipre, por exemplo, vem sendo denunciado por vários cidadãos junto ao Parlamento Europeu mas nada acontece.

 

Se uma Corretora picareta da Avenida Paulista sumir com seu dinheiro e o de seus amigos e clientes, com um bom profissional de Inteligência Financeira você descobre onde estão os sócios e onde esconderam seu dinheiro.

 

Mas, e se a Corretora for de um Paraíso Fiscal? Se prepare para começar com US$ 50 mil somente de despesas legais com os advogados desses Paraísos Fiscais.

 

Não custa nada também dar uma olhada no site do Offshore Leaks Database do ICIJ. O endereço de uma famosa Broker online na Arch Makariou III & Vyronos 1 P Lordos Center Block B Office 401 3105 Limassol Cyprus está lá…

 

Abra o olho!

 

 

#3 Promessa de lucro de mais de 20% ao mês é muito boa para ser verdade

 

Aprenda uma coisa: Ninguém fica rico com investimentos.

 

Foi isso mesmo que você leu: Você não ficará rico investindo na Bolsa de Valores, Mercado Forex etc.

 

É inegável que o mercado financeiro pode alavancar seus ganhos de capital, mas, o que vai te deixar rico é o trabalho, o empreendedorismo.

 

Sabe o que Warren Buffet, Luis Barsi, Tiagro Nigro e outros ricos investidores de sucesso têm em comum? Todos enriqueceram com suas empresas e negócios, a maioria ligados a investimentos, claro, como Corretoras de valores (Broker), casas de análises financeiras e até canais de educação financeira no YouTube.

 

Eles pegaram o dinheiro que ganharam com o empreendimento e investiram no mercado financeiro e voilá!

 

Eles catapultaram sua riqueza, claro, mas não criaram riqueza a partir do “nada”… Ninguém fica rico na Bolsa de Valores “começando com R$ 500,00″…

 

Os “gurus” do mercado financeiro não aumentaram seu capital sem trabalhar senão com empreendedorismo combinado com operações no mercado financeiro que lhes proporcionam um retorno sobre investimentos (ROI) de 20% ao ano em média.

 

Eu disse 20% AO ANO!

 

Mas, se você, Trader ou investidor inexperiente, quer acreditar na promessa de retorno de 20% “ao mês” feita por um Analista de uma Broker de Seychelles que te telefona de um número VoIP alegando estar na “Austrália”, mas, com sotaque da região do Triângulo da Monetização na região Nordeste do Brasil (?!). Nesse caso você é um gênio e deve estar achando esse artigo uma bobagem.

 

A realidade é que não existe lucro fácil (se fosse, ninguém abriria empresas, só investiria no mercado financeiro).

 

O Analista da Broker picareta só disse aquilo que você queria escutar e sua promessa de lucro de mais de 20% ao mês é muito boa para ser verdade.

 

 

#4 Jogador de futebol como garoto-propaganda é “gatilho mental” de investidores pouco sofisticados

 

Desconfie sempre de Corretoras de valores (Brokers) que apelam para a imagem de Jogadores de futebol e outros atletas populares como garotos-propganda. E seus principais canais de promoção e vendas estão na Internet.

 

São empresas financeiras que querem alavancar negócios do dia pra noite.

 

Tal qual o Banco Econômico que explorava a imagem do famosíssimo piloto de Fórmula 1, Aírton Senna, Brokers online que se valem de um Jogador de futebol para te convencer a investir no mercado financeiro quer conquistar investidor de pouca ou nenhuma sofisticação financeira.

 

Todos sabem o que aconteceu com o Banco Econômico…

 

E o que seria sofisticação financeira?

 

Sofisticação financeira é educação financeira combinada com experiência no mercado financeiro.

 

Geralmente os investidores de pouca sofisticação financeira têm origem na Classe C, tiveram pouca instrução formal ou a tiveram de forma deficiente e não estão acostumados a lidar com tubarões e abutres do mercado financeiro. E são facilmente encontrados na Internet.

 

Veja bem, não disse que aqueles que investem no mercado financeiro por meio de Brokers apelativas ou que são convencidos a investir por meio de pop-ups do Google ou Facebook são pessoas sem sofisticação, não foi isso que eu disse!

 

A maioria são empreendedores de sucesso que subiram na vida, sabem fazer dinheiro com seu trabalho e ofício, mas, vamos falar francamente: Tiveram pouca ou nenhuma educação financeira na infância por isso acreditam em milagres e querem começar com os papéis mais arriscados.

 

Pilotos de Fórmula 1, Jogadores de futebol e outros ídolos das multidões como Apresentadores de TV e Bilionários famosos (pessoas populares), desconfie sempre quando a imagem deles aparece na tela de sua Broker ou home-broker.

 

Isso é “gatilho mental” de vítimas comuns desse tipo de armadilha.

 

 

#5 “Bônus” de inscrição, prêmios em dinheiro ou iPhones pela indicação de novos clientes é pirâmide

 

Se o negócio não te entregar um produto ou serviço consistentes senão uma bonificação em dinheiro ou prêmios na forma de artigos de luxo se você trouxer “novos clientes”, então, VOCÊ É O PRODUTO.

 

Alguns chamam “marketing mult-nível (MMN)”, marketing de rede, referral marketing etc.

 

Montax chama esse esquema de pirâmide financeira.

 

E se você aceitou o bônus em dinheiro ou prêmio pela indicação de um amigo ou cliente, sem alertá-lo que fez isso não porque confia na Broker, mas, porque ela te pagou, então, você é tão desonesto quanto o dono, aquele que está no topo da pirâmide.

 

Está bem, está bem, você, Trader, não é desonesto, está apenas tentando sobreviver ou realizar o sonho de ser o Leonardo DiCaprio no filme “Os Lobos de Wall Street”. Desculpe, mas, na minha opinião, se você não contou para o cliente, amigo ou parente que a Corretora “XYZ” – que ninguém nunca viu o dono – recebeu o dinheiro (deles) não por causa do histórico de sucesso, mas, porque você ganhou bônus, comissão ou um iPhone 12, então, no mínimo faltou transparência.

 

A transparência está para o mercado financeiro o que o sigilo está para a Atividade de Inteligência.

 

 

#6 “Analistas” da Broker telefonam de números VoIP não rastreáveis

 

Você já se perguntou por que uma Corretora com um site tão bonito não tem uma sede operacional própria ou não te telefona do home office de seus Analistas?

 

Empresas como a Kiwify de venda de infoprodutos e meios de pagamento online não têm sede operacional e todos trabalham de seus respectivos home office. Mas, têm CNPJ, registro e sede fiscal no Brasil e telefones de suporte vinculadso ao endereço dos colaboradores.

 

Ao atender uma chamada telefônica de um Analista de número “esquisito”, pergunte de forma educada porém firme:

 

a) Qual seu nome completo e CPF?

b) Tem perfil no Facebook e Linkedin, qual?

c) Qual o endereço de sua sede operacional, de onde exatamente você está telefonando?

 

Desconfie se o Analista da Corretora de valores (Brokers) recusar prestar quaisquer dessas informações.

 

E verifique se as informações prestadas são verdadeiras.

 

E quando telefonam, eles pedem para o Trader ou investidor realizar depósitos em dinheiro em contas de empresas braço-financeiro do Brasil. Se a Corretora de valores é tão boa, por que não tem conta bancária própria e precisa de intermediários, de empresas de meio de pagamento?

 

Explicamos melhor o papel das empresas braço-financeiro das organizações criminosas transnacionais no Estudo de Caso Vlom é Confiável? Montax Desvenda Esquema Transnacional de Fraudes Online Contra Traders e Investidores do Mercado Forex, Opções Binárias e Criptomoedas, uma “Boiler Room”, e Seu Sistema de Lavagem de Dinheiro e Evasão de Divisas no Chamado “Triângulo da Monetização”

 

 

#7 Corretoras picaretas estão fora do radar do Banco Central do Brasil (BACEN) e Comissão de Valores Mobiliários (CVM)? Então pesquisa onde conhecem elas!

 

A maioria das Brokers fruadulentas não tem registro no Brasil.

 

Não tem representante legal com endereço no Brasil; não tem inscrição no Ministério da Economia, logo, não tem CNPJ; e não tem cadastro nas agências reguladoras do sistema financeiro nacional (Bancos e instituições financeiras) e de distribuição e comercialização de títulos e valores mobiliários (Bolsa de Valores e mercado financeiro), no caso o Banco Central do Brasil (BACEN) e Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

 

Na verdade, os golpistas não têm intenção alguma de abrir empresa (CNPJ) no Brasil.

 

Brokers picaretas só existem na Internet.

 

Ninguém nunca ouviu falar do dono, muito menos de seu escritório.

 

São em realidade pessoas, sites e Provedores de Internet mal intencionados ligados ao Crime Organizado Transnacional (Decreto 5.015/2004), razão pela qual não estão no radar do Banco Central do Brasil ou Comissão de Valores Mobiliários.

 

E se a Broker não tem registro no BACEN ou CVM, muito provavelmente não distribuiu ativos financeiros nem valores mobiliários, mas, simplesmente, aplica o golpe conhecido como pirâmide financeira em que os “rendimentos” dos investidores antigo são entregues com o principal dos investidores novatos. Mas nenhum deles jamais retira o valor principal investido e a maioria não recebe absolutamente nada.

 

Por isso deveriam estar no radar da Polícia Federal, da Interpol e Europol.

 

Então onde pesquisar?

 

O primeiro local de consulta deve ser o Google.

 

Coloque o nomee da Corretora suspeita no famoso buscador + a palavra “fraude” ou “golpe”, ou ainda, “scam” (golpe em Inglês). Se não achar nada coloque o nome da Broker “entre aspas” para refinar a busca.

 

O segundo lugar a ser consultado é o Cadastro Geral da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

 

Se sua Corretora não aparece aqui, cuidado! Ela pode não ter nem CNPJ ou representante no Brasil, o que significa que se sumir com seu dinheiro você vai ter que caçar os donos da Broker lá fora, no exterior. Serviços profissionais por lá são cobrados em dóllar (assim mesmo, em Inglês).

 

Por fim, e talvez o mais importante, consulte empresas de proteção do consumidor e de clientes do mercado de ações, tanto do Brasil quanto do exterior.

 

São vários, mas, você ficará satisfeito se consultar os 3 (três) que julgamos mais importantes, assertivos: ReclameAQUI (Brasil), Forex Peace Army e Trustpilot

 

Se não encontrar nada, não faça negócio, por uma razão muito simples: Corretora nova não tem referências justamente porque está há pouco tempo no mercado.

 

Você confiaria o seu dinheiro e o de seus clientes a uma Broker novata?

 

Ah! Desconfie também de empresas que não têm company page no LinkedIn ou Glassdoor.

 

Não ter company page não faz de uma empresa uma picareta, mas, é como uma pessoa que não tem uma conta no Facebook, Instagram, um e-mail… Toda regra tem exceção mas essa pessoa pode estar se escondendo…

 

Já fui fraudado, então, qual a solução?

 

A solução é a prisão dos autores, co-autores e partícipes dos crimes financeiros. É o velho adágio do Direito Penal Econômico: “Passarinho só canta na gaiola” (Autor desconhecido). A vítima deve fazer um Boletim de Ocorrência (BO) na Delegacia de Polícia especializada em defraudações.

 

Outra solução é denunciar os crimes financeiros como crimes cibernéticos, afinal, foram praticados por meio da Internet (Provedores e VoIP). A vítima deve fazer uma Reclamação na AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES (ANATEL).

 

Consulte um Advogado especialista em Direito Penal Econômico que contratará uma empresa de Inteligência Financeira para realizar uma investigação e coleta de provas necessárias às ações legais diversas como uma Notícia de crime; Medida Cautelar Penal de sequestro de bens imóveis e arresto de bens móveis, inclusive bens móveis incorpóreos e dispositivos eletrônicos (computadores, tablets, smartphones, pendrives etc.) e busca de provas como ID da carteira virtual (wallet) ou TxID (hash) da transação e senhas de acesso às Wallets ou contas bancárias de controladores, holdings patrimoniais, empresas offshore e interpostas pessoas (“laranjas”); e Ação Civil Pública.

 

Ações Coletivas com base na Lei 8.078/1990 (Código de Defesa do Consumidor) porque podem não funcionar sem o viés criminal e de economia popular, da prática de crimes financeiros contra o mercado, contra a Fazenda Pública e contra o sistema financeiro nacional, porque alguns juízes entendem que as vítimas eram “pequenos investidores” (Traders) ou “sócios” (investidores), e não consumidores hipossuficientes (lado mais fraco) de produtos e serviços ofertados no mercado por grandes players, porque sabiam dos riscos do investimento e negócio; concordaram com a remessa de valores ao exterior; e recrutaram integrantes, geralmente amigos, familiares e colegas de trabalho, para ganhar comissões.

 

Quê preciso para a Montax Inteligência analisar meu caso?

 

Para analisar a conveniência e oportunidade de realizar ações de busca, identificação de fraudadores e recuperação de ativos financeiros, Montax Inteligência precisa que a vítima de fraude envie um e-mail para montax@montaxbrasil.com.br de Assunto “NOME DA EMPRESA FRAUDULENTA” e entregando os dados, informações e provas que se seguem:

 

a) Nome completo, CPF e telefone da(s) vítima(s);

b) Site ou link que atraiu a vítima para um investimento online;

c) Bandeira e número do cartão de crédito ou bancos, agências e contas bancárias de destino dos valores pagos às corretoras de valores online, com o valor pago, data e sistema usado (Swift, TED, DOC, PIX, Depósito no caixa etc.), o Nome CPF/CNPJ do favorecido, bem como os comprovantes de depósito ou transferências bancárias;

d) Nomes, telefones e mensagens de texto e de voz dos “Analistas”;

 

A partir dessas informações e documentos, podemos analisar se vale a pena ativar um caso de Inteligência Financeira.

 

 

Para pesquisa de antecedentes de candidatos a vagas de emprego (Background check), Devidas diligências de clientes e fornecedores (Due diligence KYC) e prevenção a lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo (PLDFT), o Chief Compliance Officer (CCO) e demais integrantes do Departamento de Compliance podem realizar um curso online de Inteligência Financeira – Due Diligence, Pesquisa de Bens & Compliance de Prevenção a Lavagem de Dinheiro – Roteiro de Proteção e Recuperação de Ativos. Clique no banner abaixo para acessar agora mesmo o seu Manual:

 

Inteligência Financeira – Due Diligence, Pesquisa de Bens & Compliance de Prevenção a Lavagem de Dinheiro – Roteiro de Proteção e Recuperação de Ativos

 

 

 

 

SOBRE O AUTOR

MARCELO CARVALHO DE MONTALVÃO é diretor da Montax Inteligência, franquia de Inteligência & Investigações que já auxiliou centenas de escritórios de advocacia e departamentos jurídicos de empresas como PSA Group (Peugeot Citroën), Cyrela, LG Eletronics, Localiza Rent A Car, Sara Lee, Kellog, Tereos, Todeschini, Sonangol Oil & Gas, Chinatex Grains and Oils, Generali Seguros, Estre Ambiental, Magneti Marelli, Banco Pan, BTG Pactual, Banco Alfa, W3 Engenharia, Geowellex, Quantageo Tecnologia e muitas outras marcas.

Especialista em Direito Penal Econômico e solução de crimes financeiros como estelionato (fraude), fraude a credoresfraude à execuçãoevasão de divisas e “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores.

Conecte-se com Marcelo no LinkedIn

Ouça o Marcelo no YouTube

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Due Diligence | Pesquisa de Bens | Investigação Empresarial | Compliance Intelligence

 

 

Rio de Janeiro – RJ

Rua Figueiredo Magalhães, 387/801 – Copacabana – CEP: 22031-011

Telefone + 55 (21) 2143-6516

WhatsApp +55 (21) 99682-0489

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Montax Inteligência de Crédito e Cobrança Ltda.
CNPJ 11.028.620/0001-55
Copyright © 2009

 

Pesquisar franquias ou microfranquias para identificar franquias baratas e de maior lucro não é tarefa fácil.

A dica da Montax Inteligência é que você se concentre em

a) Algo que te dê prazer, aquilo que você faria até de graça;

b) Produto ou serviço com o qual você tem conhecimento técnico ou experiência de mercado; e

c) Indústria ou atividade econômica com projeção de crescimento.

Se você ama a Atividade de Inteligência & Investigações Corporativas, Consultoria de Risco e Compliance, tem formação em Direito ou Contabilidade ou Marketing ou Segurança do Trabalho ou experiência em operações militares ou departamentos jurídicos ou escritórios de advocacia, serviços de pesquisa de bens e investigação de fraudes corporativas podem dar uma boa renda de sua própria casa (home office) porque são serviços essenciais a diretores jurídicos, advogados e diretores financeiros que precisam realizar a localização de ativos financeiros de grandes devedores e encontrar provas de fraudes financeiras que aumentem as chances de sucesso de suas ações judiciais de recuperação de ativos e concorrência desleal.

 

Oportunidade

 

As principais vantagens da franquia de serviços de Inteligência & Investigações Corporativas são:

a) é franquia de serviços, então, o franqueado não está obrigado a comprar produtos do franqueador, mercadorias que estragam ou ficam encalhadas em sua casa, loja ou depósito;

b) é franquia de serviços essenciais, logo, empresas e profissionais dependem desse serviço para ter sucesso nos negócios;

c) é franquia de baixas despesas operacionais, portanto, o franqueado trabalha em casa em regime de home office, com baixos custos fixos e só paga impostos, taxas e custos da prestação dos serviços quando tiver um negócio fechado; e

d) é franquia barata, conforme o resumo da Circular de Oferta de Franquia – COF (abaixo).

E porque a Instrução (CVM) 617/2019 obrigou as instituições financeiras – inclusive gestoras de fundos de investimentos – a realizar Due diligence de clientes como forma de prevenção à lavagem de dinheiro e financiamento de terrorismo (PLDFT), medida que com certeza vai impactar positivamente o mercado de Inteligência Financeira e investigações de lavagem de dinheiro e ocultação de bens.

 

Conheça a Franquia de Serviços de Inteligência & Investigações Corporativas da Montax Inteligência 

 

Dentre as franquias baratas, a franquia de serviços de Inteligência & Investigações Corporativas é uma oportunidade de negócio que permite ao Empreendedor com pouca experiência e poucos recursos financeiros atingir excelentes resultados.

A Franquia de Consultoria de Inteligência & Investigações Corporativas é oportunidade de negócio ideal para quem quer um bom faturamento com baixo investimento porque o principal ativo a ser investido é o tempo.

Mas, isso não significa trabalhar 12h por dia.

O Franqueado deverá ter uma estrutura simples porque não tem Ponto comercial, empregados nem horários rígidos. Muitos negócios são fechados por meio da Internet (Google e LinkedIn). E é pela Internet que a empresa Franqueada de Consultoria de Inteligência & Investigações Corporativas entrega os serviços.

O modelo de Franquia de Consultoria de Inteligência & Investigações Corporativas da Montax Inteligência torna possível empreender da comodidade de sua casa, sem deixar de ser lucrativa.

Na Era Digital, muitos fornecedores e serviços essenciais ao negócios são contratados pela Internet. Redes sociais, sites e aplicativos de serviços de informação e documentação facilitam o marketing e força-de-vendas, a prestação dos serviços em si e a administração e finanças da Empresa Individual (burocracia).

Essa oportunidade de negócio dispensa mão-de-obra fixa – somente Analistas avulsos contratados por demanda ou tarefa -, promover serviços e atender clientes remotamente. Você quer conhecer melhor o modelo de Franquia de Consultoria de Inteligência & Investigações Corporativas?

Continue conosco para entender essa oportunidade de negócio.

 

Franqueado será Microempreendedor Individual (MEI) ou Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI) Microempresa (ME)

 

Você quer uma oportunidade de negócio sem sócios que te atrapalhem, dividam o lucro ou traiam sua confiança?

Você busca uma oportunidade de negócio com risco “Zero” de Reclamações Trabalhistas? Uma oportunidade de negócio que não precise pagar aluguel de sala comercial?

Você quer uma oportunidade de negócio cujo sucesso depende exclusivamente de você e seu talento, mais ninguém?

A Franquia de Consultoria de Inteligência & Investigações Corporativas permite você empreender sozinho, sem depender de patrão, sócio ou empregados.

A estrutura de trabalho a ser montada é “enxuta”, de baixíssimo investimento, como você poderá ver no Resumo da Circular de Oferta de Franquia (COF) e na planilha de Investimentos da Circular de Oferta de Franquia (COF) abaixo.

 

Qualidade de vida no trabalho e independência financeira 

 

Você quer uma oportunidade de negócio que não tome todo seu tempo, te proporcione qualidade de vida e independência financeira para nunca mais ficar a mercê de chefes? O modelo de Franquia de Consultoria de Inteligência & Investigações Corporativas é perfeito para você ter autonomia de vida – ser dono-do-próprio-nariz – e independência financeira, o que impacta no estresse e qualidade de vida.

