Posts

Versão em Português

Case Study is the description of a problem and its solution. Well-done case studies reveal the problem studied, identifying it as a common phenomenon.

 

Problem solving theories are more easily applied when there is evidence of their previous successful application.

 

Case Study is pedagogical for solving a problem, theories of causes and prevention. The decision maker with a similar problem can make better inquiries about the solution method.

 

Check out Montax’s various Case Studies to see if we can help you.

 

 

Case Study – Housing Program “Minha Casa Minha Vida”

 

Evidence of fraud in the execution, “laundering” or concealment of assets accessed by Montax Intelligence allowed the unavailability of assets of all companies of a civil construction economic group and their partners after abandoning works of the Minha Casa Minha Vida housing program of the federal government in partnership with Caixa Econômica Federal (CEF) in the State of Pará (Brazil).

 

Montax discovered an equity holding company and that the partners of the insolvent construction company, in the pre-bankruptcy stage, transferred the shares of their equity holding company to their respective mothers.

 

The assignment of social quotas took place shortly before the controller attended the Hearing at the Public Ministry of Labor to close an agreement with the Union of the category.

 

The agreement had not been fulfilled.

 

 

Case Study – Giants Background Check

 

A giant in the US beverage industry is considering hiring a CEO of a Brazilian beverage giant for the position of director of foreign operations and consulted Montax Intelligence for background checks (criminal, civil and professional) of the national executive.

 

In just 72 hours, Montax confirmed the professional record, checked the civil record and found only 1 criminal record regarding the alleged tax evasion allegedly carried out in favor of the Brazilian beverage company.

 

Asked about the content of the Complaint, the initial part of the Criminal Action, Montax suggested the client from abroad to consult a sworn translator and a criminal lawyer specialized in Economic Criminal Law, professionals legally authorized to give an opinion on the matter, however, warning that the person consulted has no other criminal records, has an excellent reputation in the domestic market and the complexity of tax and labor laws in Brazil often generates unfair claims against directors of companies with operations in Brazil.

 

 

Case Study – Corporate Fraud

 

The “animal protein” commodity industry has grown a lot in recent years, either due to demand from Class C or from demand from China and the Middle East.

 

One of the three partners of one of the biggest animal food manufacturers suspected that he was being passed over.

 

Montax Intelligence discovered the fraudulent scheme and obtained evidence of corporate fraud, which basically consisted of the transfer of the company’s fixed and intangible assets to “clone” companies owned by the partners, who traded directly with the parent company’s customers and suppliers.

 

From fraud to tax evasion and “laundering” or concealment of assets, rights and values ​​in the form of real estate fixed assets registered in the corporate name and CNPJ (tax number) of equity holdings opened in the name and CPF (personal tax number) of the children and spouses of the fraudster partners, the company was practically emptied.

 

Montax identified the equity holdings and the properties absorbed by them with company revenues, as well as evidence of the abuse of legal personality and equity confusion, requirements of economic integration through disregard (normal and inverse) of the legal personality that would allow civil liability (indemnity) of the defrauded partner by all “clone” companies, holdings and their partners In law and in fact

 

 

Case Study – Partner Withdrawal Simulation

 

A European supplier of automotive parts has been “defaulted” by one of Brazil’s biggest customers, a distributor that is also a manufacturer of competing automotive parts.

 

But the investigation had nothing to do with a conflict of interest.

 

The European client needed to locate assets of the debtor company and partners to improve the effectiveness of the asset recovery lawsuit.

 

Montax Intelligence discovered evidence of the crime of execution fraud, characterized by a sophisticated system of patrimonial shielding: One of the partners simulated his withdrawal from the society, taking with him as “indemnification” the company’s fixed real estate assets.

 

A simulated asset emptying.

 

Montax accessed evidence that the exclusion of the partner was only “on paper”, the list of company assets transferred to the name/CPF of the excluded partner and even listed other assets of the partners.

 

 

Case Study – Foreign Trade, Money Laundering

 

Few companies generate as much money as foreign trade, international trade in agribusiness commodities, such as beef, corn and soybeans.

 

We are not talking about ships, but producers and intermediaries, people who guarantee that a large volume of seeds will arrive at the port on the agreed day.

 

Producers, cooperatives and intermediaries buy “seeds” and receive them in advance.

 

Montax Intelligence has already investigated many of these cooperatives and foreign trade companies and found that some simply “disappear” after gaining the trust of foreign customers eager for Brazil’s commodity.

 

On one occasion, a cooperative that negotiated with China, Europe and the Middle East stopped delivering goods after receiving more than US$ 20 millions.

 

Montax identified that its controller had a factory that did not generate profit – where the money of foreign trade customers was going -, opened a false international trade company abroad and made investments in another partner company in the United States of America.

 

Simple investigative due diligence or background checks would reveal that the controlling partner, a former Protestant pastor with many lawsuits, had no good reputation.

 

In addition to business abroad, Montax discovered real estate investments away from the company’s headquarters, but in cities where he was emotionally linked, an asset research premise that we explain in our online course Success in Execution and Pledge, Creditor Manual – Financial Intelligence for Asset Search and Credit Recovery.

 

 

Case Study – Pre-Bankruptcy Metallurgy

 

China “broke” many businesses in America, especially in Brazil, where the business environment was no longer the best.

 

The most affected sector was the Secondary Sector (manufacturing and basic industry).

 

And the industry most affected was steel and metallurgy. With debts of approximately US$ 2 millions to a Montax Intelligence consultant, we discovered that a metal materials factory is in a pre-bankruptcy state, and what is worse, of insolvency because it has debts of more than US$ 30 millions.

 

One of these debts dates back to the 1990s.

 

Failure of compliance, counterintelligence and corporate security led the supplier to the error of delivering products without any guarantee of payment.

 

Montax identified the extension, all the companies of the debtor economic group, especially the patrimonial company registered in the name of the children of the controlling patriarch.

 

This patrimonial company houses many rural areas and land in small towns in the interior.

 

The 2 asset shielding strategies of

 

a) investments on behalf of third parties (“strawman “) and
b) investments away from the controller’s domicile or the headquarters of the companies controlled by it.

 

These tactics were used together, but were no match for Montax Analysts.

 

 

Case Study – Retail and Risk

 

Selling everything to everyone, especially C and D consumers, is a good business strategy, right?

 

Not in times of economic crisis.

 

A creditor investment bank hired Montax Intelligence to identify equity companies and locate financial assets held by the shareholders of one of the largest retail groups in Brazil, currently under bankruptcy protection.

 

The bank creditor suspected that the controllers concealed personal assets, rights and values from the General Creditor Board in the judicial reorganization process.

 

Investors were right.

 

Montax discovered 4 farms and 2 equity companies opened in the name of third parties under the control of the majority shareholders, on the eve of the judicial reorganization, to house real estate, semmoventes (cattle) and shares of another investment bank.

 

 

Case Study – “Clone” Company

 

A leading regional multi-service medical clinic with innovative marketing technique suspected of corporate fraud.

 

Montax Intelligence discovered evidences that its Administrator had created “clone” companies, with identical corporate name and fantasy name, in his and his wife’s name, to misappropriate the values of the consultations.

 

The Financial Intelligence