A empresa Franqueada atenderá corporações que terceirizam serviços de informação e levantamento de informações, cobrança e informações cadastrais, preparação de documentos e serviços especializados de apoio administrativo.

Essas atividades econômicas podem ser realizadas remotamente, o empreendedor precisa apenas executar o trabalho quando e onde quiser. De seu quarto ou cyber-café, notebook ou smartphone, desde que tenha acesso à Internet.

Você terá que cumprir horários apenas nas reuniões de negócios quando visitar potenciais clientes para Apresentações e esclarecer dúvidas acerca das informações e provas coletadas.

E mesmo assim, muito raramente porque esse tipo de negócio se vende e se entrega pela Internet e smartphone. Muitos clientes que pagam muito bem nunca foram vistos pessoalmente…

A entrega de Relatórios de Inteligência e documentos podem ser realizados conforme a sua agenda.

A Franquia de Consultoria de Inteligência & Investigações Corporativas dá autonomia e flexibilidade para o empreendedor cuidar do seu negócio conjuntamente com atividades domésticas, sem colocar em risco seu investimento nem tampouco prejudicar seu faturamento.

O empreendedor pode trabalhar de madrugada ou pela manhã cedo e ficar com o tempo livre a tarde, porque não precisará cumprir horário comercial a não ser em reuniões de negócios. Essa vantagem salário algum de uma grande companhia compensa.

 

Benefícios da Franquia de Consultoria de Inteligência & Investigações Corporativas 

 

Com tantas vantagens, qual o lucro resultado do esforço do Franqueado da Franquia de Consultoria de Inteligência & Investigações Corporativas?

E os principais benefícios, quais são?

Confira!

 

Pequeno investimento inicial e baixo custo operacional.

Não há despesas de aluguel e condomínio porque você trabalhará de casa (home based).

Os principais equipamentos provavelmente você já tem (computador ou notebook, impressora com scanner, máquina fotográfica ou smartphone com câmera e Certificado digital).

Além da qualidade de vida por trabalhar quando quiser e não se estressar diariamente com o transporte casa-trabalho-casa, a produção em esquema home-office típica de empresas digitais gera uma economia operacional que garante um maior faturamento líquido;

 

Digitalização dos serviços.

Serviços de Consultoria de Inteligência & Investigações Corporativas tem mais de mil anos, mas, se adaptaram a Era Digital melhor que qualquer outro negócio porque o cerne do seu negócio é a informação.

Fontes de Inteligência & Informação aumentam cada vez mais na Era da Informação devido a revolução digital e dos meios de comunicação. Isso garante serviços ágeis executados em pouco tempo e poucas tarefas.

Esses serviços são prestados à distância, pela Internet, inclusive no exterior se o Analista de Inteligência falar Inglês ou outro idioma;

 

Serviços altamente especializados e de elevada demanda.

Com a crise econômica, muitas corporações precisam de consultoria de risco e compliance para a prevenção de fraudes e pesquisa de bens para recuperação de ativos financeiros desviados de fraudes.

E com a economia aquecida as empresas consultam profissionais de Inteligência para fazer due diligence de novos fornecedores e parceiros de negócios e backgound check de candidatos a vagas de emprego;

 

Faturamento.

Com estrutura “enxuta”, baixas despesas operacionais, especialização e aumento da demanda de serviços de Inteligência & Investigações de pesquisa de bens para recuperação de ativos financeiros, compliance e mitigação de riscos em departamentos jurídicos e escritórios de advocacia e a necessidade de implementação de mecanismos de combate à corrupção e fraudes nas empresas (Lei Anticorrupção), o sucesso da Franquia de Consultoria de Inteligência & Investigações Corporativas depende apenas da dedicação do empreendedor em seguir as recomendações da Franqueadora e ter iniciativa.

 

Advogado, você não precisa depender da Justiça e do sistema Bacen Jud para ter sucesso em suas Execuções. Você pode ter acesso ao nosso Briefing, um roteiro de pesquisa de bens e investigação de “lavagem” de dinheiro e ocultação de bens ideal para Advogados de cobrança e execução, profissionais de Inteligência, Investigadores de fraudes corporativas, Auditores e Detetives. E existem no mínimo outros 9 (nove) sistemas de busca de bens na Justiça além dos velhos e já conhecidos Bacen Jud, Renajud e Infojud. Com o “Manual de Inteligência Financeira & Investigações Empresariais – Briefing Secreto de Pesquisa de Bens e Recuperação de Ativos” você aprenderá técnicas de espionagem absolutamente legais de busca de bens para ter sucesso em suas ações de recuperação de ativos.
Ele foi produzido com parte do nosso Briefing secreto e contém 5 Capítulos e 1 bônus especial, no caso

Índice

Introdução

 Capítulo 1 – Técnicas de Espionagem Fáceis e Absolutamente Legais

Capítulo 2 – Como Usar Inteligência na Busca de Ativos

Capítulo 3 – Definições de Ativos Financeiros

Capítulo 4 – Briefing Secreto de Pesquisa de Bens & Recuperação de Ativos

Capítulo 5 – Cartórios: Em quais, onde e como pesquisar?

BÔNUS ESPECIAL – Sistemas de Busca de Bens na Justiça 

 

Você pode adquirir o “Manual de Inteligência Financeira & Investigação Empresarial – Briefing Secreto de Pesquisa de Bens e Recuperação de Ativos” agora clicando AQUI.

 


Mas, afinal, o que o Analista de Inteligência privada faz?

 

A Franquia de Consultoria de Inteligência & Investigações Corporativas é uma franquia barata de serviços em que o empreendedor não será apenas um consultor de risco, mas, um Analista de Inteligência.

Um Analista de Inteligência exerce Atividade de Inteligência, que é basicamente a identificação de Compradores (buyer persona) de serviços de Inteligência & Investigações; pesquisa e coleta de informações estratégicas quando ocultadas, descaracterizadas ou camufladas para enganar contratantes, ocultar bens e despistar credores, adversários e concorrentes; e tarefas burocráticas como emissão de faturas, notas fiscais e lançamentos em software contábil.

Serviços de informação e levantamento de informações tem como escopo aumentar as chances de sucesso de uma ação. É a atividade de identificação dos verdadeiros Atores (Key players), suas forças e fraquezas para a melhor tomada de decisões, diminuição de riscos e proteção dos ativos tangíveis e intangíveis.

Em casos de dívidas milionárias, a Atividade de Inteligência tem como principal escopo localizar pessoas, empresas e bens para a recuperação de ativos. É um trabalho emocionante. E você conhecerá muita gente importante, logo, é fundamental vestir-se bem, falar e escrever bem, ser educado e discreto.

As empresas de serviços de Inteligência se destacam das firmas de auditoria contábil pela investigação a partir da pessoa, da personalidade, e suas conexões econômicas, não dos números ou papéis fornecidos pelo Controller da empresa investigada.

A principal tarefa do Analista de Inteligência é auxiliar empresas a se precaver de fraudes e outras ameaças ou dar resposta às ações fraudulentas, ajudando principalmente departamentos jurídicos na busca de bens para recuperação de ativos.

 

E o que mais ele faz?

 

O Analista de Inteligência privada cuida basicamente de assuntos relacionados a proteção de ativos, sejam tangíveis sejam intangíveis, com enfoque no patrimônio e atividade econômica do adversário ou concorrente do cliente.

Ele pesquisa e procura coincidências, discrepâncias e patrimônio não declarado do empregado ou outro stakeholder para descobrir esquemas de fraude, fraudadores e bens para recuperação de ativos.

São serviços que exigem conhecimento das relações econômicas, sociais e políticas e gosto pela leitura. Ser usuário “pesado” de Internet é recomendável, porque muitas pesquisas e consultas são realizadas no ambiente web/Internet.

Agora está mais fácil porque o volume de informações e documentos antes acessados somente em bibliotecas ou consultados em livros cartorários agora estão disponíveis no Google e outras fontes abertas de Inteligência (OSINT) de know-how da Montax Inteligência.

 

Um dos trabalhos mais desafiadores do Analista de Inteligência da Montax é descobrir onde o devedor ou fraudador realizou investimentos e obter provas da propriedade de bens mediante buscas cartorárias. Antes realizadas apenas pessoalmente, na Era Digital essas tarefas podem ser realizadas via Internet.

 

O objetivo principal do Analista de Inteligência é identificar Atores (pessoas ou organizações) que colocam em risco o patrimônio da empresa cliente, encontrar pessoas que desaparecem para não pagar dívidas, localizar bens de devedores e desvendar esquemas de blindagem patrimonial.

É dar suporte a empresas e grandes credores para evitar prejuízos ou recuperar valores desviados de fraudes.

 

Riscos da Franquia de Consultoria de Inteligência & Investigações Corporativas 

 

Não seriamos justos nem tampouco demonstraríamos especialização em consultoria de risco se não revelássemos os riscos do negócio “Franquia de Consultoria de Inteligência & Investigações Corporativas“.

Toda oportunidade de negócio tem risco econômico e político.

Aqui vão os riscos dessa oportunidade de negócio:

 

Dificuldade de vender serviços de Inteligência.

Serviços de Inteligência & Investigações Corporativas são estratégicos, portanto, apesar de importantes não são contratados de forma rotineira. A contratação depende de um tomador de decisão ou influenciador.

Chegar até eles, geralmente donos de empresas, diretores jurídicos, diretores financeiros e advogados, requer disposição para abordá-los com e-mails, telefonemas e visitas pessoais.

Nem todo Franqueado têm perfil para o marketing e força-de-vendas como disciplina, pró-atividade e desinibição, importantíssimos em qualquer negócio, principalmente naqueles que a agência Franqueada não pode pagar serviços de prospecção de clientes.

O empreendedor individual cuidará ele próprio da prospecção de clientes, daí a importância de ter bom relacionamento com advogados bem-sucedidos e diretores jurídicos ou ser bom Vendedor;

 

Mercado altamente flutuante e ciclo de venda longo.

Serviços de Consultoria têm demanda flutuante e ciclo de venda muito longo.

Como qualquer serviço importante porém não emergencial e elevado valor econômico, as vendas mais caras podem demorar até 6 meses para acontecer, desde a data do primeiro contato até o pagamento da primeira fatura.

Importante manter contato com vários Compradores e Influenciadores, entregar o maior número de Propostas de Serviço que puder; e ter resiliência para transformar dúvidas comuns em uma oportunidade de negócio. E ter sabedoria para não depender de cliente algum.

Dica: Sempre busque novas oportunidades de negócios;

 

Concorrência feroz.

A concorrência é acirrada porque o mercado da indústria da Inteligência lida com ativos intangíveis (informação, inteligência e conhecimento), portanto, não tem barreiras de entrada.

Qualquer um pode ser seu concorrente. Profissionais de Inteligência, Consultores, Advogados, Detetives, Analistas de Sistemas e startups diversas com tecnologia disruptiva se especializam na coleta de dados e informações para tomar fatias cada vez maiores do mercado da Inteligência privada.

E porque agências estrangeiras invadiram o mercado nacional em busca dessas mesmas oportunidades.

As principais concorrentes são Pinkerton do Brasil Ltda., Kroll Associates Brasil Ltda., Control Risks do Brasil Ltda., ICTS Global Ltda. e até as Big Four Ernst & Young Auditores Independentes, KPMG Auditores Independentes, Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes e PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes (PwC);

 

Risco político.

Atividade de Inteligência é para pessoas sérias e ousadas que não se intimidam facilmente com espiões industriais, estelionatários, criminosos do colarinho branco e corruptos diversos.

Eles podem retaliar se descobrir que você está ajudando a empresa vítima a se proteger deles ou desvendar seu esquema de fraude ou localizar bens para recuperação de ativos.

O negócio “Inteligência” também exige ação e resolução do profissional diante da dificuldade de acesso aos tomadores de decisão e influenciadores para a promoção de novos negócios.

 

Segue abaixo um resumo da Circular de Oferta de Franquia de Consultoria de Inteligência & Investigações Corporativas e a estimativa de investimentos para começar seu próprio negócio, com ajuda de uma empresa de mais de uma década de experiência, a Montax Inteligência!

 

 

MONTAX INTELIGÊNCIA

FRANQUIA PARA O FRANQUEADO (MEI/EIRELI) REALIZAR PESSOALMENTE AÇÕES DE MARKETING & VENDAS E EXECUTAR ATIVIDADE DE INTELIGÊNCIA & INVESTIGAÇÕES, SEM EXCLUSIVIDADE NEM RESTRIÇÃO GEOGRÁFICA, MEDIANTE SUPORTE ONLINE DE ADMINISTRAÇÃO & FINANÇAS.

TIPO DE NEGÓCIO
SERVIÇOS DE INTELIGÊNCIA & INVESTIGAÇÕES

Fundação

2009

Ativos Intangíveis

(o que você vai usar)

Marcas Registradas Montax Inteligência e Montax

Domínio de Internet www.montaxbrasil.com.br

Site proprietário com boa posição no Google

Know-how de Marketing & Vendas (captação de clientes);

Know-how de Inteligência & Investigações Corporativas, inclusive o Manual de Inteligência Financeira & Investigação Empresarial – Briefing Secreto de Pesquisa de Bens e Recuperação de Ativos;

Design de propostas de serviço;

Design de Relatórios de Inteligência;

Know-how de Administração & Finanças (economia de tributos e despesas operacionais);

Proposições de Valor

(Benefícios)

Franquia diferente; Franquia barata; Microfranquia; Baixo investimento; Baixas despesas operacionais (home office); Risco mínimo; Horário flexível; Treinamento (briefings); Material Classe A; Suporte;

Taxa de Franquia R$ 12 mil
Taxa de Royalties 10% da Receita Bruta
Despesas de Instalação Aproximadamente R$ 7 mil (vide tabela)
Capital de Giro R$ 1 mil mensais (em média) + despesas do estilo-de-vida do candidato
Taxa de Propaganda 50% dos anúncios regionais de Internet
Estimativa de Faturamento R$ 4 mil mensais
Retorno do investimento Prazo de 18 meses (estimativa)
Unidades próprias 01 (sede)
Unidades de Franqueadas 00
Estratégia de expansão Todas as capitais do Brasil
Empregados 00 (Franqueado executa pessoalmente)
Início da Franquia Ainda não há Franqueados
CEO Fundador Marcelo Carvalho de Montalvão
Área (m²) 15m² (em média)
Prazo do Contrato 60 meses
Razão Social Montax Inteligência de Crédito e Cobrança Ltda.
Website www.montaxbrasil.com.br
Endereço Rio de Janeiro -RJ, Rua Figueiredo Magalhães, 387/801 – Copacabana – CEP: 22031-011
E-mail montax@montaxbrasil.com.br
Telefones

(21) 2143-6516 e 99682-0489

 

Investimentos da Circular de Oferta de Franquia (COF)

 

Taxa de Franquia R$ 12 mil
Taxa de Royalties 10% da Receita Bruta
Taxa de Propaganda R$ 100,00/Mês (em média)
Notebook + Scanner R$ 2,3 mil (Samsung Dual Core 4GB 500GB + HP Scanjet G2410)
Smartphone R$ 1.400,00 (ASUS Zenfone Max Pro (M2) 4GB 64GB)
Capital de giro R$ 900,00 (variável)
Sobrevivência Variável, depende do padrão e estilo-de-vida do sócio da Franqueada
Uniforme (terno-e-gravata) R$ 900,00 (variável)
Internet/Telefonia R$ 200,00 mensais (em média)
Contabilidade Aproximadamente R$ 99,00 mensais (EIRELI-ME ou MEI)
Seguro R$ 99,00/Mês (em média)
Certificado digital (A1) R$ 240,00/Ano (em média)
Papelaria R$ 50,00/Mês (em média)
Registro na ABRAIC R$ 180,00/Ano (opcional)
TOTAL Aproximadamente R$ 19 mil

 

Franquia de Consultoria de Inteligência & Investigações Corporativas é uma excelente oportunidade de negócio.

 

Empreender com a Montax Inteligência é um excelente oportunidade porque reduz o risco de fracasso, apesar do baixo investimento.

Por meio da Franquia de Consultoria de Inteligência & Investigações Corporativas, você se tornará um Analista de Inteligência para empreender no mercado de informações. E sua Agência de Inteligência Franqueada pode se tornar uma referência de suporte aos departamentos jurídicos da sua região.

80% dos casos envolve Pesquisa de Bens para a localização de ativos financeiros, quer porque comprovam fraude corporativa interna, quer porque a informação patrimonial ajuda departamentos jurídicos e escritórios de advocacia a terem sucesso nas ações de cobrança e Execução de dívidas. O Analista de Inteligência recebe adiantamentos ($) pela tarefa de investigação de ativos e às vezes comissão (%) pela efetiva recuperação dos créditos pelo cliente.

Ao contrário da França, onde existe uma faculdade de Inteligência privada, a Escola de Guerra Econômica (EGE), bem como uma empresa estatal de Inteligência, a Agência Para Difusão da Informação Tecnológica (L’ADIT), no Brasil não existe nem faculdade nem estatal e de grande porte de Inteligência.

Se quiser aprender Inteligência, terá que frequentar escolas militares que só admitem militares e profissionais com credenciais e indicações, com custo elevadíssimo.

E, mesmo assim, aprenderá a Atividade de Inteligência, o que não garante sucesso no mundo dos negócios porque depende de coragem, disciplina, sorte e ações de Marketing & Vendas, além de finanças.

Com a Montax Inteligência você aprenderá tudo ao mesmo tempo e encurtará caminho porque contará com todo nosso suporte, tecnologia e know-how para empreender e desenvolver seu negócio e atingir grandes resultados.

 

Estagiários de Direito, Paralegais, Assistentes jurídicos e Detetives querem empreender com maior assertividade

 

Estagiários de Direito, Paralegais, Assistentes jurídicos e Detetives ou mesmo Advogados e Contadores acostumados com demandas de informação e documentação de departamentos jurídicos e escritórios de advocacia querem deixar a rotina estressante e direitos da CLT para empreender com serviços que já sabem prestar e vender para clientes que já conhecem, diretores jurídicos e advogados.

Essa tendência é impulsionada pelo aumento do número de Advogados e, consequentemente, da demanda de serviços de Paralegais e de informação estratégica para o sucesso das ações judiciais, como provas e documentos. E pela falência da Justiça Pública do Brasil e ineficácia de seus sistemas de buscas de bens do devedor.

O trabalho do Analista de Inteligência começa a fazer sentido para credores e seus Advogados que precisam encontrar ativos financeiros ou provas de fraude à execução, “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores.

Além de acessar informações, documentos e provas necessárias ao sucesso de uma ação judicial, o Estagiário ou Paralegal ou Assistente jurídico que decidiu empreender com a Montax Inteligência já terá como Vantagem Competitiva o conhecimento do mercado jurídico e um bom relacionamento com Compradores dos serviços de Inteligência, os Advogados, diretores jurídicos e de compliance.

Montax Inteligência entrega benefícios excelentes mesmo àqueles Analistas Franqueados que optaram não realizar eles mesmos os serviços de Inteligência & Investigações. Franqueados recebem comissão de 10% (dez por cento) apenas pela indicação do cliente. Não precisará fazer mais nada se não quiser. Em alguns meses, o Franqueado pode receber até R$ 5 mil mensais de comissão apenas pela prospecção de clientes e indicação dos Serviços profissionais da Franqueadora, pelo prazo do contrato de Franquia.

Mas, se você não tem ambição ou não está seriamente comprometido com a ideia de empreender, por favor, não nos procure. Somos homens e mulheres de negócios, não psicólogos, e não queremos perder tempo tentando convencê-lo(a).

 


Quer ser um Analista de Inteligência? 


Faça parte de uma Franquia de Consultoria de Inteligência & Investigações Corporativas!
Envie um e-mail para montax@montaxbrasil.com.br com o Assunto
Quero ser Analista de Inteligência

 




 

SOBRE O AUTOR

Marcelo Carvalho de Montalvão é diretor da Montax Inteligência, franquia de Inteligência & Investigações que já auxiliou centenas de escritórios de advocacia e departamentos jurídicos de empresas como Cyrela, LG Eletronics, Localiza Rent A Car, Sara Lee, Kellog, CWA Consultores, Geowellex, Sonangol Oil & Gas, Chinatex Grains and Oils, Generali Seguros, Estre Ambiental, Magneti Marelli, Banco Pan, BTG Pactual, Banco Alfa, W3 Engenharia e muitas outras marcas.

Advogado criminalista especialista em Direito Penal Econômico e crimes financeiros como fraude à execução, “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores e engenharia reversa da blindagem patrimonial para a solução de fraudes milionárias.

Autor do livro “Inteligência & Indústria – Espionagem e Contraespionagem Corporativa” e do “Manual de Inteligência – Busca de Ativos & Investigações” comentados AQUI.

Conecte-se com Marcelo no LinkedIn

Ouça o Marcelo no YouTube

 

 

 

 

 

 

Due Diligence | Pesquisa de Bens | Investigação Empresarial | Compliance Intelligence

Rio de Janeiro – RJ

Rua Figueiredo Magalhães, 387/801 – Copacabana – CEP: 22031-011

Telefone + 55 (21) 2143-6516

WhatsApp +55 (21) 99682-0489

E-mail montax@montaxbrasil.com.br

www.montaxbrasil.com.br 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Montax Inteligência de Crédito e Cobrança Ltda.
CNPJ 11.028.620/0001-55
Copyright © 2009

Manuais de Inteligência Militar do Exército, Inteligência de Estado (Governo) e até de Inteligência Financeira do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) para a busca de ativos financeiros desviados de corrupção podem ser encontrados de graça na Internet.

 

Aprenda Atividade de Inteligência com um livro sobre Inteligência, Espionagem, Busca de Bens & Investigação, Manuais Especiais.

 

Para compreender seu mercado, descobrir os segredos da concorrência e localizar pessoas e bens para a recuperação de créditos, você precisa ler manuais de Inteligência, investigações e busca de bens desenvolvidos por profissionais de Inteligência privada.

“Manuais de Inteligência de Estado são muito científicos e genéricos porque seus autores não podem revelar todos os segredos de Estado nem tampouco cobrar por eles, logo, não compartilharão conhecimento a troco de nada e com risco de desligamento. Manuais de Inteligência da iniciativa privada são mais úteis porque vão direto ao ponto e  ajudam naquilo que realmente importa, o lucro”.
Marcelo Carvalho de Montalvão, diretor
MONTAX INTELIGÊNCIA

Aprendendo Inteligência com Livros de Espionagem e Manuais de Inteligência Empresarial e Inteligência Financeira para Pesquisa de Bens, Investigação de Lavagem de Dinheiro e Recuperação de Ativos

Montax Inteligência desenvolveu 3 manuais de Atividade de Inteligência privada, um livro sobre Inteligência de Estado (Espionagem) e Inteligência Empresarial e outro sobre Busca de Bens & Investigação. São manuais especiais para estudo e aplicação prática da Atividade de Inteligência, seja de Estado, Militar ou Competitiva (Empresarial) e investigações corporativas como identificação de fraudadores, conflito de interesses e busca de bens “lavados” ou ocultados, para identificação e recuperação de ativos.

O primeiro é o eBook “Inteligência & Indústria – Espionagem e Contraespionagem Corporativa“, o segundo é o “ATIVIDADE DE INTELIGÊNCIA – Inteligência de Estado e Inteligência Militar Clássicas” e o terceiro o “Manual de Inteligência Financeira & Investigações Empresariais – Briefing Secreto de Pesquisa de Bens e Recuperação de Ativos” (imagem acima).

 

Nos orgulhamos bastante de ambos os manuais de Inteligência porque ajudaram gerações de profissionais de Inteligência como Agentes secretos e Diplomatas, Detetives particulares e Investigadores de fraudes corporativas.

 

Um livro sobre Inteligência e manuais de espionagem e investigação fornece pode fornecer insights a diretores na formulação da estratégia de negócios, auxiliam diretores jurídicos e advogados com a busca de bens e ajudam profissionais de Governança, Risco e Compliance com due diligence de terceiros e background checks de candidatos a vagas de emprego.

 

A seguir, detalhes de cada um deles.



#1 – LIVRO DIGITAL “INTELIGÊNCIA & INDÚSTRIA – ESPIONAGEM E CONTRAESPIONAGEM CORPORATIVA

 

O livro digital (eBook) “Inteligência & Indústria – Espionagem e Contraespionagem Corporativa” é o mais completo livro sobre inteligência, espionagem militar e industrial já publicado no Brasil.É um Manual de Guerra Econômica a partir de conceitos da Inteligência Militar e Inteligência Competitiva (IC). Ideal para obter uma noção geral acerca da Atividade de Inteligência.

 

O autor Marcelo Carvalho de Montalvão é Advogado criminalista com 20 anos de experiência em crimes financeiros, 10 deles como diretor de operações da Montax Inteligência, empresa de Inteligência Competitiva (IC) especializada em recuperação de ativos, investigações de fraudes e “lavagem” ou ocultação de bens.

O eBook Inteligência & Indústria – Espionagem e Contraespionagem Corporativa é um livro de inteligência no formato ePub com técnicas de espionagem e desinformação retirados de livros de espionagem, livros de estrategia militar do serviço de inteligência do exército e de inteligência competitiva (empresarial). Nele, você encontrará técnicas para que cada um descubra seus pontos fortes. E um briefing de investigações corporativas e investigação digital em fontes abertas de Inteligência (OSINT) útil à solução de fraude patrimonial e recuperação de ativos financeiros. Um manual de espionagem, investigação criminal e operações de inteligência. Decidimos escrever Inteligência & Indústria influenciados pelo livro sobre inteligencia empresarial Os Segredos da Inteligência Competitiva – Os Sentidos do Lobo, do Coronel Francisco José Fonseca de Medeiros (não confundir com “Os Segredos do Lobo”, de Jordan Belfort). Um manual de inteligência e investigações além das pesquisas em cartório em Copacabana, sede da Montax Inteligência.
Os conceitos do livro Inteligência & Indústria – Espionagem e Contraespionagem Corporativa podem ser aplicados tanto na Inteligência de Estado quando na Inteligência Empresarial, e pode ser compreendido por cidadão de qualquer país lusófono como Portugal, Brasil, Guiné-Bissau, Moçambique, Angola, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Macau, Timor-Leste e Índia Portuguesa (Goa, Damão e Diu).
Segue o Índice do livro de inteligência com os assuntos que encontrará no eBook INTELIGÊNCIA & INDÚSTRIA – Espionagem e Contraespionagem Corporativa:

APRESENTAÇÃO

PARTE I – ATIVIDADE DE INTELIGÊNCIA
Capítulo 01– O que é Inteligência?
Capítulo 02 – Sun Tzu, o pai da espionagem
Capítulo 03 – História da Inteligência
Capítulo 04 – Maquiavel e a teoria das razões de Estado
Capítulo 05 –Clausewitz e oCentro de Gravidade do exército inimigo
Capítulo 06– Alvo de busca (escopo) da Inteligência
Capítulo 07 – Principais agências de Inteligência do mundo
Capítulo 08 – Inteligência de Estado
Capítulo 09– Inteligência militar
Capítulo 10 – Inteligênciaem tempos de guerra
Capítulo 11 – Espionagem econômica e industrial
Capítulo 12– Contrainteligência, desinformação e sabotagem
Capítulo 13 – Espionagem política e social (ameaças internas)
Capítulo 14 – Fontes de Inteligência
Capítulo 15 – HUMINT (Human Intelligence) ou Fontes humanas de Inteligência
Capítulo 16 – OSINT (Open Source Intelligence) ou Fontes abertas de Inteligência
Capítulo 17 – IMINT (Imagery Intelligence) ou Inteligência de imagens
Capítulo 18– COMINT (Communications Intelligence) ou Inteligência de comunicações
Capítulo 19 – SIGINT (Signals Intelligence) ou Inteligência de sinais
Capítulo 20– Etapas do processo de Inteligência:Acesso,Análise,ClassificaçãoeComunicação
Capítulo 21 – Propaganda e operações psico-informativas
Capítulo 22 – Modelo mental (mentalidade)
Capítulo 23 – Estudo de Cenários e Plano de contingência (PLANCON)
Capítulo 24– Legislação e indústria da informação no Brasil
PARTE II – INTELIGÊNCIA COMPETITIVA(IC)
Capítulo 25 – Introdução acerca da Inteligência econômica
Capítulo 26– Caravelas, tear mecânico,iPhonee outras inovações surpreendentes
Capítulo 27 – Allan Pinkerton e o serviço secreto aplicado à indústria
Capítulo 28 – Michael Porter, o pai da Inteligência Competitiva
Capítulo 29 – Definição de Inteligência Competitiva (IC)
Capítulo 30 – Alvo de busca (escopo) da Inteligência Competitiva
Capítulo 31 – Análise SWOT
Capítulo 32 – Ameaças externas
Capítulo 33 – Contrainteligência competitiva
Capítulo 34 – Business Intelligence(BI) ou Inteligência de negócios
Capítulo 35 – Inteligência CompetitivaversusEspionagem corporativa
Capítulo 36 – Implementação de um sistema de Inteligência Competitiva (IC)
Capítulo 37 –Contraespionagem Corporativa
Apêndice –Polvo, animal símbolo da Inteligência
ANEXO I – Modelo simples de Análise SWOT
ANEXO II – Briefingde implementação de um sistema de Inteligência Competitiva (IC)
ANEXO III – Manual de Contraespionagem Corporativa
ANEXO IV – Modelo Sumário de Relatório de Inteligência
BIBLIOGRAFIA
DEPOIMENTOS ACERCA DO LIVRO

“Indico para estudantes e praticantes da Atividade de Inteligência, seja ela voltada para a competitividade, seja voltada para a defesa do Estado […] Oportunidade de exercer, em melhores condições, as suas funções de analista de Inteligência e assessor de alto nível para os tomadores de decisão. É gratificante ler uma obra e sentir que não perdeu tempo e dinheiro. O seu livro tem conteúdo utilizável e será favorável para tantos jovens que são destinados para a área de Inteligência de uma empresa e não sabem nem como começar”.

 

 

 

 

 

 

Professor Francisco José Fonseca de Medeiros, Coronel da Reserva do Exército e autor de “Os Sentidos do Lobo – Os Segredos da Inteligência Competitiva”.

 

Para mais detalhes e acessar o índice do livro sobre Inteligência & Indústria, clique AQUI.

#2 – LIVRO DIGITAL “ATIVIDADE DE INTELIGÊNCIA – Inteligência de Estado e Inteligência Militar Clássicas

O livro digital (eBook) “ATIVIDADE DE INTELIGÊNCIA – Inteligência de Estado e Inteligência Militar Clássicas” é exclusivamente sobre espionagem de Estado e espionagem militar.É a primeira parte do livro “Inteligência & Indústria – Espionagem e Contraespionagem Corporativa“, mais voltada para pesquisadores, agentes públicos civis e militares da Atividade de Inteligência clássica e estudantes de relações internacionais, direito etc.

 

É um livro sobre Inteligência governamental, livro de Espionagem do Estado.

Um manual de espionagem e contraespionagem para auxiliar na formulação da estratégia de Estado.

O livro ATIVIDADE DE INTELIGÊNCIA – Inteligência de Estado e Inteligência Militar Clássicas é um Manual de Inteligência de Estado e Inteligência Militar ideal para Analistas da ABIN, Agentes do Departamento de Polícia Federal, profissionais de Relações Exteriores e de Inteligência governamental.
Os conceitos do livro ATIVIDADE DE INTELIGÊNCIA – Inteligência de Estado e Inteligência Militar Clássicas também podem ser aplicados à Inteligência Empresarial, desde que com bom-senso e guardadas as devidas proporções, afinal, não existem limites para a proteção do Estado (em uma Guerra, quem respeita Tratados e Convenções Internacionais?).
O livro ATIVIDADE DE INTELIGÊNCIA – Inteligência de Estado e Inteligência Militar Clássicas pode ser compreendido por cidadão de qualquer país lusófono como Portugal, Brasil, Guiné-Bissau, Moçambique, Angola, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Macau, Timor-Leste e Índia Portuguesa (Goa, Damão e Diu).

#3- MANUAL DE INTELIGÊNCIA FINANCEIRA & INVESTIGAÇÃO EMPRESARIAL – BRIEFING SECRETO DE PESQUISA DE BENS E RECUPERAÇÃO DE ATIVOS


O “Manual de Inteligência Financeira & Investigação Empresarial – Briefing Secreto de Pesquisa de Bens e Recuperação de Ativos” é um guia prático de solução de crimes de fraude à execução“lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores.

 

Ideal para Advogados de cobranças milionárias e Advogados criminalistas, o “Manual de Inteligência Financeira & Investigações Empresariais” ajuda profissionais da lei, contabilidade e finanças com técnicas comprovadamente eficazes de localização de empresas, pessoas e bens para a e recuperação de ativos. Ele tem 20 páginas com dicas fantásticas para você “restartar” seu cérebro e reiniciar suas buscas com base em novas premissas, com um novo modelo mental: A mentalidade da Atividade de Inteligência.

 

Com o “Manual de Inteligência – Busca de Ativos & Investigações” qualquer usuário “pesado” de Internet consegue descobrir onde estão os grandes devedores e onde e como escondem seus bens.

 

E quem são os Atores (pessoas ou organizações) usados na “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores, ou seja, quem são seus “laranjas” e qual é sua Holding Patrimonial…

 

O “Manual de Inteligência Financeira & Investigações Empresariais” contém um Briefing de identificação e localização de bens da Montax Inteligência, portanto, você não está comprando um simples livro de Inteligência, mas, um material rico utilizado no treinamento dos Analistas da Montax.

 

Montax está compartilhando know-how por um preço muito mais baixo que o de um Relatório de Inteligência Financeira simples.

 

Esse manual auxiliará diretores jurídicos e advogados na busca de bens, na localização de ativos financeiros e busca de provas úteis em processos judiciais.

Quer aprender Inteligência Financeira para Pesquisa de Bens & Recuperação de Ativos?
E realizar Investigação de “lavagem” de dinheiro e ocultação de bens no Brasil e nos Estados Unidos da América (EUA)?
E Due Diligence da Política de PLDFT da Instrução (CVM) 617/2019?
Você pode ter acesso ao nosso Briefing, um roteiro de pesquisa de bens e investigação de “lavagem” de dinheiro e ocultação de bens, com vários links de consulta a sistemas informatizados e bancos de dados públicos do Brasil e dos EUA, ideal para Advogados de cobrança e execução, profissionais de Inteligência, Investigadores de fraudes corporativas, Auditores e Detetives.
Além do Briefing, listamos aproximadamente outros 10 (dez) sistemas de busca de bens na Justiça além dos já conhecidos Bacen Jud, Renajud e Infojud.
Com o “Manual de Inteligência Financeira & Investigação Empresarial – Briefing Secreto de Pesquisa de Bens e Recuperação de Ativos” você aprenderá técnicas de espionagem absolutamente legais de busca de bens para ter sucesso em suas ações de recuperação de ativos.
Ele foi produzido com parte do nosso Briefing secreto e contém 5 Capítulos e 1 bônus especial, no caso

Introdução

 Capítulo 1 – Técnicas de Espionagem Fáceis e Absolutamente Legais

Capítulo 2 – Como Usar Inteligência na Busca de Ativos

Capítulo 3 – Definições de Ativos Financeiros

Capítulo 4 – Briefing Secreto de Pesquisa de Bens & Recuperação de Ativos no Brasil e nos EUA

Capítulo 5 – Cartórios: Em quais, onde e como pesquisar?

BÔNUS ESPECIAL – Sistemas de Busca de Bens na Justiça 

 

Você pode adquirir o “Manual de Inteligência Financeira & Investigação Empresarial – Briefing Secreto de Pesquisa de Bens e Recuperação de Ativos” agora clicando AQUI.

O bônus especial tem ao menos 13 sistemas que um advogado pode pedir ao juiz para consulta de ativos financeiros ou mesmo penhora de bens… Isso se não encontrar nada com nosso Briefing, o que é muito, muito pouco provável…

 

Não sabe o que é fraude à execução e “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores?

 

Leia nossos artigos

Como Fazer Pesquisa de Bens Para Recuperação de Ativos Financeiros?

Esses manuais são imprescindíveis para você se tornar um excelente profissional de Inteligência. Descubra o que é Atividade de Inteligência com manuais de espionagem e investigação. Pense em novas maneiras de formular sua estratégia de negócios. Realize pesquisa de busca de bens e ajude o departamento de Governança, Risco e Compliance com due diligence de terceiros e background check de candidatos a vagas de emprego.

 

Descubra mais sobre o know-how, metodologia e tecnologia da Montax Inteligência AQUI.

www.montaxbrasil.com.br         Whatsapp (21) 99682-0489      E-mail montax@montaxbrasil.com.br

Empresa com 10 anos – Profissionais com 20 anos de experiência – Atendemos em todo o Brasil!

Busca de bens • Localização pessoal e patrimonial • Estratégias de recuperação de ativos • Busca de provas de crimes

 

 

Para receber uma proposta comercial e técnica, sem compromisso, informe:

a) CNPJ/CPF das pessoas de interesse;

b) Quantia que pretende recuperar.

 

Ou preencha este formulário!

English version

 

Chega de espionagem do governo e investigações da polícia! O assunto agora é “Inteligência Empresarial“, “Espionagem Industrial” e “Investigações corporativas“, temas bem menos explorados pelo cinema que a espionagem governamental clássica.

espionagem industrial é tão comum no meio corporativo quanto fofocas de corredor. A espionagem corporativa é um aspecto marcante da inteligência empresarial e da guerra econômica, guerra que ninguém vê, ninguém fala. Como se não existisse.

Sexo, síndromes e psicopatias são o pano-de-fundo de tramas sobre ambição, dinheiro e poder.

Alguns roteiros contaram com a consultoria de profissionais de Inteligência empresarial ou de detetive particular.

Analisados do ponto-de-vista de profissionais de Inteligência empresarial ou detetive particular, esses filmes chamam a atenção para estratégias dos profissionais de Inteligência privada consultados pelos tomadores de decisão das companhias. E também mostram materiais práticos, equipamentos e técnicas de espionagem industrial de detetives particulares e jornalistas investigativos.

 

Como profissional da Inteligência empresarial ou detetive particular você ganha pelos resultados. Assistir filmes sobre Inteligência empresarial e espionagem industrial vai ajudá-lo a ter insights para proteger seu negócio, afinal, o orçamento está cada vez menor e a cobrança por resultados, maior. Você precisa conhecer não só o mercado mas os planos da concorrência.

 

Confira!

Clique no título do filme e veja o trailer oficial de cada um.

Inteligência empresarialespionagem industrial e investigações corporativas como você nunca viu.

 

1- Millennium: Os Homens Que Não Amavam as Mulheres

 

No filme de título original “The Girl With The Dragon Tattoo” (imagem destacada acima), o editor da revista de jornalismo investigativo Millennium (Daniel Graig) é contratado como detetive particular de um magnata para localizar sua sobrinha que desapareceu na adolescência. Além de dinheiro, receberá como pagamento informações sensíveis acerca de seu adversário: Um empresário que se sentiu ofendido por sua reportagem, processou a revista por difamação e ganhou indenização milionária. Precisando de uma assistente para checar os antecedentes dos familiares da jovem desaparecida, o jornalista investigativo recruta a hacker que levantou informações sobre ele próprio para a empresa de Inteligência empresarial a serviço do magnata. Ou seja, o detetive particular contratou quem havia realizado seu background check porque gostou do relatório. Uma analista problemática e muito inteligente (Rooney Mara), a garota com a tatuagem de dragão. Esse é o primeiro da lista porque combina inteligência empresarialespionagem industrial e investigações corporativas com arquivismo, jornalismo investigativo e sistemas informatizados.

 

Transtorno de Personalidade Antissocial (TPA), no caso a psicopatia que levava homens da mesma família a matar mulheres, é o pano-de-fundo de uma história sobre jornalismo investigativo, assassinato de reputação e outras operações psicológicas típicas da Atividade de Inteligência empresarial retratadas no filme Millennium

 

2- O Fim da Escuridão

 

Thomas Craven (Mel Gibson) é um policial aposentado que fica em estado de choque ao ver sua filha ser assassinada, a engenheira nuclear Emma Craven (Bojana Novakovic). A polícia suspeita que o alvo do tentado era o ex-policial porque, antes de atirar, o assassino mascarado grita “Craven”. Nos ambientes corporativos dos EUA as damas também são chamadas pelo sobrenome. O detetive aposentado recebe ajuda de um profissional de inteligência empresarial e espionagem industrial arrependido (Ray Winstone), contratado pelos assassinos da engenheira nuclear para ações de despistamento e “dar fim” à busca de provas. Ele alerta o pai da vítima acerca dos perigos dessa investigação privada. Sua filha trabalhava para a indústria bélica nuclear e ameaçou revelar segredos de políticos e industriais. Um drama excelente. Um filme triste e lindo sobre o poder das corporações.

 

O personagem mais misterioso de O Fim da Escuridão é justamente o profissional de Inteligência empresarial, que muda de opinião ao confrontar os interesses de políticos e industriais corruptos com os de vítimas honestas das corporações.

 

3- Conexão Perigosa


Não gosta de filmes “cabeça”? Então vai gostar de Conexão Perigosa. É a história de um jovem e ambicioso perito em tecnologia (Liam Hemsworth) que foi demitido após cometer um erro e seu chefe (Gary Oldman) propõe que ele pague o prejuízo com uma ação de espionagem industrial: Roubar segredos comerciais da empresa concorrente do seu antigo mestre e gênio de sua indústria (Harrison Ford). Para a missão de inteligência empresarial e espionagem corporativa, o jovem pobre do subúrbio de Nova Iorque precisa se reinventar, parecer sofisticado e rico. O filme aborda aspectos da guerra econômica, às vezes mais secreta e violenta que imaginamos.

 

Conexão Perigosa explora conflitos entre os envolvidos em espionagem industrial e a tensão entre ricos e pobres de Nova Iorque.

 

 

Quer realizar Pesquisa de Bens & Investigação? 

Preencha este formulário!

 

 

4- Duplicidade

 

Assim como 80% dos profissionais de Inteligência privada têm origem na Inteligência de Estado, Claire Stenwick (Julia Roberts) e Ray Koval (Clive Owen) são ex-agentes secretos do governo a serviço da CIA (EUA) e MI-6 (Reino Unido), respectivamente, que agora trabalham com inteligência empresarialespionagem industrial e investigações corporativas. Como antigos espiões governamentais, eles se conhecem. Mas, agora que trabalham para a iniciativa privada são rivais que se encontraram “fortuitamente” em um caso de inteligência empresarial espionagem industrial. Ambos têm como missão encontrar a fórmula química de um cosmético para seus respectivos clientes, o que renderá uma fortuna à corporação que patenteá-la primeiro. Comédia romântica da espionagem industrial.

 

O filme Duplicidade é uma comédia romântica sobre espionagem industrial.

 

5- Agnosia

 

Todo mundo que gosta de espionagem industrial assistiu “A Origem” com Leonardo de DiCaprio, sobre roubo de segredos industriais por meio do acesso à mente de um industrial. Porém, no mesmo ano foi lançado um filme espanhol de tema parecido, “Agnosia”. A bela Joana Prats (Bárbara Goenaga) sofre de uma disfunção neuropsicológica chamada agnosia. A doença mental afeta a percepção pela perda ou deterioração da capacidade para reconhecer ou identificar objetos apesar de manterem a função sensorial intacta (visão, audição e tato). Psicanálise e psiquiatria são temas de uma conspiração de espionagem industrial, o roubo de segredos comerciais da indústria de telescópicos para armas no século XIX. Ao invés de “invadir” a mente, em Agnosia a intenção é mostrar como a mente pode ser “seduzida”.

 

Em neuropsicopatia, agnosia é um tipo de amnésia perceptiva que consiste na incapacidade de reconhecer os objetos ou os símbolos usuais, sem perturbação das sensações em geral. Espionagem industrial do início da Era Industrial.

 

6- Espionagem na Rede

 

O filme francês do início de 2002 é um cyber-thriller com atrizes europeias e japonesas lindas e trilha sonora fantástica, o rock e tecno da década de 1990. O filme aborda um tema da moda durante a “bolha” da Internet, as empresas de Tecnologia da Informação (TI). Diane (Connie Nielsen) do Grupo Volf francês é encarregada da due diligence acerca da TokyoAnime, empresa de desenhos animados pronográficos japoneses. As empresas Mangatronics e Demonlover – “Amante demoníaco”, título original do filme – disputam os direitos de distribuição dos animes pornôs 3D pela Internet. Enquanto conversa com os parceiros japoneses, a espiã industrial francesa monitora seus concorrentes americanos da Demonlover para a Mangatronics. Os diálogos, estética e fotografia são muito diferentes dos blockbusters estadunidenses. E o eixo econômico-tecnológico do filme são Paris e Tóquio. Anticonservadorista, além das cenas de sexo o filme trata a indústria da pornografia digital como digna de elevados investimentos em espionagem industrial.

 

Espionagem na Rede aborda a espionagem na indústria de animes pornográficos infanto-juvenis, desenhos animados 3D japoneses com histórias de sexo e violência comercializados online

 

 

7- Wall Street, Poder e Cobiça

 

O filme de 1987 aborda uma das fraudes corporativas mais sofisticadas e difíceis de comprovar, a informação privilegiada. Conhecida como insider trading, nada mais é que o vazamento de informações sensíveis sobre uma companhia que podem favorecer investidores acerca do melhor momento de compra ou venda de ações. Bud Fox (Charlie Sheen) faz o papel do jovem e ambicioso corretor da bolsa que vira discípulo do bilionário Gordon Gekko (Michael Douglas) depois de contar que (Martin Sheen) era líder sindical e tinha informado a Blue Star, a companhia aérea onde trabalhava, havia vencido uma causa importante e suas ações iriam “subir”.

 

Muitos investidores são bem sucedidos porque partem de premissas pouco ortodoxas de análise de oportunidade de investimento e fontes internas das companhias, crime de informação privilegiada.

 

O eBook Inteligência & Indústria – Espionagem e Contraespionagem Corporativa é um livro de inteligência no formato ePub com técnicas de espionagem e desinformação retirados de livros de espionagem, livros de estrategia militar do serviço de inteligência do exército e de inteligência competitiva (empresarial). Nele, você encontrará técnicas para que cada um descubra seus pontos fortes. E um briefing de investigações corporativas e investigação digital em fontes abertas de Inteligência (OSINT) útil à solução de fraude patrimonial e recuperação de ativos financeiros. Um manual de espionagem, investigação criminal e operações de inteligência. Decidimos escrever Inteligência & Indústria influenciados pelo livro sobre inteligencia empresarial Os Segredos da Inteligência Competitiva – Os Sentidos do Lobo, do Coronel Francisco José Fonseca de Medeiros (não confundir com “Os Segredos do Lobo”, de Jordan Belfort). Um manual de inteligência e investigações além de simples pesquisas em cartório em Copacabana, sede da Montax Inteligência.

Conheça nosso método e Manual de Due Diligence de Busca de Bens, Compliance Anti Lavagem de Dinheiro e Recuperação de Ativos clicando AQUI

 

 

 

SOBRE O AUTOR

Marcelo Carvalho de Montalvão é diretor da Montax Inteligência, franquia de Inteligência & Investigações que já auxiliou centenas de escritórios de advocacia e departamentos jurídicos de empresas como Cyrela, LG Eletronics, Localiza Rent A Car, Sara Lee, Kellog, Tereos, Todeschini, Sonangol Oil & Gas, Chinatex Grains and Oils, Generali Seguros, Estre Ambiental, Magneti Marelli, Banco Pan, BTG Pactual, Banco Alfa, W3 Engenharia, Geowellex e muitas outras marcas.

Especialista em Direito Penal Econômico e solução de crimes financeiros como estelionato (fraude), fraude a credoresfraude à execuçãoevasão de divisas e “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores.

Conecte-se com Marcelo no LinkedIn

Ouça o Marcelo no YouTube

 

 

Due Diligence | Pesquisa de Bens | Investigação Empresarial | Compliance Intelligence

 

 

Rio de Janeiro – RJ

Rua Figueiredo Magalhães, 387/801 – Copacabana – CEP: 22031-011

Telefone + 55 (21) 2143-6516

WhatsApp +55 (21) 99682-0489

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Montax Inteligência de Crédito e Cobrança Ltda.
CNPJ 11.028.620/0001-55
Copyright © 2009

 

O “Programa de Integridade” é um “conjunto de mecanismos e procedimentos internos de integridade, auditoria e incentivo à denúncia de irregularidades e na aplicação efetiva de códigos de ética e de conduta, políticas e diretrizes com objetivo de detectar e sanar desvios, fraudes, irregularidades e atos ilícitos praticados contra a administração pública, nacional ou estrangeira“.

 

Ao menos essa é a definição do Programa de Integridade na lei. A expressão “Programa de Integridade” aparece 14 vezes no Decreto 8.420/2015, que regulamentou a Lei 12.846/2013 (Lei Anticorrupção).

 

Segundo essa regulamentação, caso a empresa acusada de corrupção apresente em sua Defesa provas da existência e do efetivo funcionamento de um “Programa de Integridade”, poderá participar do Acordo de Leniência e ter penalidades menos severas.

 

É o que diz a Lei Anticorrupção.

 

Mas, o que é o “Programa de Integridade”?

 

Segundo o Decreto 8.420/2015, é um “conjunto de mecanismos e procedimentos internos de integridade, auditoria e incentivo à denúncia de irregularidades e na aplicação efetiva de códigos de ética e de conduta, políticas e diretrizes com objetivo de detectar e sanar desvios, fraudes, irregularidades e atos ilícitos praticados contra a administração pública, nacional ou estrangeira“.

 

Além de evitar perdas com fraudes corporativas, esses mecanismos e procedimentos internos vão ajudar sua empresa a evitar multas desnecessárias.

 

Um bom Programa de Integridade varia de acordo com o Objeto Social (atividade econômica) e o porte da companhia, mas, existem mecanismos e procedimentos internos básicos comuns a todas as empresas que pretendem estar em Compliance, em conformidade com a Lei Anticorrupção.

 

De quebra, a empresa vai diminuir perdas com fraudes internas.

 

 

Chief Compliance Officer (CCO), um novo cargo

 

Chief Compliance Officer (CCO) é um cargo novo, criado recentemente, mas, geralmente ocupado por ex-diretores jurídicos ou profissionais de Inteligência & Segurança Empresarial.

 

É do Chief Compliance Officer (CCO) a tarefa de implementar o Programa de Integridade.

 

A partir do orçamento definido pelo CEO ou Conselho de Administração ou comissão específica, o Chief Compliance Officer deve selecionar quais mecanismos e procedimentos internos são fundamentais.

 

O CCO deve também convencer diretores, empregados, clientes, fornecedores e demais stakeholders a aderir ao Programa de Integridade e a colaborar com seus mecanismos e procedimentos internos.

 

Enfim, o CCO deve fazer o Programa de Integridade sair do papel…

 

Tudo isso para mitigação dos riscos e danos em casos de corrupção, fraudes e outras inconformidades, e para poder exercer o direito de Acordo de Leniência e redução do valor das multas, caso necessário.

 

Ninguém espera ter que fazer um Acordo de Leniência ou implorar à redução do valor de uma multa, mas, estamos no Brasil, não na Suíça.

 

Um bom Programa de Integridade vai ajudar sua empresa na Defesa de processos administrativos de agências governamentais do Brasil como o Departamento de Polícia Federal, Receita Federal do Brasil (RFB), Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), Sindicatos e ordens de classe, B3 (BM&FBOVESPA), Comissão de Valores Mobiliários (CVM), às vezes até do exterior como a U.S. Department of Justice e U.S. Securities and Exchange Commission.

 

Seguem os 7 Procedimentos que Montax Considera Essenciais ao Compliance Anticorrupção:

 

#1 – Elaboração e aplicação dos Códigos de Ética e de Conduta

#2 – Verificação de antecedentes de candidatos a vagas de emprego (Background check)

#3 – Devidas diligências para conhecer seu cliente e fornecedor (Due diligence KYC)

#4 – Compliance 360º – Check-up Contábil, Cível, Tributário, Trabalhista e Previdenciário

#5 – Canal de Denúncias e apuração de supostas irregularidades

#6 – Comunicação, treinamento e investigação ininterruptos (Non Stop Compliance)

#7 – Arquivamentos de relatórios de auditoria e autos de processos administrativos

 

Algumas expressões estão em Inglês, porque foi o Império Anglo-estadunidense, consolidado a partir da 2ª Guerra Mundial, com sua experiência em decifrar códigos alemães e proteger pessoa e organizações de ataques inimigos (nazistas, comunistas e agora terroristas) definiu técnicas de Segurança & Contrainteligência e foi pioneiro na legislação anticorrupção e implementação de programas de integridade em empresas no mundo todo.

 

O estopim dessa política econômica foi com o escândalo de fraudes contábeis da Enron Corporation que enganou o mercado e acionistas em 2001 e gerou legislações como a Lei Sarbanes-Oxley de padronização de normas contábeis; a Foreign Account Tax Compliance Act (FATCA) ou Lei de Compliance Tributário Em Conta no Exterior, lei federal estadunidense que obriga pessoas e organizações dos EUA com filiais no exterior a informar à Receita Federal dos EUA todas as receitas e rendimentos obtidos no exterior, bem como a listagem de clientes estadunidenses das companhias, a fim de evitar evasão de divisas, sonegação fiscal e “lavagem” e ocultação de bens, direitos e valores; e a UK Bribery Act ou Lei do Suborno do Reino Unido, considerada “a mais dura legislação anticorrupção no mundo” porque pune com a extinção toda e qualquer organização que tenha qualquer conexão com o Reino Unido por atos de suborno ou corrupção praticados em qualquer lugar do planeta. Apesar de rigorosa, essa lei é de difícil eficácia devido a falta de fiscalização do Reino Unido ao redor do mundo.

 

Americanos e ingleses parecem rigorosos com corruptos… Não entendemos por que ainda existam tantas International Business Companies em Delaware (USA) e Overseas Companies no Reino Unido (leia-se empresas offshore) … Mas, isso é assunto para outro artigo…

 

Preparado para conhecer alguns mecanismos e procedimentos internos do Programa de Integridade da Lei Anticorrupção?

 

Então vamos lá!

 

 

#1 – Elaboração e aplicação dos Códigos de Ética e de Conduta

 

É aqui que começa o jogo.

 

Os Códigos de Ética e de Conduta (que podem ser um só ou separadamente) são uma espécie de Constituição da companhia no sentido de impor regras acerca das relações entre a corporação e seus colaboradores, acionistas, clientes e fornecedores.

 

E especificar as práticas consideradas inadequadas entre os colaboradores e entre esses e terceiros, principalmente fornecedores e clientes.

 

Os Códigos de Ética e de Conduta devem estabelecer o Programa de Integridade e seus mecanismos e procedimentos internos de integridade, auditoria e incentivo à denúncia de irregularidades.

 

Montax Inteligência auxilia empresas na elaboração de seu Código de Ética e Manual Anticorrupção, em conformidade com seu Objeto Social, atividades econômicas e cultura organizacional, que servirão de base legal e prática de Compliance & Governança Corporativa, com os principais objetivos do Programa de Integridade, que são

 

1) Identificação de fraudes e desvios de conduta;
2) Cooperação da organização na apuração de suas próprias infrações;
3) Manutenção de mecanismos e procedimentos internos de integridade, auditoria e incentivo à denúncia de irregularidades para aplicação efetiva de códigos de ética e de conduta, políticas e diretrizes com objetivo de detectar e sanar desvios, fraudes, irregularidades e atos ilícitos praticados contra a administração pública, nacional ou estrangeira; e
4) Manutenção de arquivos com informações e documentos referentes à existência e ao funcionamento de Programa de Integridade, úteis na Defesa da companhia em eventuais ações legais do governo;

 

Os Códigos de Ética e de Conduta devem ser entregues conjuntamente com cada Contrato de Trabalho ou Contrato de Serviços ou Contrato de Compra-e-venda celebrados com cada empregado ou fornecedor ou cliente e publicados no site da companhia e no hall de entrada de seus escritórios, sedes operacionais e galpões.

 

Se possível, cada stakeholders deve assinar uma versão, dando ciência do conteúdo dos Códigos de Ética e de Conduta.

 

Empregados e demais stakeholders não poderão dizer que “não sabiam” das regras.

 

Modelo de Código de Ética e Manual Anticorrupção da Montax Inteligência

 

 

#2 – Verificação de antecedentes de candidatos a vagas de emprego (Background check)

 

A checagem de antecedentes dos candidatos a vagas de emprego (Background check) é o mecanismo ou procedimento interno de integridade mais importante de uma organização.

 

Se a companhia quiser evitar fraudes e corrupção, a fraude envolvendo empresas públicas, autarquias e agentes do Estado, deve antes de qualquer coisa lançar mão desse mecanismo ou procedimento interno de integridade: Verificar os antecedentes criminais, cíveis e profissionais (trabalhistas) dos candidatos a vagas de emprego.

 

Da mesma forma que a Magistratura, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e outras ordens como a Maçonaria realizam um escrutínio de seus candidatos, realizam um levantamento de informações acerca das pessoas que pretendem ingressar em suas consagradas instituições, inclusive com pesquisa social que inclui entrevistas com vizinhos, familiares e amigos e outras fontes humanas de Inteligência, as companhias devem realizar investigação corporativa prévia acerca dos candidatos a vagas de emprego.

 

É só um emprego privado, não é um emprego público com direito a estabilidade e o candidato, se contratado, poderá ser dispensado quando o gestor quiser. Porém, se a empresa trouxer para dentro de suas fileiras uma pessoa desonesta ou mal intencionada, o estrago poderá ser grande.

 

Portanto, antes de contratar um novo empregado, seja diretor, gerente ou entregador, realize pesquisa de antecedentes acerca do candidato a vaga de emprego ou consulte uma agência de Inteligência & Investigações especializada em verificação de antecedentes (Background check).

 

 

#3 – Devidas diligências para conhecer seu cliente e fornecedor (Due diligence KYC)

 

De mesma forma que a companhia deve realizar a checagem de antecedentes dos candidatos a vagas de emprego (Background check), ou seja, das pessoas físicas que integrarão os times da organização, a empresa deve realizar uma investigação prévia acerca das pessoa jurídicas que pretendem negociar com a companhia, seja como cliente seja como fornecedor.

 

As devidas diligências para conhecer com mais profundidade o cliente ou fornecedor são chamadas Due diligence KYC (sigla em Inglês para “Know Your Customer”) e funcionam como excelente mecanismo ou procedimento interno de integridade mais importante de uma organização.

 

Se a companhia quiser evitar fraudes e corrupção, não basta só investigar seus empregados, o pessoal interna corporis, mas, o pessoal de fora, clientes e fornecedores.

 

Pessoas mal intencionadas podem se travestir de empresas, constituindo sociedades empresárias e outras pessoas físicas e realizar compras ou se cadastrar como fornecedores para fraudar a companhia ou envolvê-la em atos de corrupção.

 

Devidas diligências (Due diligence) sobre potenciais clientes e candidatos a fornecedores é outro importante mecanismo ou procedimento interno de integridade porque previne fraudes e inconformidades.

 

E deve ser realizado Background check sobre os fundadores e sócios da empresa cliente ou fornecedora.

 

Se a companhia for do setor bancário ou financeiro ou securitário, além das devidas diligências comuns  a todas as indústrias deve realizar também as devidas diligências de prevenção da lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo (PLDFT) Compliance Anti Lavagem de Dinheiro da Circular (BACEN) 3.978/2020, Instrução (CVM) 617/2019 e Circular (SUSEP) 612/2020.

 

Due diligence KYC serve para evitar negócios com organizações com histórico de problemas ou constituídas por pessoas problemáticas que podem envolver a companhia em ações legais ou prejudiciar a marca e a imagem corporativa.

 

Antes de realizar uma venda ou adquirir um produto ou serviço, ou seja, antes de fechar negócio com um novo cliente ou fornecedor, realize devidas diligências para conhecer com mais profundidade o novo cliente ou fornecedor ou consulte uma agência de Inteligência & Investigações especializada em Due diligence KYC.

 

No artigo Fundos, Lavagem de Dinheiro, CVM & Compliance demonstramos como a Instrução (CVM) 617/2019 criou a Política de PLDFT, espécie de Programa de Integridade das Asset Management e outras instituições financeiras, obrigando-as a realizar Due Diligence KYC

 

 

Para pesquisa de antecedentes de candidatos a vagas de emprego (Background check), Devidas diligências de clientes e fornecedores (Due diligence KYC) e prevenção a lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo (PLDFT), o Chief Compliance Officer (CCO) e demais integrantes do Departamento de Compliance podem realizar um curso online de Inteligência Financeira – Due Diligence, Pesquisa de Bens & Compliance de Prevenção a Lavagem de Dinheiro – Roteiro de Proteção e Recuperação de Ativos. Clique no banner abaixo para acessar agora mesmo o seu Manual:

 

Inteligência Financeira – Due Diligence, Pesquisa de Bens & Compliance de Prevenção a Lavagem de Dinheiro – Roteiro de Proteção e Recuperação de Ativos

 

 

#4 – Compliance 360º – Check-up Contábil, Cível, Tributário, Trabalhista e Previdenciário

 

“Casa de ferreiro, espeto de pau” (Autor desconhecido).

 

A frase acima é um axioma sobre pessoas e organizações especializadas que não atendem de forma especial a si próprias.

 

No caso do Programa de Integridade, não adianta nada se preocupar somente com as ameaças externas (candidatos a vagas de emprego, clientes e fornecedores) e esquecer das ameaças internas, das falhas de seus próprio pessoal.

 

E as falhas internas que constituem as maiores ameaças a uma organização são aquelas que podem causar graves impactos financeiros, ambientais e legais como as inconformidades contábeis, danos civis, sonegação ou omissão fiscal, tributária e dívidas trabalhistas e previdenciárias.

 

A companhia deve relatar e arquivar a comunicação entre o Chief Compliance Officer (CCO) e o Diretor Financeiro, o Controller, o Diretor Jurídico e o Diretor de Recursos Humanos (RH) na tentativa de sanar eventuais inconformidades legais e diminuir os riscos de dívidas cíveis, fiscais e trabalhistas.

 

Essa comunicação de certo poderá expor a companhia, revelar fraudes ou inconformidades dos quais os fiscais do governo talvez nem imaginavam, porém, é importante arquivar ao menos Memorandos de Entendimento ou Resoluções ou Atas de Reuniões de Diretores que esclareçam as inconformidades e demonstrem a sincera intenção do Chief Compliance Officer (CCO) em solucioná-las.

 

Uma simples Due diligence tendo como pessoa de interesse a própria companhia poderá revelar seus histórico de disputas e litígios e, consequentemente, alertar os diretores acerca de suas principais inconformidades. Exemplo: Se existem muitas Reclamações Trabalhistas e se o pedido mais comum delas for o pagamento de “horas extras”, talvez a empresa esteja contratando pessoas inadequadas para a função ou com histórico de criação de problemas ou mesmo deixando de contratar mais pessoas, forçando os membros da equipe a trabalhar além do horário combinado.

 

Compliance 360º é parte delicada do Programa de Compliance porque envolve apontar ou reconhecer erros de gestão de diretorias. Aqui separamos os Chief Compliance Officer pitbulls dos CCO chiuaua.

 

Amparado nos Códigos de Ética e Conduta e com bastante jogo-de-cintura, o CCO deve produzir e enviar relatórios de auditoria interna ou externa acerca de cada departamento e promover reuniões com seus respectivos diretores, quer para esclarecimentos e correção dos trabalhos quer para encontrar soluções.

 

Tudo deve ser documentado, de preferência lavrando-se uma Ata da Reunião.

 

Se os relatórios de auditoria serão produzidos interna ou externamente, por empresa terceirizada de Inteligência & Investigações, com ou sem comunicação prévia do diretor do departamento, dependem das atribuições do Chief Compliance Officer e do que ficou estabelecido nos Códigos de Ética e Conduta.

 

É no Compliance 360º que se revela o comprometimento do CEO e do Conselho de Administração.

 

No artigo Situação Cadastral, Due Diligence Relâmpago de Empresas demonstramos como fazer uma investigação corporativa prévia rápida de clientes e fornecedores, inclusive nós mesmos

 

 

#5 – Canal de Denúncias e apuração de supostas irregularidades

 

O Canal de Denúncias é um receptáculo, a caixa de coleta de denúncias anônimas ou não de fraudes e irregularidades.

 

Ela já foi uma caixa de correio (físico), instalada em local discreto da empresa. Atualmente é uma caixa de mensagens eletrônicas (e-mail) ou serviço de atendimento telefônico (tele-atendimento).

 

O objetivo do Canal de Denúncias é

 

a) receber denúncias – anônimas ou não – de fraudes e inconformidades; e

b) apurar as ocorrências ali relatadas, de preferência por meio de um processo administrativo de Auditoria interna ou externa transparentes e que dêem chance de defesa à pessoa delatada.

 

O Canal de Denúncias é um canal de delação, premiada ou não.

 

O Canal de Denúncias e sua apuração escorreita são um dos mais eficazes mecanismos e procedimentos internos de integridade por sua assertividade e prevenção. É contrainteligência a serviço do Compliance & Mitigação de Riscos.

 

Se houver falha em seus sistemas de checagem de antecedentes de candidatos a vagas de emprego (Background check) e de devidas diligências de clientes e fornecedores (Due diligence KYC), é por meio do Canal de Denúncias que empregados honestos e até terceiros vão indicar fraudes ou inconformidades.

 

As denúncias devem ser apuradas com cautela, para evitar calúnia ou denuncismo, e as investigações corporativas e auditorias externas devem ser muito bem documentadas (não basta ser bom, tem que parecer ser bom).

 

O Canal de Denúncias pode mitigar riscos com fraudes maiores que o CCO não poderia prever sem a ajuda de um denunciante, um delator anônimo.

 

Mas, atenção: O Canal de Denúncias deve ser instalado, divulgado e ter seu uso incentivado pela empresa. E tudo deve ser muito bem documentado. O Canal de Denúncias pode ser interno, mas, a apuração de fraude ou inconformidade nele relatada deve ser realizada de preferência por empresa terceirizada especializada em Inteligência & Investigações corporativas.

 

 

#6 – Comunicação, treinamento e investigação ininterruptos (Non Stop Compliance)

 

Não adianta ser, tem que parecer ser.

 

Essa máxima se aplica tanto na política quanto nos negócios.

 

Não adianta nada ter um Programa de Integridade de ninguém o conhece…

 

O Programa de Integridade e todos os seus mecanismos e procedimentos internos têm que ser amplamente divulgados com comunicação social ao público interno e externo. Colaboradores de todos os níveis hierárquicos, clientes, fornecedores, consumidores e o público em geral devem saber da existência desses mecanismos e procedimentos internos ou, ao menos, acessá-los facilmente pela Internet.

 

Além de ativar os mecanismos e procedimentos internos e solucionar fraudes e inconformidade com a ajuda do público em geral, a publicidade do Programa de Integridade é outro ponto a favor da companhia na hipótese de flagrante ou multas por corrupção, fraude ou inconformidade.

 

Além da comunicação social por meio de jornais, folders e e-mails, devem ser realizadas palestras, workshops e treinamentos periódicos das equipes diretamente envolvidas com os mecanismos e procedimentos internos mencionados, bem como para incentivar os demais colaboradores a não praticar infrações e a delatá-las.

 

Non Stop Compliance também se aplica às investigações ininterruptas e aleatórias que podem recair sobre todo e qualquer pessoa ou departamento, política que funciona como uma mecanismo dissuasivo da prática de fraudes e inconformidades.

 

Em um artigo antológico discorremos sobre Compliance, Due Diligence e Gestão do Jurídico na Perspectiva de Clausewitz

 

 

#7 – Arquivamentos de relatórios de auditoria e autos de processos administrativos

 

Por último, e não menos importante, a companhia deve arquivar corretamente os relatórios de auditoria interna e externa e os autos dos processos administrativos.

 

Parece bobagem mas muitas empresas “perdem” esses arquivos, ficando impossibilitadas de comprovar fatos relevantes em processos judiciais e administrativos.

 

Lembrando que esses arquivos cuidam de fraudes e inconformidades, logo, muitos desses arquivos são alvo de roubo de dados e informações por pessoal interno ou Hackers. Colaboradores investigados podem persuadir colegas a roubar pastas ou deletar arquivos gravados no computador, enfim, a sumir com provas que poderão incriminá-los em Diligências Investigatórias e/ou Investigação Defensiva do Provimento 188/2018, do Conselho Federal da OAB, ou em Inquérito Administrativo dos artigos 494, 628 § 3º, 652 alínea “b”, 821 e 853 da CLT.

 

Se as provas produzidas em relatório de auditoria ou Canal de Denúncia forem prejudiciais a um empregado corrupto, ele pode tentar apagá-las, logo, o CCO deve cuidar para que somente o pessoal autorizado tenha acesso aos arquivos confidenciais da companhia.

 

E esses arquivos devem ser facilmente acessados, o mais breve possível, a contar da data de sua solicitação por fiscais do governo. A pronta resposta em tempo exíguo com entrega de material satisfatório demonstra a existência e eficácia do Programa de Integridade.

 

 

Quê preciso para a Montax Inteligência analisar um caso?

 

Para auxiliar na elaboração dos Código de Ética e Conduta, realizar Background check, Due diligence KYC ou Due diligence 360 graus, investigação ou apuração de denúncias, o Chief Compliance Officer (CCO) ou Diretor Jurídico da companhia devem enviar e-mail para montax@montaxbrasil.com.br informando o que se segue:

 

a) Um breve relato dos fatos, com datas e valor econômico do dano ou ameaça;

b) Nome completo, CPF, e-mail e telefones dos envolvidos com as supostas fraudes ou inconformidades;

 

A partir dessas informações, analisaremos o caso e entregaremos orçamento de investigação corporativa.

 

 

Um Manual de Inteligência Financeira da Montax Inteligência. Um roteiro de Busca de Bens que não dependem da Justiça. Um método de Compliance Anti Lavagem de Dinheiro. Um Briefing secreto de Pesquisa de Bens. Um sistema de Recuperação de Ativos Uma lista de links úteis à recuperação de créditos Listagem com aproximadamente 20 sistemas de busca de bens na Justiça (inclusive dados cadastrais das 7 principais empresas de intermediadoras de pagamentos online, onde absurdamente muitos devedores atualmente “lavam” ou ocultam bens).

 

 

 

 

 

 

SOBRE O AUTOR

Marcelo Carvalho de Montalvão é diretor da Montax Inteligência, franquia de Inteligência & Investigações que já auxiliou centenas de escritórios de advocacia e departamentos jurídicos de empresas como PSA Group (Peugeot Citroën), Cyrela, LG Eletronics, Localiza Rent A Car, Sara Lee, Kellog, Tereos, Todeschini, Sonangol Oil & Gas, Chinatex Grains and Oils, Generali Seguros, Estre Ambiental, Magneti Marelli, Banco Pan, BTG Pactual, Banco Alfa, W3 Engenharia, Geowellex e muitas outras marcas.

Especialista em Direito Penal Econômico e solução de crimes financeiros como estelionato (fraude), fraude a credoresfraude à execuçãoevasão de divisas e “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores.

Conecte-se com Marcelo no LinkedIn

Ouça o Marcelo no YouTube

 

 

 

 

 

Due Diligence | Pesquisa de Bens | Investigação Empresarial | Compliance Intelligence

 

 

Rio de Janeiro – RJ

Rua Figueiredo Magalhães, 387/801 – Copacabana – CEP: 22031-011

Telefone + 55 (21) 2143-6516

WhatsApp +55 (21) 99682-0489

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Montax Inteligência de Crédito e Cobrança Ltda.
CNPJ 11.028.620/0001-55
Copyright © 2009

 

Crise de emprego, redução da taxa Selic e acesso à informação e educação financeira – especialmente no YouTube – levaram muita gente a investir em renda variável e tentar a vida como Trader, investidor profissional do mercado financeiro.

 

Economistas ou não, o fato é que muitas pessoas realizam cursos de Agente Autônomo de Investimentos (AII) reconhecidos pela ANBIMA ou simplesmente de “Traders”, sem homologação alguma, na esperança de alavancar sua carreira e sua vida.

 

Praticamente todos os Traders já receberam falsas propostas de investimentos ou foram vítimas da fraude da moda: Pirâmides Financeiras (Esquema Ponzi) travestidas de corretoras online (“Brokers”) que oferecem rentabilidade muito acima da média do mercado internacional com ofertas de Bitcoin, Mercado Forex e Opções Binárias e plataformas de investimentos e simuladores como MetaTrader.

 

Empresas fraudulentas listadas por agências de Inteligência Financeira em todo mundo, como as desta lista aqui, são registradas em Paraísos Fiscais e usam o gatilho mental da ganância para enganar investidores e Traders inexperientes.

 

Golpistas induzem as vítimas a investir no mercado internacional, em ações de empresas listadas em Bolsas de Valores do exterior, derivativos, Bitcoin, Mercado Forex e Opções Binárias.

 

Essas fraudes contra pequenos investidores e aspirantes a Traders têm aumentado bastante na Internet.

 

Na verdade é uma verdadeira pandemia.

 

As vítimas são atraídas com ativos financeiros da moda como Bitcoin e outras criptomoedas e apostas no Mercado Forex, opções binárias e ações de empresas negociadas em Bolsas de Valores do mundo todo.

 

E com plataformas de treinamento e de investimento falsas que revelam “altas” de Bitcoin e outros cripto-ativos e lucros de aplicações financeiras que existem somente nos sistemas informatizados dos fraudadores.

 

O modus operandi é sempre o mesmo: Depois de captar recursos com promessas de elevados retornos do investimento, os “Analistas” das corretoras de valores online simplesmente desaparecem.

 

No caso das corretoras de Bitcoin, seu “CEO” pode alegar que foi “hackeado” e roubaram os Bitcoins de clientes custodiados na carteira digital (wallet) da corretora (!?).

 

Os fraudadores conseguem enganar uma quantidade enorme de clientes com base em um antigo e poderoso gatilho mental: A ganância.

 

Eles oferecem retornos sobre o investimento muito acima do mercado, comissões pela indicação de novos participantes e prêmios como iPhones, viagens e outros artigos de luxo.

 

Essas falsas corretoras de valores e firmas de investimentos estrangeiras tem site específico em Português e também exploram imagens de celebridades e ícones do capitalismo e anunciam no Google, YouTube, Facebook e Instagram.

 

Esses negócios online são operações do crime organizado transnacional (Decreto 5.015/2004).

 

Sobre fraudes online do crime organizado transnacional, leia nosso artigo LBLV, Ronaldinho Gaúcho e o Esquema FSM – Estudo de Caso da Montax.

 

Este artigo vai ajudar Traders inexperientes na prevenção de fraudes. A descobrir como corretoras online de Bitcoin, Mercado Forex e Opções Binárias enganam Traders e pequenos investidores!

 

Vamos explicar de forma simlpes e detalhada como funciona a indústria de fraudes online de investimentos no exterior em Bitcoin, Mercado Forex e Opções Binárias.

 

Ao final, listamos dados e informações necessárias para analisar um caso de fraude internacional e oferecemos um curso online de Inteligência Financeira – Due Diligence, Pesquisa de Bens & Compliance de Prevenção a Lavagem de Dinheiro – Roteiro de Proteção e Recuperação de Ativos.

 

O que falaremos nesse artigo:

 

  • Quem quer ser um Trader?
  • Qual a diferença do Analista de Investimentos para o Trader?
  • O que é Pirâmide Financeira (Esquema Ponzi)?
  • Quem opera as corretoras online de fraudes internacionais (“Brokers”)?
  • Como saber se a corretora online é fraudulenta?
  • Por que Traders de Bitcoin, Mercado Forex e Opções Binárias?
  • O que fazer em caso de fraude?
  • Quê preciso para a Montax Inteligência analisar meu caso?

 

Preparado para aprender mais sobre fraudes de corretoras online internacionais? Vamos lá!

 

 

Quem quer ser um Trader?

 

A maioria dos que sonham em trabalhar como investidores profissionais e operar com mercados nacionais e internacionais como Traders são jovens ambiciosos porém sem educação formal.

 

Eles não têm Diploma de Economista ou Analista de Investimento ou Agente Autônomo de Investimentos (AII) registrados pela ANBIMA.

 

Traders são autodidatas e aprendem com cursos online aleatórios ou vídeos do YouTube, uma característica da Era Digital.

 

O Trader clássico geralmente é ansioso o bastante para enfrentar o tempo e as burocracias do bacharelado em Economia ou curso de Agente Autônomo de Investimentos (AII) e ganancioso o suficiente para correr mais riscos.

 

Traders gostam de operar ao estilo “O Lobo de Wall Street” e preferem opções de maior risco e alavancagem!

 

 

Qual a diferença do Analista de Investimentos para o Trader?

 

Apesar da expressão “Autônomo”, o Agente Autônomo de Investimentos (AII) está, em realidade, obrigatoriamente vinculado a uma Corretora de Valores Mobiliários ou Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários (DTVM).

 

Analistas de Investimentos geralmente têm Diploma de Economia, Engenharia ou Administração e o Agente Autônomo de Investimentos (AII) realizou curso preparatório específico aprovados e registrado na Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA).

 

E pagam anuidades à ANBIMA e à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

 

Em outras palavras, perdem um tempão com formação e atuam de forma bastante regulamentada.

 

Já os Traders ou não têm formação acadêmica ou têm em áreas não relacionadas a Economia & Finanças, não estão vinculados a corretoras de valores alguma e não estão submetidos a agências de regulamentação profissional e do mercado.

 

Traders geralmente sequer estão no “radar” da ANBIMA e Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que ou não exercem fiscalização sobre eles ou exercem de forma muito superficial ou ineficaz.

 

 

O que é Pirâmide Financeira (Esquema Ponzi)?

 

Pirâmide Financeira é também chamada “Esquema Ponzi” porque o primeiro fraudador documentado da História a operar esse golpe foi o ítalo-americano Charles Ponzi nos Estados Unidos da América da década de 1920.

 

É um esquema fraudulento matematicamente simples porém muito sofisticado do ponto-de-vista da engenharia social em que um “fundador” convida um grupo de 6 ou 7 pessoas para realizar um “investimento”, com  a promessa de dobrar ou triplicar o investimento ou de pagar “juros” de 10% ou mais ao mês sobre o principal, desde que o investidor traga para o grupo outros 6 ou 7 investidores, e que cada um deles tenha o mesmo propósito e intenção: Trazer novos investidores.

 

O organograma ou fluxograma do grupo de investidores tem um formato de pirâmide e seus controladores – geralmente o fundador e primeiros investidores – não realizam De facto investimento algum e pagam a si próprios e aos investidores mais antigos com o dinheiro arrecadado dos investidores mais recentes.

 

A notícia de pagamentos muito acima da média do mercado se espalha, atraindo novos investidores.

 

Chamamos isso de “gatilho mental da ganância”, quando o fraudador usa da ganância da própria vítima para enganá-la.

 

Na medida que encerram os recursos com o pagamentos de muitos investidores ou com o fim da entrada de novos investidores no grupo, a pirâmide “desmorona” deixando a maioria das vítimas sem sequer o investimento principal.

 

A maioria das vítimas não têm ciência de que a oferta se trata de um esquema de pirâmide financeira, mas, em alguns casos algumas “vítimas” sabiam que se tratava de um Esquema Ponzi… E até planejavam “sair do grupo” e retirar dinheiro antes do desmoronamento da pirâmide…

 

Como explicaremos adiante, corretoras online de fraudes internacionais utilizam o mesmo gatilho mental da ganância com simulações de investimentos que existem somente na tela do computador, apenas para convencer as vítimas e “investir” cada vez mais.

 

Imagem fotográfica de Charles Ponzi (1920)

 

 

Quem opera as corretoras online de fraudes internacionais (“Brokers”)?

 

Pretendemos ilustrar de forma muito simples quem está por trás das corretoras online de fraudes internacionais.

 

Portanto, não estamos falando das corretoras de valores e distribuidoras de títulos e valores mobiliários cadastradas na CVM ou Analistas Financeiros ou Agentes Autônomos de Investimento (AAI) homologados pela ANBIMA.

 

Aqui não há espaço para estelionato intelectual ou subversão aos princípios de livre iniciativa e livre mercado: Montax Inteligência está falando das corretoras fraudulentas online e off-line, no Brasil e no exterior.

 

E alertando que atualmente existe um fenômeno de fraude em massa praticado por organizações criminosas transnacionais pela Internet, uma pandemia de pirâmides financeiras.

 

São corretoras de valores que existem somente no ambiente virtual, não têm sala comercial e sua sede fiscal é, geralmente, uma caixa postal de um escritório de advocacia ou firma de contabilidade em um Paraíso Fiscal.

 

Os Corretores se apresentam como “Analistas”, não têm telefone fixo senão perfil no WhatsApp e telefonam para os investidores e Traders de telefones VoIP (voz sobre IP, telefone de Internet, de difícil localização e rastreamento).

 

Eles geralmente são cidadãos do Brasil que te telefonam que qualquer lugar do planeta.

 

Podem estar na África ou do seu lado. O fato é que desligam o telefone ou bloqueiam suas ligações tão logo você percebe o golpe, para de realizar aportes para as contas bancárias de empresas de cobrança ou meios de pagamento do Brasil e começa a pedir seu dinheiro de volta.

 

Chamamos essa fase de “negação”, em que a vítima percebe que caiu em um golpe, mas, tem a esperança de que a corretora online de fraudes internacionais vai devolver seu dinheiro…

 

 

Como saber se a corretora online é fraudulenta?

 

As principais características de uma corretora de valores online fraudulenta são:

 

  • Corretoras são descobertas em pop-ups, banners ou anúncios no Google, Facebook e Instagram
  • Exploram a imagem de ricos e famosos e contam “o segredo” do sucesso financeiro deles
  • Corretoras têm menos de 1 ano (o que não é nada para quem pede para custodiar seu dinheiro)
  • Corretoras não têm endereço físico e sua sede é meramente fiscal e não recebe clientes
  • Analistas não têm telefones comuns senão VoIP
  • Corretoras usam plataformas de investimento registradas em nome de outra Corretora
  • Analistas oferecem sempre produtos da moda como Bitcoin, Mercado Forex e Opções Binárias
  • “Analistas” não têm nome completo, não informam CPF nem tampouco têm perfil no LinkedIn
  • “Brokers” estranhamente não têm contas bancárias em seu próprio nome (lavagem de dinheiro?)
  • Contas bancárias para pagamentos geralmente são de empresas do interior do País (ligam da “Austrália” mas pedem para realizar pagamentos em favor de empresa de Anápolis???!!!)
  • Analistas Vendedores prometem retornos muito acima da média, bônus e presentes sofisticados como iPhones ao Trader ou investidor que trouxer “mais pessoas” (mais dinheiro, ele quer dizer).

 

Quanto maior a quantidade dessas características e eventos acima listados, maior a chance de você, Trader ou investidor, estar sendo vítima de um golpe (“scam”).

 

Faça uma Due Diligence, devidas diligências para saber com quem está se relacionando de fato, qual sua capacidade econômica, histórico de negócios e pagamentos, se são conhecidos do mercado ou novatos aventureiros, se costumam honrar com a palavra emprenhada etc.

 

Dica importante: Coloque o nome da empresa no Google ao lado das expressões “fraude” ou “golpe” ou “scam” (golpe em Inglês) e veja os comentários dos usuários.

 

E não custa nada consultar o ranking da Corretora no ReclameAQUI.

 

Apesar de fraudulentas, as Corretoras online piratas são muito bem estruturadas e constituídas sobre 3 pilares básicos:

 

 

1- Esconderijo de ativos em carteiras digitais (wallets) ou contas bancárias em nome de holdings patrimoniais ou interpostas pessoas (“laranjas”) e de empresas offshore em Paraísos Fiscais;
2- Marketing digital por meio de sites registrados em Provedores de Internet de propriedade da organização criminosa ou com inconformidade do registro e anúncios online com palavras-chave de investimentos que estão na moda;
3- Marketing multinível telemático por telefones VoIP de Vendedores agressivos ao estilo “O Lobo de Wall Street” e elevadas comissões para clientes que indicam novos investidores.

 

 

Esse sistema financeiro permite aos fraudadores escapar de leis fiscais e da polícia, enquanto que o marketing digital no Google e nas redes sociais apoiado em imagens de pessoas ricas e famosas atinge grande número de vítimas para arrecadar muito dinheiro em pouco tempo.

 

Para entender melhor a situação jurídica e de compliance de uma empresa ou sócios, para evitar cair em armadilhas ou tentar recuperar o dinheiro roubado, os investidores e Traders e eventuais vítimas de corretoras online fraudulentas podem realizar um curso online de

 

Inteligência Financeira – Due Diligence, Pesquisa de Bens & Compliance de Prevenção a Lavagem de Dinheiro – Roteiro de Proteção e Recuperação de Ativos.

 

Clique no banner que se segue para acessar agora mesmo o seu Manual:

 

 

 

Por que Traders de Bitcoin, Mercado Forex e Opções Binárias?

 

Por que Pitbulls atacam mais que Dobermanns? Porque o Pitbull é o cão da moda, a raça de cães que tem mais exemplares porque atualmente é a mais vendida. Se você tem mais de 40 anos de idade sabe que outras raças de cães já foram consideradas “malditas” pela imprensa, como o Fila Brasileiro, Dobermann e Rotweiller.

 

Esses não pararam de atacar… Pararam de nascer porque pararam de vender…

 

Na economia e nas indústrias, acontece a mesma coisa: Pessoas e organizações se dirigem para onde existem tendências de mercado.

 

É o velho princípio “follow the money”, que serve tanto para investigadores de crimes financeiros quanto para empreendedores e vendedores.

 

Na indústria das fraudes ocorre a mesma coisa: Fraudadores perceberam que

 

a) o dinheiro está na Internet;

b) o dinheiro está saindo da poupança e caminhando em direção à renda variável;

c) Traders e investidores de Internet não ligam para Due Diligence, Pesquisa de Bens & Compliance de Prevenção a Lavagem de Dinheiro; e

d) Bitcoin, Mercado Forex e Opções Binárias são os investimentos da moda entre Traders, entre formadores de opinião e arrecadadores de dinheiro de familiares e amigos.

 

O alvo agora é o dinheiro de famílias de classe média, não institucionais. Dinheiro de vítimas que geralmente não podem pagar Advogados criminalistas internacionais.

 

Daí os fraudadores demoram mais para ser identificados, ter suas contas bloqueadas, sites congelados ou serem presos.

 

Na verdade, as vítimas são tão ingênuas e estão tão fissuradas em receber retorno sobre o investimento (ROI) de “10% ao mês” – ou ainda, Traders novatos muito empolgados com a nova profissão – que esquecem de pedir o CPF do Analista ou de indagá-lo “por que uma corretora tão importante não tem uma conta bancária em sua razão social/CNPJ ou nome/CPF dos sócios?

 

Daqui a pouco os investimentos mudam, entra outro investimento da moda (ouro?) e os fraudadores colocam no ar um novo site da melhor corretora de valores online da última semana.

 

Traders iniciantes são otimistas e relaxam com Due diligence (diligências investigatórias) acerca de corretoras online e outros negócios com promessas de ganhos muito acima da média do mercado.

 

 

O que fazer em caso de fraude?

 

A solução em casos de fraude internacional não é fácil (na verdade, é a mais difícil).

 

Empresas de Inteligência & Investigações corporativas como a Pinkerton, Kroll e Montax Inteligência podem ajudar na identificação e recuperação de ativos financeiros lavados ou ocultados.

 

Escritórios de Advocacia especializados em Direito Penal Econômico podem realizar diligências investigatórias e investigações defensivas (Provimento OAB 188/2018). E com base no resultado das pesquisas e provas, as vítimas devem promover ações legais de recuperação de ativos financeiros como

 

 

a) Sequestro de imóveis, arresto de bens dos fraudadores e outras medidas assecuratórias (artigo 125 e seguintes do Código de Processo Penal), inclusive dos dispositivos eletrônicos onde estariam armazenadas senhas de acesso às carteiras digitais (wallets) de custódia de Bitcoin ou valores em contas bancárias em nome de holdings patrimoniais, empresas offshore, empresas braço-financeiro e interpostas pessoas (“laranjas”);

 

b) Inquérito policial de estelionato (fraude) e outros crimes financeiros como crimes contra a economia popular, sonegação fiscal, “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores, crimes contra o sistema financeiro nacional como apropriação indébita de valores objeto de “captação, intermediação ou aplicação de recursos financeiros de terceiros, em moeda nacional ou estrangeira, ou a custódia, emissão, distribuição, negociação, intermediação ou administração de valores mobiliários” e evasão de divisas; e

 

c) Ação Civil Pública, com base nas medidas assecuratórias e inquérito policial mencionados, de autoria do Ministério Público, governos, autarquias, empresas públicas e até associações civis.

 

 

IMPORTANTE: Ações Coletivas com base na Lei 8.078/1990 (Código de Defesa do Consumidor) podem não funcionar sem o viés criminal e de economia popular, da prática de crimes financeiros contra o mercado, o Fisco e o sistema financeiro, porque alguns juízes entendem que as vítimas seriam “pequenos investidores” ou “sócios”, e não consumidores hipossuficientes (lado mais fraco) de produtos e serviços ofertados no mercado por grandes players.

 

A ideia por trás disso é o fato de que alguns autores de ações coletivas com base no Direito do Consumidor sabiam dos riscos do investimento e do negócio (eles eram “Traders”, não?); concordaram com a remessa de valores ao exterior; e recrutaram integrantes, geralmente amigos, familiares e colegas de trabalho, para garantir comissões.

 

Em suma, a defesa das corretoras de valores online e diretores das pirâmides financeiras pode alegar que os investidores sabiam que operavam “instrumentos financeiros” extremamente arriscados ou que assinaram contrato de custódia por tempo determinado, ou ainda, que sabiam desde o início que integravam pirâmide financeira e pretendiam retirar investimentos antes do desmoronamento.

 

E porque a prisão dos fraudadores pode encorajá-los a devolver o dinheiro ou delatar outros integrantes do esquema criminoso (“Passarinho só canta na gaiola”, Autor desconhecido).

 

No caso de corretoras online de fraudes internacionais da pandemia de pirâmides financeiras, os crimes financeiros são transnacionais e as vítimas têm que contar com a ajuda do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional do Ministério da Justiça.

 

Como na Operação Egypto em que a Polícia Federal conseguiu bloquear quase US$ 24 milhões em cripto-ativos registrados em nome de Corretora dos EUA que oferecia retornos de 15% ao mês a investidores do Brasil.

 

O caminho indicado por Agências de Inteligência Financeira Privada e Escritórios de Advocacia especializados em Direito Penal Econômico não é fácil nem rápido, porém, é o mais assertivo se consideramos que não houve mera infração na relação de consumo, mas, crimes financeiros transnacionais contra pessoas, empresas, o mercado e crime contra a economia popular e crimes contra o sistema financeiro nacional como lavagem de dinheiro e ocultação de bens e evasão de divisas.

 

Crimes financeiros demandam investigações de crimes financeiros, não investigações de infrações do Direito do Consumidor.

 

Muito além do sistema fraudulento revelado no filme “O Lobo de Wall Street“, as corretoras de valores fraudulentas e pirâmides financeiras agora são globais, online, ontime e full-time e oferecem produtos da moda como plataformas de investimento e treinamento para Traders tipo MetaTrader5 e produtos financeiros alavancados e arriscados como Bitcoin, Mercado Forex e Opções Binárias.

 

 

Quê preciso para a Montax Inteligência analisar meu caso?

 

Para analisar a conveniência e oportunidade de realizar ações de busca, identificação de fraudadores e recuperação de ativos financeiros, Montax Inteligência precisa que a vítima de fraude envie um e-mail para montax@montaxbrasil.com.br de Assunto “NOME DA EMPRESA FRAUDULENTA” e entregando os dados, informações e provas que se seguem:

 

a) Nome completo, CPF, e-mail e telefone móvel da(s) vítima(s);

b) Site ou link que atraiu a vítima para um investimento online;

c) Nome da(s) instituições financeiras, agências e contas bancárias de destino dos valores pagos às corretoras de valores online, com o valor pago, a data e o sistema usado (Swift, TED, DOC, PIX Depósito no caixa etc.), o Nome/CPF ou Razão social/CNPJ do favorecido, bem como os comprovantes de depósito ou transferências bancárias;

d) Nomes, telefones e mensagens de texto e de voz dos “Analistas”;

 

A partir dessas informações e documentos, podemos analisar se vale a pena ativar um caso de Inteligência Financeira.

 

 

Um Manual de Inteligência Financeira da Montax Inteligência. Um roteiro de Busca de Bens que não dependem da Justiça. Um método de Compliance Anti Lavagem de Dinheiro. Um Briefing secreto de Pesquisa de Bens. Um sistema de Recuperação de Ativos Uma lista de links úteis à recuperação de créditos Listagem com aproximadamente 20 sistemas de busca de bens na Justiça (inclusive dados cadastrais das 7 principais empresas de intermediadoras de pagamentos online, onde absurdamente muitos devedores atualmente “lavam” ou ocultam bens).

Conheça nosso método e Manual de Due Diligence de Busca de Bens, Compliance Anti Lavagem de Dinheiro e Recuperação de Ativos clicando AQUI

 

 

 

 

 

 

SOBRE O AUTOR

Marcelo Carvalho de Montalvão é diretor da Montax Inteligência, franquia de Inteligência & Investigações que já auxiliou centenas de escritórios de advocacia e departamentos jurídicos de empresas como PSA Group (Peugeot Citroën), Cyrela, LG Eletronics, Localiza Rent A Car, Sara Lee, Kellog, Tereos, Todeschini, Sonangol Oil & Gas, Chinatex Grains and Oils, Generali Seguros, Estre Ambiental, Magneti Marelli, Banco Pan, BTG Pactual, Banco Alfa, W3 Engenharia, Geowellex e muitas outras marcas.

Especialista em Direito Penal Econômico e solução de crimes financeiros como estelionato (fraude), fraude a credoresfraude à execuçãoevasão de divisas e “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores.

Conecte-se com Marcelo no LinkedIn

Ouça o Marcelo no YouTube

 

 

Due Diligence | Pesquisa de Bens | Investigação Empresarial | Compliance Intelligence

 

 

Rio de Janeiro – RJ

Rua Figueiredo Magalhães, 387/801 – Copacabana – CEP: 22031-011

Telefone + 55 (21) 2143-6516

WhatsApp +55 (21) 99682-0489

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Montax Inteligência de Crédito e Cobrança Ltda.
CNPJ 11.028.620/0001-55
Copyright © 2009

 

Nem empresas nem governos estão seguros contra Hackers, que podem invadir sistemas informatizados ou perfis de redes sociais para roubar ou “sequestrar” os dados e informações pessoais com criptografia ou troca de senhas de acesso.

 

Fraudes online e invasões com a intrusão, extrusão e roubo de informações privilegiadas aumentaram muito durante a pandemia de Covid-19 devido ao aumento do fluxo de negócios digitais e políticas de isolamento, como o home office.

 

Montax Inteligência pode ajudar com dicas simples de gestão de riscos, segurança da informação e proteção de ativos intangíveis.

 

 

 

Pesquisa realizada por grandes grupos do setor varejista mundial revelou que a digitalização das empresas avançou 5 anos em 5 meses de endurecimento das medidas de isolamento social para o combate da pandemia do novo Coronavírus.

 

Essa rápida transição das operações físicas para o mundo digital tem trazido uma imensa preocupação dos diversos setores no tocante a segurança da informação.

 

Isso porque grande parte das empresas tiveram muito pouco tempo de adaptação.

 

Esse novo cenário atinge tanto o relacionamento da empresa com os seus clientes quanto os processos internos que ela realiza com os seus colaboradores.

 

Conheça algumas recomendações da Montax Inteligência às empresas clientes para a gestão de riscos, segurança da informação e proteção de ativos intangíveis durante a pandemia de Covid-19.

 

São 10 dicas fundamentais para segurança da informação em tempo de trabalho essencialmente remoto.

 

 

#1 – Atualize os sistemas operacionais de seus dispositivos eletrônicos

 

As empresas de softwares para computadores e smartphones estão sempre atualizando seus sistemas operacionais. Uma das razões dessa atualização é a segurança da informação. Elas corrigem erros (“bugs”) que aumentam a vulnerabilidade do programa de computador e o risco contra a informação do usuário. Além disso, versões antigas do software perdem o suporte da empresa desenvolvedora. Mantenha sempre atualizada a versão do sistema operacional de seu computador ou smartphone para manter seus dispositivos seguros.

 

 

#2 – Habilite seus dispositivos para a autenticação multifator

 

A autenticação multifatorial é uma dupla garantia, uma forma de segurança a mais. Ela é possível nos aplicativos de recebimento de mensagens como WhatsApp e Telegram. Além da solicitar e-mail e senha para acessar esses aplicativos, a autenticação multifatorial gera um código aleatório no momento da solicitação que é enviado via SMS. Sem esse código não haverá acesso. É mais uma proteção para impedir que hackers acessem seu sistema apenas com o login e senha. Sobre os smartphones e seus sistemas de comunicação social, não deixe de ler o artigo Espionagem Pelo Celular – Montax Ensina Como Prevenir Fraudes em Aplicativos de Smartphones.

 

 

#3 – Nunca acesse links ou anexos de e-mails desconhecidos

 

E-mails suspeitos podem vir com mensagens amigáveis em nomes familiares ou assuntos de seu interesse, mas, não se engane: São gatilhos mentais e outros esquemas de engenharia social para deixá-lo confortável e permitir o acesso ao seus dispositivos, involuntariamente. Hackers fazem isso com os chamados malwares ou spywares, antigamente chamados de programas “cavalo-de-tróia” porque a exemplo do presente de grego mitológico parecem bons mas são uma armadilha. Esses e-mails geralmente têm links de download de arquivoz .zip e documentos anexos em formato PDF ou Word que, quando acessados ou baixados, instalam os programas espiões no seu sistema. A dica de ouro é “cadastrar todos os e-mails de origem suspeita como “lixo eletrônico” e “bloquear remetente” nas “opções de lixo eletrônico” do Windows.

 

 

#4 – Compartimente o e-mail pessoal do e-mail profissional

 

Separe seus e-mails profissional e pessoal. É altamente recomendado usar um e-mail para o trabalho e outro para assuntos domésticos, e programas de gerenciamento de e-mails diferentes, quando se trata de segurança da informação. Isso porque o e-mail pessoal trata sobre aspectos de foro íntimo da pessoa e jamais deverá ser misturado com a sua vida profissional. Em caso de roubo de dados de um e-mail profissional, seus dados pessoais estarão protegidos.

 

 

#5 – Exija credenciais em “lives” e reuniões online

 

Em tempos de isolamento social, as reuniões online têm sido comuns. É necessário cuidado redobrado porque sua imagem e informações corporativas estão sendo expostas. Evite assuntos de foro íntimo. Lembre-se que os dados e informações podem estar sendo gravados e você não conhece profundamente todos os participantes. Utilize senhas e confirme a identidade de todos, sempre que possível. Nunca se sabe quando um dos participantes foi hackeado. E bloqueie a entrada de novos membros quando todos já estiverem presentes.

 

 

#6 – Verifique as credenciais de sua rede Wi-Fi

 

Roteadores de Internet também são uma porta de entrada de Hackers. Altere sua senha de Wi-Fi a cada 6 meses e credenciais dos administradores dos dispositivos que você utiliza. E vite usar o Wi-Fi de estranhos em cafés, aeroportos e lojas de conveniência.

 

 

#7 – Nunca compartilhe senhas

 

Compartilhar senhas é bastante perigoso. Principalmente quando é feito por meio de aplicativos de mensagens ou e-mails. Essas mensagens podem ser interceptadas. Portanto, jamais compartilhe senhas. Evite também reutilizar senhas. Use senhas diferentes para cada software. Em caso de roubo de senha, somente um aplicativo estará vulnerável.

 

 

#8 – Instale somente o necessário

 

Com a popularização dos smartphones, a criação de aplicativos tem se tornado lucrativos. Existem aplicativos de smartphones para diversas funções. No entanto, muitos deles são desenvolvidos de forma insegura. Quando se trata de segurança da informação, não baixe todo e qualquer aplicativo. Analise questões de segurança da informação. Alguns aplicativos carregam vírus e spams que podem comprometer a segurança do seu dispositivo. Assim, instale somente os aplicativos efetivamente necessários.

 

 

#9 – Desligue os programas ao deixar o dispositivo

 

A segurança física também é importante para a segurança da informação. As ameaças não vem só da Internet: Elas podem estar ao seu lado. Não deixe contas de e-mail ou sistemas abertos ao deixar o computador para ir ao banheiro. E não deixe seu celular em mesas. São atos ingênuos ou amigáveis como esses que facilitam a ação de pessoas má intencionadas. Alguns Hackers acessam dispositivos no local para somente depois, na tranquilidade de seu lar, roubas dados pessoais. Não deixe dispositivos abandonados em locais inseguros e, ao deixar o computador, faça logoff de contas de softwares.

 

 

#10 – Não compartilhe dados e informações sensíveis

 

É notório o risco do compartilhamento de informações sensíveis. Ainda mais por meio de aplicativos de mensagens. Tenha consciência que existe o risco de sua mensagem ser interceptada. Evite enviar dados e informações sensíveis, questões de foro íntimo, por meio de aplicativos de mensagens. Telefone e fale! Muitos Hackers utilizam essas informações para realizar chantagem ou extorsão. Se possível, evite compartilhar determinadas informações por aplicativos de mensagens.

 

 

As dicas acima são de fácil execução e devem fazer parte de uma política de conscientização das empresas para que ela e seus colaboradores assumam o seu papel.

 

A segurança cibernética da empresa é dever de todos.

 

A cultura de segurança deve fazer parte, deve integrar a cultura da empresa.

 

Quer saber como realizar due diligence financeira e localizar pessoas, empresas e bens para a recuperação de ativos?

Acesse nosso Manual de Inteligência Financeira e Recuperação de Ativos.

 

 

COMPRE AQUI

 

São 5 Capítulos e 1 bônus especial, no caso

 

Introdução

 

Capítulo 1 – Técnicas de Espionagem Fáceis e Absolutamente Legais

 

Capítulo 2 – Como Usar Inteligência na Busca de Ativos

 

Capítulo 3 – Definições de Ativos Financeiros

 

Capítulo 4 – Briefing Secreto de Pesquisa de Bens & Recuperação de Ativos no Brasil e nos EUA

 

Capítulo 5 – Cartórios: Em quais, onde e como pesquisar?

 

BÔNUS ESPECIAL – Sistemas de Busca de Bens na Justiça

 

 

 

 

Quer realizar Pesquisa de Bens e Recuperação de Ativos Financeiros?

Envie uma mensagem para montax@montaxbrasil.com.br ou WhatsApp (21) 99682-0482 informando a) CPF/CNPJ dos Atores de interesse e b) A quantia que pretende recuperar

 

 

SOBRE O AUTOR

Marcelo Carvalho de Montalvão é diretor da Montax Inteligência, franquia de Inteligência & Investigações que já auxiliou centenas de escritórios de advocacia e departamentos jurídicos de empresas como Cyrela, LG Eletronics, Localiza Rent A Car, Sara Lee, Kellog, Tereos, Sonangol Oil & Gas, Chinatex Grains and Oils, Generali Seguros, Estre Ambiental, Magneti Marelli, Banco Pan, BTG Pactual, Banco Alfa, W3 Engenharia, CWA Consultores, Geowellex e muitas outras marcas.

Advogado criminalista em especialista em Direito Penal Econômico e solução de estelionato (fraude), fraude a credores, fraude à execução, evasão de divisas e “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores, due diligence e Inteligência para recuperação de ativos financeiros.

Autor do livro “Inteligência & Indústria – Espionagem e Contraespionagem Corporativa” e do “Manual de Inteligência – Busca de Ativos & Investigações” comentados AQUI.

Conecte-se com Marcelo no LinkedIn

Ouça o Marcelo no YouTube

 

 

 

 

 

 

 

Due Diligence | Pesquisa de Bens | Investigação Empresarial | Compliance Intelligence

 

 

Rio de Janeiro – RJ

Rua Figueiredo Magalhães, 387/801 – Copacabana – CEP: 22031-011

Telefone + 55 (21) 2143-6516

WhatsApp +55 (21) 99682-0489

E-mail montax@montaxbrasil.com.br

www.montaxbrasil.com.br 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Montax Inteligência de Crédito e Cobrança Ltda.
CNPJ 11.028.620/0001-55
Copyright © 2009

Por Marcelo Montalvão (Montax Inteligência) e Paulo Vianna (Fernando Martins Advogados).

 

 

Montax Inteligência foi contratada para descobrir quem está por trás do site www.lblv.com.br, que fraudou centenas de cidadãos do Brasil com promessas de ganhos financeiros no Mercado Forex, opções binárias e ações de empresas listadas em Bolsas de Valores do Brasil e do exterior.

 

Mais que um novo caso de fraude, esse é um Estudo de Caso sobre toda uma indústria de fraudes online que lamentavelmente parece intocada pelos governos dos países onde essas empresas nascem e enriquecem.

 

O que você vai ler aqui:

 

1- Sumário

2- LBLV LTD.

3- “Os lobos de Tel Aviv”

4- O Esquema FSM

5- LBLV não tem licença para operar no Brasil

6- LBLV, Ronaldinho Gaúcho e o Esquema FSM

7- Inteligência Financeira

8- Era Digital (ou a Nova Economia)

9- Do Crime Organizado Transnacional (Decreto 5.015/2004)

10- Da responsabilidade dos Provedores de Internet e da ANATEL

 

 

1- Sumário

 

Mais que uma pirâmide financeira, a LBLV LTD. é simplesmente uma “arapuca”: Depois que te convencem a realizar “investimentos”, eles somem com seu dinheiro.

 

Montax identificou os principais controladores da LBLV LTD., que é apenas um dos tentáculos de uma organização criminosa transnacional gigantesca e multitentacular apelidada por profissionais de Inteligência Financeira europeus como “Esquema FSM”.

 

É assim chamado porque uma das mais antigas empresas é a FSM SMART LIMITED da Suíça.

 

Além de um núcleo financeiro pulverizado em Paraísos Fiscais da África, Caribe e Europa, a LBLV LTD. tem um núcleo tecnológico e escritórios de vendas em Israel e Brasil.

 

Montax conseguiu provas de crimes financeiros e inconformidades no Brasil, praticados tanto por estrangeiros quanto por cidadãos nacionais, e provas das conexões entre eles.

 

E ativos financeiros deles.

 

O caso é complexo e demandou o apoio do Ministério Público Federal e Ministério da Justiça e Segurança Pública, da Secretaria Nacional de Justiça e do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional.

 

O governo do Brasil deverá solicitar ajuda dos departamentos de justiça de vários países, especialmente da Interpol e da Europol.

 

O desafio da Montax foi acessar provas da integração econômica e fraude internacional, infrações cuja prática tenha repercussão internacional e exija repressão uniforme que justifiquem a atuação do Ministério Público Federal e da polícia federal (artigo 144, inciso 1º e § 1º, inciso I da Constituição) e do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI) do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

 

Montax conseguiu demonstrar que os crimes financeiros tiveram suporte de Provedores de Internet mal intencionados que ou hospedaram sites maliciosos ou registraram Domínios de Internet sem exigir documentos básicos para o registro.

 

Em ambos os casos, Domínios de Internet e sites de Corretoras de valores fraudulentas apenas substituíram marcas e sites anteriores que haviam sido banidos por fraudes e inconformidades, sites cujos controladores já haviam sido desclassificados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

 

Conseguimos isso com provas da utilização de meios de comunicação telemáticos do Brasil, empresas de estrangeiros que funcionam como Provedores de Internet para registrar e hospedar sites maliciosos.

 

Após seu banimento pela Comissão de Valores Mobiliários, os sócios dessas empresas replicaram operações fraudulentas com outros nomes.

 

Montax listou provas de que Atores (pessoas e organizações) nacionais e estrangeiros banidos pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) mais de 4 anos atrás simplesmente retornaram com nomes diferentes para praticar as mesmas fraudes.

 

Os controladores desses sites são em realidade pessoas ligadas ao Crime Organizado Transnacional (Decreto 5.015/2004).

 

 

2- LBLV LTD.

 

LBLV LTD. é uma corretora de valores online de Israel que pratica fraudes transnacionais por meio dos sites www.lblv.com e www.lblv.com.br e “Corretores” bilíngues recrutados no Brasil e no exterior.

 

Seu garoto propaganda é ninguém menos que o controverso craque celebridade, Ronaldinho Gaúcho.

 

A empresa tem sede fiscal em um escritório virtual no Paraíso Fiscal das Ilhas Seychelles.

 

Mas sua sede operacional é bem diferente.

 

Paraíso Fiscal é conceito geralmente atribuído a países ou estados que ou dispensam explicações acerca da origem do dinheiro ou exigem taxas tributárias próximas de “0%”, ou ainda, preservam os dados dos sócios e mantém sigilo acerca dos beneficiários das sociedades.

 

São muitas empresas offshore que têm como endereço oficial (sede meramente fiscal) as Unidades desse prédio comercial na cidade de Victoria, na capital da Ilha de Mahé (Seychelles), muitas das quais foram reveladas com o vazamento dos documentos da empresa de serviços financeiros Mossack Fonseca & Co, episódio mundialmente conhecido como o escândalo Panama Papers.

 

Segundo as leis de Seychelles, a LBLV LTD. é uma CSL Companie (Special Licenses), (“Empresa com Licença Especial”), instrumento jurídico de negócios com regulamentação específica, como “serviços de investimento, inclusive Mercado Forex”, conforme a Lei das Empresas (com Licença Especial) de 2003.

 

Esse tipo de negócio exige apenas um “Secretário” residente em Seychelles. Acionistas ou sócios não precisam ser residentes. Ao contrário das empresas offshores locais, que não recolhem tributos, as CSL pagam 1,5% sobre rendimentos em nível mundial, e não estão obrigadas a pagar impostos sobre dividendos, juros e royalties e transferência de ações.

 

Dados dos sócios da LBLV LTD. estão na Seychelles Revenue Commission (SRC), sua Receita Federal.

 

Esses negócios são regulados pela Seychelles International Business Authority (SIBA) (“Autoridade de Negócios Internacionais de Seychelles”) e na seção de Entidades Reguladas/Mercado de Capitais da Financial Services Authority (FSA), a comissão de valores mobiliários de Seychelles.

 

Mantivemos contato com a FSA e acessamos dados e informações acerca dos sócios da LBLV LTD.

 

Apesar de dispensar explicações acerca da origem do dinheiro e exigir taxas muito baixas para registro de companhias financeiras, Seychelles garante o Direito de Acesso à Informação porque não preserva o sigilo societário nem a identidade dos sócios das empresas de serviços financeiros.

 

Um Paraíso Fiscal de nível moderado (em alguns casos).

 

Segundo o Manual de Cooperação Jurídica Internacional – Matéria Penal e Recuperação de Ativos (2019) do Ministério da Justiça e Segurança Pública | Secretaria Nacional de Justiça | Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional, Seychelles é Estado-parte da Convenção das Nações Unidas contra o Tráfico Ilícito de Entorpecentes e Substâncias Psicotrópicas (Decreto 154/1991); Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional (Decreto 5.015/2004); e Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção (Decreto 5.687/2006).

 

O acordo multilateral que melhor se aplica ao caso em andamento é a Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional (Decreto 5.015/2004).

 

 

3- “Os lobos de Tel Aviv”

 

A maioria dos Corretores da LBLV LTD. são jovens imigrantes israelenses de dupla nacionalidade.

 

São judeus franceses, judeus russos ou judeus brasileiros que se mudaram para Israel e operam uma verdadeira “indústria” de apostas e negócios online.

 

Empresas como LVLB LTD. são comuns em Israel e pagam praticamente o dobro do salário normal, reúnem esses jovens em call centers multiligues e vendem “investimentos” para residentes no exterior.

 

Eles se apresentam como “Corretores”, mas, na realidade são fraudadores sob o pretexto de vendas de cursos online de “Trader” com base em licenças de uso de softwares como MetaTrader4 e MetaTrader5 e opções de investimentos no Mercado Forex e ações de companhias americanas.

 

Os Corretores da LBLV também oferecem ações de empresas listadas na Bolsa de Valores do Brasil (B3). Aqui percebemos nitidamente o interesse da União, em conformidade com o artigo 109 inciso IV da Constituição, porque a moeda nacional foi desviada por ataque estrangeiro mediante “terrorismo econômico” poderia ter sido usado para alavancar a economia nacional (se ao invés da remessa ao exterior fosse investido na Bolsa de Valores do Brasil).

 

Os “investidores” são seduzidos pela promessa de lucros fáceis e exorbitantes.

 

As vítimas são enganados com base em um antiquíssimo “gatilho mental”: A boa e velha ganância.

 

Independentemente dos fatores econômicos ou psicológicos, são um pretexto para fraude, retirar dinheiro das pessoas mediante ardil e engodo, o que ficou evidente pelas circunstâncias que se seguem:

 

  • Sites com imagens dinâmicas de um famoso jogador de futebol e ídolo de multidões no mundo todo;
  • Corretores ligam de telefones VoIP com números de mercados maduros como os EUA, Reino Unido e Austrália;
  • Corretores prometem rentabilidade muito acima dos valores de mercado;
  • Corretores prometem cursos de “Trader” em um momento que essa virou a profissão da moda;
  • Corretores prometem bônus elevados pelo recrutamento de novos clientes;
  • Corretores prometem premiações em artigos de luxo como iPhones;
  • Corretores são extremamente persuasivos com “investidores”;
  • Corretores às vezes são “ácidos” com clientes hesitantes;
  • Corretores não devolvem o “saldo” das contas dos “investidores” com base em “cláusulas contratuais”.

 

Com o recrutamento de Vendedores altamente persuasivos ao estilo “O Lobo de Wall Street” e promessa de pagamento de bônus pela indicação de novos clientes, a LBLV LTD. passou a contar com verdadeiros Agentes Autônomos de Investimentos (AAI) informais para expandir sua influência no Brasil.

 

Seguem alguns depoimentos de vítimas no vídeo “SE VOCÊ FOI LESADO PELA LBLV, ME CONTATE AGORA” do canal Japa Rico em Hong Kong, que demonstram a persuasão e malícia dos Corretores da LBLV:

 

“Sim, fui lesado! Em dezenas de milhares de dólares!!! Usam de técnica de persuasão e muitos conhecimentos do comportamento humano… São psicopatas!!!”

Edevaldo R.S Ribeiro

 

“Boa tarde, perdi uma grana nessa corretora e conheço um grupo de pessoas que somados devem ter quase 5 milhões de prejuízo…”

José Carlos

 

“Bom dia Japa…Só agora vi o seu esclarecimento sobre esta corretora picareta, fui lesado em mais de $ 17.000.00 dólares…dinheiro fruto de suor e de empréstimos que me orientaram a fazer, acredita isso abalou a minha vida financeira, como posso entrar com processo?”

Carlos Barbosa

 

Os Corretores se apresentavam ao telefone para pedir aos investidores que realizassem depósitos ou transferências em conta bancária de empresas do Brasil, a maioria delas empresas de meios de pagamento online, como são chamadas as intermediadoras de pagamento cujas contas escapam do sistema financeiro nacional e onde o Ministro da Economia Paulo Guedes quer tributar diretamente “na fonte”.

 

As principais empresas intermediadoras de pagamentos eletrônicos do Brasil são Cielo, Paypal, PagSeguro, MercadoPago, Wirecard, PayU e Pagarme.

 

Mas, as empresas braço-financeiro da LBLV no Brasil eram outras…

 

Por conta da dificuldade de identificar os sócios da LBLV LTD., as vítimas que não contrataram assessoria especializada em crimes financeiros transnacionais distribuíram ações de cobrança e indenização no Tribunal de Justiça do ESTADO DE SÃO PAULO contra a principal intermediadora de pagamentos e uma Cooperativa de crédito que funcionou como banco dela.

 

A mais emblemática delas é a Ação de Indenização 1006683-29.2019.8.26.0565, quer porque tem o Valor da Causa de mais de R$ 2 milhões, quer porque rendeu reportagem do Portal do Bitcoin “Estou sendo ameaçado por perder R$ 1 milhão na corretora que o Ronaldinho faz propaganda – Trader investiu dinheiro de amigos na LBLV e agora não tem como pagá-los” de 31 de maio de 2020.

 

A vítima era um “Trader” profissional que investiu recursos próprios e de terceiros na plataforma da LBLV LTD. e perdeu quase tudo.

 

Em sua defesa, a intermediadora de pagamento alegou simplesmente que as leis do Brasil não se aplicam ao caso envolvendo empresa de Seychelles e deixou escapar que “o negócio jurídico foi realizado em Hong Kong” (!) e que “o demandante não comprovou o valor existente em sua conta investimento na HQBroker de Hong Kong”(!!!???) (Fonte: Ação de Indenização 1006683-29.2019.8.26.0565).

 

Essa intermediadora de pagamento não negou nem confirmou o vínculo ou a razão de sua conexão com a LBLV LTD. (!?) e também não apresentou contrato de intermediação de negócios.

 

Mas… A vítima não havia falado nada sobre Hong Kong e HQBroker?!…

 

O site The Forex Review comentou em sua reportagem “Análise da LBLV – 5 coisas que você deve saber sobre a lblv.com” em 5 de dezembro de 2018:

 

“[…] A LBLV é propriedade da LBLV Ltd., […] O corretor diz ser regulamentado pela Financial Services Authority (FSA) das Seychelles, mas isso não é sério. A FSA é basicamente apenas um cartório, mantendo registros de todos os tipos de negócios offshore, com base na ilha e nada mais. Eles não são uma autoridade financeira legítima como a Financial Conduct Authority (FCA) no Reino Unido, a Australian Securities and Investments Commission (ASIC) ou a Cyprus Securities and Exchange Commission (CySEC), por exemplo, já que a FSA não possui quaisquer requisitos para as empresas ali registradas […]”

 

Na lista negra de Corretoras fraudulentas do site Investing, a LBLV LTD. aparece como integrante da mesma organização criminosa por trás do site Investing Brasil (www.investingbrasil.com) – não confundir com a denunciante Investing, que foi imitada – (support@investingbr, 11-4210-7688, 61-4042-7295 e 21-4042-0562) conjuntamente com MANUELLA GOMES (manuella.gomes@investingbrasil.com, 11-4230-1033), GUILHERME ALVES (guilherme.alves@lblv.com) e “QUANTUM TEAM – LBLV”.

 

A marca HQBroker é da CAPZONE INVEST LTDA., empresa impedida de ofertar serviços de intermediação de valores mobiliários no Brasil, conforme Ato Declaratório (CVM) 17.088, de 15 de abril de 2019.

 

O mesmo pela Autoridade de Conduta Financeira (FCA) do Reino Unido em abril de 2018.

 

E pela Comissão de Securitização e Investimentos da Austrália (ASIC) (sem data)…

 

São muitos indícios de que as intermediadoras de pagamento funcionam como o braço financeiro (“laranjas”) de uma organização criminosa internacional no Brasil.

 

Estamos falando de uma organização criminosa internacional de fraudes de Corretores de valores online conhecida como “Esquema FSM.

 

 

4- O Esquema FSM

 

O “Esquema FSM foi muito bem exposto pelo Todays News Headlines de 16 de junho de 2020.

 

O esquema foi batizado assim porque uma de suas empresas mais antigas é a FSM SMART LIMITED da Suíça.

 

É uma organização criminosa internacional muito, muito bem estruturada de estelionato (fraude) travestido de serviços de Corretagem de valores mobiliários.

 

A FSM SMART LIMITED é a Corretora que opera no Mercado Forex, Metais e Derivativos com sede fiscal na Hertensteinstrasse, 51 Luzern 6004 (Suíça) por meio do site www.fsmsmarts.com e variações.

 

O Esquema FSM é uma organização criminosa com dezenas de empresas com registros de constituição e incorporação em países de regulamentação ineficaz como Chipre, Suíça, Seychelles, Malta e Ilhas Marshall, mas, seus escritórios e call centers multilíngues estão estabelecidos em países de mão-de-obra barata de jovens poliglotas do mundo todo como Israel e Filipinas.

 

Os jovens “Vendedores” são treinados a dizer que estão em mercados maduros e altamente regulados como Reino Unido e Austrália.

 

A leitura do indigitado artigo “Expondo o “Esquema FSM” – FSM SMART, TRADE12, HQBROKER, MTI MARKETS, MX TRADE etc” dá uma ideia do tamanho, antiguidade e pulverização do Esquema FSM.

 

Por trás da LBLV LTD./Esquema FSM de escala global existe uma indústria israelense de fraudes online com pornografia, jogos-de-azar, Mercado Forex e opções binárias.

 

Essa indústria foi chamada de “terrorismo econômico” pelo ex-funcionário de empresas do Mercado Forex israelense, ARIEL MAROM, em sua carta-denúncia aos comitês de Finanças e Ética do Knesset, o parlamento israelense, em novembro de 2014, conforme revelou o jornal The Times of Israel em seu elucidativo artigo Os lobos de Tel Aviv: exposto o vasto esquema amoral de opções binárias de Israel.

 

Segundo ARIEL MAROM, o regulador dos serviços bancários e o Comitê de Finanças do Knesset deveriam agir imediatamente para impedir o que ele chamou na sua carta há 6 anos atrás de uma

 

“[…] onda de pilhagem, roubo, fraude, lavagem de dinheiro e crime em escala internacional que é administrado e operado em Israel, isto é, prejudicando milhares de clientes em todo o mundo”.

Na reportagem Os lobos de Tel Aviv, o jornal The Times of Israel compara os Corretores do Mercado Forex e opções binárias de Tel Aviv com o fraudador Jordan Belfort interpretado por Leonardo DiCaprio no filme “O Lobo de Wall Street”

 

Esses “Analistas” são Corretores ilegais ou Agentes Autônomos de Investimentos (AAI) informais, porque não registrados na ANBIMA, que persuadem investidores-vítimas a realizar depósitos em várias contas bancárias de empresas intermediadoras de pagamento.

 

Os controladores das empresas intermediadoras de pagamento sabiam que seu cliente internacional LBLV LTD. não agia de boa-fé.

 

Em princípio, as intermediadoras de pagamento parecem funcionar tão somente como intermediadoras de pagamentos eletrônicos, como suas concorrentes mais destacadas, contratadas para arrecadar os valores e realizar a remessa de dinheiro ao exterior (leia-se evasão de divisas).

 

Mesmo na hipótese de terem agido de boa-fé, seus sócios devem prestar esclarecimentos e exibir contratos de serviços e os dados bancários dos beneficiários dos valores arrecadados de investidores do Brasil pela LBLV LTD.

 

Trata-se de uma organização criminosa, do Esquema FSM no Brasil,  em que as vítimas – acreditando estar realizando investimentos diversos – compram mediante venda dolosa contratos de investimento coletivo que somente poderiam ser oferecidos ao público por meio de instituição financeira autorizada pelo órgão competente, a CVM.

 

A prática é de possível crime de evasão de divisas, caracterizado como a conversão de real em moeda estrangeira, não autorizada, com o fim de promover a remessa de capitais ao exterior, orquestrada por organização criminosa transnacional em ataque de “terrorismo econômico” contra a nação brasileira.

 

Tudo mediante fraude, desviando o dinheiro de cidadãos brasileiros que poderiam investir na Bolsa de Valores do Brasil alavancando consideravelmente a economia do Brasil e gerando tributos no País, em claro prejuízo da União.

 

Os depoimentos dos sócios da intermediadoras de pagamento podem revelar as contas de Paraísos Fiscais de destino dos valores arrecadados pela LBLV no Brasil.

 

 

5- LBLV não tem licença para operar no Brasil

 

Em 22 de julho de 2019 – portanto há mais de 1 ano -, com base no Ato Declaratório (CVM) 17.263, de 16 de julho de 2019, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), agência do governo do Brasil que regulamenta o mercado de capitais, emitiu um alerta sobre a atuação irregular da LBLV LTD.:

 

“a empresa LBLV Ltd. não está autorizada por esta Autarquia a captar clientes residentes no Brasil […] a imediata suspensão de qualquer oferta pública, de forma direta ou indireta, a investidores residentes no Brasil de oportunidades de investimento no mercado Forex, por qualquer meio, alertando que a não observância da presente determinação a sujeitará à imposição de multa cominatória diária, no valor de R$ 1.000,00 (hum mil reais), sem prejuízo da responsabilidade pelas infrações já cometidas antes da publicação deste Ato Declaratório, com a imposição da penalidade cabível, nos termos do art. 11 da Lei nº 6.385, de 1976, após o regular processo administrativo sancionador”.

 

Lamentavelmente o alerta foi publicado somente no Diário Oficial da União (DOU) e em alguns jornais de negócios, veículos de comunicação social que não atingem o público-alvo, buyer persona e vítimas comuns da LBLV: Usuários da Internet.

 

Os principais “clientes” da LBLV são jovens e inexperientes investidores que desconhecem o mundo das fraudes financeiras internacionais. Eles têm acesso à informação pela Internet, principalmente Google, Facebook e Instagram.

 

Ainda mais lamentável é o fato de a “suspensão” da LBLV LTD. não ter sido efetivamente aplicada, afinal, a LBLV LTD. e seus sites continua funcionando no Brasil (!!!).

 

Aparentemente, o governo do Brasil cuida da LBLV e outras empresas do Esquema FSM como questão meramente de Direito Econômico (mercado de capitais) por meio da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), ao invés de olhar o caso como questão de Direito Penal Econômico, segurança, fraude internacional, lavagem de dinheiro e evasão de divisas pelo Ministério Público Federal e polícia federal.

 

A marca LBLV não tem uma empresa ou representante legal no Brasil. Não oficial e formalmente.

 

As leis do Brasil são formais e ainda estão se adaptando às transformações econômicas e sociais da Era Digital.

 

Talvez o governo do Brasil não saiba que o e-mail é o novo CPF.

 

E quando não temos o CPF do fraudador ou ele não tem CPF porque opera de fora do Brasil, temos que rastrear seu IP ou e-mail.

 

Esse é o lado tecnológico e de tecnologia da informação do Esquema FSM.

 

 

6- LBLV, Ronaldinho Gaúcho e o Esquema FSM

 

Em auditoria ao site www.lblv.com.br, versão em Português do Brasil do site www.lblv.com, ambos com imagens fotográficas e dinâmicas do Jogador de Futebol Ronaldinho Gaúcho, acessamos a parte de “cadastro” onde constam seus Termos e Condições de Uso, Política de Privacidade, Política de Divulgação de Riscos, Política de Conflito de Interesses e Política de Execução de Ordens, todos em Inglês.

 

Ronaldinho Gaúcho é um craque controverso: Um dos melhores jogadores de futebol de todos os tempos está envolvido em vários casos de fraudes e até assassinato.

 

Ronaldinho Gaúcho recentemente foi preso no Paraguai pelo usos de passaporte falso.

 

Sua imagem e som de voz atraem o público.

 

Voltando a LBLV, o Domínio de Internet www.lblv.com.br foi registrado no Registro.BR assim:

 

TITULAR: CRISTINA VIVIAN

PROVEDOR: GODADDY SERVIÇOS ONLINE DO BRASIL LTDA.

Contato (ID): CRVIV9 de CRISTINA VIVIAN

 

São dados de propriedade falsos. Tática e tentativa de despistamento.

 

Vejamos.

 

CRISTINA VIVIAN não é um nome completo, mas, tão somente, um pré-nome composto. Faltou o sobrenome.

 

O filme institucional da LBLV LTD. com o craque Ronaldinho Gaúcho é da Blue Monkeys Produções de Bene Beraq (Israel), mais uma pista da localização do escritório ou call center da LBLV LTD.

 

Os produtores do vídeo podem entregar cópia do contrato de serviços e prestar esclarecimentos sobre as pessoas físicas de seus contratantes.

 

Apesar de o filme de Ronaldinho Gaúcho ser o carro-chefe dentre as imagens dinâmicas da produtora de vídeos, a marca LBLV não consta na listagem de clientes (!) senão na descrição do “projeto LBLV”:

 

“Este é um projeto que filmamos no Brasil com ninguém menos que Ronaldinho! Temos um talento lendário com certeza, mas também uma produção de conteúdo e um pensamento meticuloso foi feito aqui para conectar as mensagens da campanha ao público-alvo. Enquanto o público-alvo na área de e-commerce já está acostumado com a publicidade baseada em ação, o verdadeiro desafio era pegar o apresentador incrível e as mensagens e uni-los em um vídeo incrível. Após reflexão cuidadosa e diferentes conceitos, chegamos a um conceito claro que mostra como “vamos treinar para vencer” se conecta com o mundo de Ronaldinho, que é mostrado na prática com figuras de criptomoedas. Na verdade, até mesmo o vídeo não tinha som algum – só de assistir a esse vídeo qualquer um consegue entender a mensagem, e quem senão Ronaldinho para passá-la?”.

 

O site da LBLV LTD. permanece funcionando no Brasil, apesar de a Comissão de Valores Mobiliários ter determinado a “suspensão de qualquer oferta pública” pela LBLV LTD. no Brasil em 16 de julho de 2019.

 

Montax descobriu conexões entre os controladores do site www.fsmnews.com.br da empresa Financial Stock Market (FSM) com os controladores da LBLV LTD. e suas empresas de tecnologia no Brasil e Europa.

 

Na verdade acessamos provas da participação de cidadãos do Brasil, Europa e Israel na LBLV LTD. e de sua integração econômica com o indigitado Esquema FSM.

 

São negócios “legítimos” de tecnologia da informação, marketing e meios de pagamento que dão suporte a um esquema fraudulento.

 

O material “FSM News” é um braço de propaganda das Corretoras do Esquema FSM, conforme o o exemplar de uma publicação de 2016 que a Montax teve acesso.

 

As coincidências dos sites FSM News (2016) e LBLV (2019) e modus operandis de criar sempre 2 sites de investimentos online, uma .com e outra .com.br, são fortes indícios de que a LBLV é empresa sucessora da da empresa Financial Stock Market (FSM).

 

Sobre a conexão da Financial Stock Market (FSM) com a LBLV, não deixe de ler a reportagem “Legado das Opções Binárias – O ainda ativo golpe da FSM Smart e o Esquema da Lau com a R Capital Connections” de 6 de junho de 2020 do site FinTelegram News, o Blog da empresa de Inteligência Financeira FINANCIAL INTELLIGENCE BUREAU LTD.

 

Em outro artigo intitulado Solicitação de Informações – FSM Smart, Armin Ordodary e Lau Global Services Corp, a empresa de Inteligência Financeira privada da Europa aponta que essa rede de empresas e marcas que operam fraudes online do tipo Corretagem de opções binárias é liderada pela LAU GLOBAL SERVICES CORP, empresa com sede Belize controlada por ARMIN ORDODARY de Kiev, Ucrânia.

 

Organograma do Esquema FSM segundo a FINANCIAL INTELLIGENCE BUREAU LTD.
Fonte: https://fintelegram.news/fsm-smart-armin-ordodary-lau-global-services-corp/

 

 

7- Inteligência Financeira

 

A Inteligência Financeira da Montax descobriu esquema fraudulento diferente em alguns aspectos do Esquema Ponzi tradicional conhecido como “pirâmide financeira”.

 

No caso da LBLV LTD. a empresa não devolve absolutamente nada e suas operações não são paralisadas quando a pirâmide rompe porque não existe pirâmide em que novos investidores (entrantes) suportam os rendimentos dos antigos.

 

A LBLV LTD. simplesmente não devolve nada ou quase nada e consegue mais vítimas na Internet.

 

A “pirâmide financeira” não cai, não desmorona, os fraudadores apenas trocam de nome, marca e site quando as vítimas descobrem que caíram em um golpe e param de realizar aportes.

Eles aparentemente não fraudam cidadãos de Israel e países com legislações “duras” com esse tipo de golpista, como “USA, North Korea and Iran” (vide declaração na parte final do site www.fsmsmarts.com).

 

Uma Ata Notarial foi lavrada para a manutenção das provas da conexão entre o Esquema FSM no Brasil por meio do Domínio de Internet www.fsmnews.com.br e a LBLV LTD. do site www.lblv.com.br

 

A Inteligência Financeira da Montax concluiu que os crimes financeiros transnacionais da Corretora de valores online LBLV LTD. contra pessoas físicas (varejo) foram praticados por um tentáculo de organização criminosa gigante e multitentacular apelidada por profissionais de Inteligência Financeira independentes europeus como “Esquema FSM”.

 

Não há notícias de investigações da Interpol ou da Europol acerca dessa organização criminosa.

 

Montax entende que as operações financeiras da LBLV LTD. são fraudes transnacionais, escalonadas, replicantes e seriadas. Seus controladores são fraudadores “em série”. LBLV é apenas outra empresa dentre diversas da mesma organização que são replicadas em vários países na medida em que a marca/empresa anterior é banida.

 

 

8- Era Digital (ou a Nova Economia)

 

LBLV LTD. conta com 2 núcleos básicos: Um núcleo financeiro de suporte financeiro e fiscal para registro e constituição da empresa em Paraísos Fiscais e um núcleo tecnológico de suporte de TI, registro de Domínio de Internet, web-design e marketing digital para atrair as vítimas nas redes sociais.

 

É empresa típica da Era Digital, da nova economia que tem no Marketing Digital sua estratégia e poder de multiplicação.

 

Desde que o custo de aquisição do cliente (CAC) seja inferior ao lifetime value (LTV), os valores a serem pagos pelo cliente de forma recorrente, ao longo do tempo, o lucro é exponencial. E a forma de conseguir um LTV maior que o CAC é na Internet, especialmente nas redes sociais.

 

Na “linha de frente” estão os “Corretores vendedores” que mantêm contatos telemáticos (WhatsApp) e contatos telefônicos com interessados. Eles usam técnicas de persuasão e “gatilhos mentais” para convencer pessoas inexperientes a “investir”.

 

São fraudadores com nomes falsos e telefones tipo VoIP (voz sobre IP) de difícil rastreamento.

 

O dinheiro está pulverizado em contas de empresas offshore em Paraísos Fiscais ao redor do mundo, a maior parte em Israel, nação de origem da LBLV LTD. e dos principais suspeitos de exercer o controle da LBLV LTD.

 

 

9- Do Crime Organizado Transnacional (Decreto 5.015/2004)

 

Por trás dos sites da LBLV LTD., CAPSONE INVEST LTD., QUANTUMTEAM OU e várias outras Corretoras de valores fraudulentas existem organizações criminosas multinacionais que operam em vários mercados e idiomas a partir de Israel.

 

Existe um “gap” de aproximadamente 12 meses entre a proibição de oferta pública de ações ou alerta de fraude na Europa e o mesmo pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) no Brasil. Isso permite que continuem operando na Europa e Brasil, por conta da dificuldade de fiscalização offshore.

 

Existem indícios de crime organizado transnacional do Decreto 5.015/2004.

 

LBLV LTD. e o Esquema FSM são um “Grupo criminoso organizado” – grupo estruturado de três ou mais pessoas, existente há algum tempo e atuando concertadamente com o propósito de cometer uma ou mais infrações graves ou enunciadas na presente Convenção, com a intenção de obter, direta ou indiretamente, um benefício econômico ou outro benefício material (Artigo 2 – Terminologia).

 

 

10- Da responsabilidade dos Provedores de Internet e da ANATEL

 

Ou os Provedores de Internet hospedaram sites fraudulentos e permitiram o Registro com dados falsos, no caso da LBLV.com.br, ou o Esquema FSM desenvolveu um Provedor de Internet exclusivo no Brasil para garantir o tráfego (acesso) aos seus sites e plataformas de investimento online.

 

E podem estar “lavando” dinheiro com as empresas de Domínio de Internet na Europa.

 

Mal comparando, é como se traficantes de entorpecentes constituíssem empresa de transporte aéreo internacional (!) para disfarce e operações de tráfico de entorpecentes.

 

Como empresas de tecnologia da informação (TI) responsáveis pelo Registro do Domínio e hospedagem de sites, os Provedores de Internet devem ser responsabilizadas civilmente em maior ou igual grau que o das intermediadoras de pagamento online responsáveis pela arrecadação e evasão de divisas, quer porque poderiam ter retirado os sites fraudulentos da Internet, quer porque negligenciaram a aplicação de leis de proteção de dados pessoais.

 

Compliance dos Provedores de Internet foi muito “frouxo”.

 

É aqui que a fraude online em massa (varejo) se destaca da fraude bancária ou da fraude simples, a fraude “de rua”: Na fraude online o fraudador depende de um canal aberto de comunicação social na Internet.

 

Esse canal é um site ou Blog ou mesmo página de uma rede social.

 

Daí a importância da Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL) fiscalizar sites de Corretoras de valores conjuntamente com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM). E da eventual responsabilização dos diretores dessas agências em casos de prevaricação, advocacia administrativa ou flagrante desídia.

 

Quanto ao Esquema FSM no Brasil, se comprovada a existência de “Grupo criminoso organizado” seus integrantes podem responder por

Estelionato – Artigo 171 do Código Penal:

Art. 171 – Obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento:

Pena – reclusão, de um a cinco anos, e multa, de quinhentos mil réis a dez contos de réis.

 

Fraudes e abusos na fundação ou administração de sociedade por ações – Artigo 177 do Código Penal:

Art. 177 – Promover a fundação de sociedade por ações, fazendo, em prospecto ou em comunicação ao público ou à assembléia, afirmação falsa sobre a constituição da sociedade, ou ocultando fraudulentamente fato a ela relativo:

Pena – reclusão, de um a quatro anos, e multa, se o fato não constitui crime contra a economia popular.

 

Crime contra a economia popular da Lei 1.521/1951:

IX – obter ou tentar obter ganhos ilícitos em detrimento do povo ou de número indeterminado de pessoas mediante especulações ou processos fraudulentos (“bola de neve”, “cadeias”, “pichardismo” e quaisquer outros equivalentes); VII – dar indicações ou fazer afirmações falsas em prospectos ou anúncios, para fim de substituição, compra ou venda de títulos, ações ou quotas;

IX – gerir fraudulenta ou temerariamente bancos ou estabelecimentos bancários, ou de capitalização; sociedades de seguros, pecúlios ou pensões vitalícias; sociedades para empréstimos ou financiamento de construções e de vendas e imóveis a prestações, com ou sem sorteio ou preferência por meio de pontos ou quotas; caixas econômicas; caixas Raiffeisen; caixas mútuas, de beneficência, socorros ou empréstimos; caixas de pecúlios, pensão e aposentadoria; caixas construtoras; cooperativas; sociedades de economia coletiva, levando-as à falência ou à insolvência, ou não cumprindo qualquer das cláusulas contratuais com prejuízo dos interessados;

Pena – detenção, de 2 (dois) anos a 10 (dez) anos, e multa, de vinte mil a cem mil cruzeiros.

 

Crimes contra o sistema financeiro nacional da Lei 7.492/1986:

Art. 1º Considera-se instituição financeira, para efeito desta lei, a pessoa jurídica de direito público ou privado, que tenha como atividade principal ou acessória, cumulativamente ou não, a captação, intermediação ou aplicação de recursos financeiros (Vetado) de terceiros, em moeda nacional ou estrangeira, ou a custódia, emissão, distribuição, negociação, intermediação ou administração de valores mobiliários. Parágrafo único. Equipara-se à instituição financeira:

I – a pessoa jurídica que capte ou administre seguros, câmbio, consórcio, capitalização ou qualquer tipo de poupança, ou recursos de terceiros;

II – a pessoa natural que exerça quaisquer das atividades referidas neste artigo, ainda que de forma eventual.

Art. 5º Apropriar-se, quaisquer das pessoas mencionadas no art. 25 desta lei, de dinheiro, título, valor ou qualquer outro bem móvel de que tem a posse, ou desviá-lo em proveito próprio ou alheio: Pena – Reclusão, de 2 (dois) a 6 (seis) anos, e multa.

Parágrafo único. Incorre na mesma pena qualquer das pessoas mencionadas no art. 25 desta lei, que negociar direito, título ou qualquer outro bem móvel ou imóvel de que tem a posse, sem autorização de quem de direito.

Art. 22. Efetuar operação de câmbio não autorizada, com o fim de promover evasão de divisas do País:

Pena – Reclusão, de 2 (dois) a 6 (seis) anos, e multa.

Parágrafo único. Incorre na mesma pena quem, a qualquer título, promove, sem autorização legal, a saída de moeda ou divisa para o exterior, ou nele mantiver depósitos não declarados à repartição federal competente.

 

Crimes de “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores da Lei 9.613/1998:

Art. 1o Ocultar ou dissimular a natureza, origem, localização, disposição, movimentação ou propriedade de bens, direitos ou valores provenientes, direta ou indiretamente, de infração penal.

 

Os crimes antecedentes, crimes anteriores que justificariam o crime de “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores, seriam o estelionato (fraude) contra clientes e investidores na solicitação de valores para “investimentos” que não davam retorno ou tinham o saque negado por “motivos contratuais” e a evasão de divisas (lei de crimes-do-colarinho branco) pela remessa dos valores arrecadas ao exterior.

 

Nesse sentido, é imperiosa a competência da Justiça Federal porque se trata de crime de evasão de divisas do artigo 22 da Lei 7.492/1986.

 

Montax Inteligência e Fernando Martins Advogados conseguiram realizar a identificação e a localização pessoal e patrimonial dos controladores e braços financeiros da LBLV LTD. em Israel, EuropaBrasil.

 

Solicitamos apoio do Ministério Público Federal (MPF) e do Departamento de Polícia Federal tanto para a recuperação de ativos quanto para a segurança das vítimas denunciantes e proteção de dados pessoais e identificação dos autores das tentativas de acesso remoto aos sistemas informatizados e telefônicos das empresas privadas que estão na linha de frente e na vanguarda da luta contra o Esquema FSM e a LBLV LTD.

 

MARCELO MONTALVÃO

Diretor da Montax Inteligência, franquia de Inteligência & Investigações que já auxiliou centenas de escritórios de advocacia e departamentos jurídicos de empresas como Cyrela, LG Eletronics, Localiza Rent A Car, Sara Lee, Kellog, Tereos, Todeschini, Sonangol Oil & Gas, Chinatex Grains and Oils, Generali Seguros, Estre Ambiental, Magneti Marelli, Banco Pan, BTG Pactual, Banco Alfa, W3 Engenharia, Geowellex e muitas outras marcas.

Especialista em Direito Penal Econômico e solução de crimes financeiros como estelionato (fraude), fraude a credores, fraude à execução, evasão de divisas e “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores.

Autor do livro Inteligência & Indústria – Espionagem e Contraespionagem Corporativa.

Conecte-se com Marcelo no LinkedIn

Ouça o Marcelo no YouTube

Paulo Fernando Vianna da Silva

PAULO VIANNA

Advogado especialista em Direito Penal Econômico pela Fundação Getúlio Vargas e pós-graduado em Direito Tributário pela UCAM, com atuação nas áreas penal, civil e tributária.

Especialista em Política e Estratégia pela Escola Superior de Guerra (ESG) e Liderança pela Escola de Comando Maior do Exército (ECEME) cursou Poder Marítimo pela Escola de Guerra Naval (ENG) é responsável pelo Departamento de Recuperação de Ativos do Fernando Martins Advogados Associados.

Conecte-se com Paulo no LinkedIn

 

 

 

 

 

 

Due Diligence | Pesquisa de Bens | Investigação Empresarial | Compliance Intelligence

 

 

Rio de Janeiro – RJ

Rua Figueiredo Magalhães, 387/801 – Copacabana – CEP: 22031-011

Telefone + 55 (21) 2143-6516

WhatsApp +55 (21) 99682-0489

E-mail montax@montaxbrasil.com.br

www.montaxbrasil.com.br 

 

 

 

 

 

 

 

 

Montax Inteligência de Crédito e Cobrança Ltda.
CNPJ 11.028.620/0001-55
Copyright © 2009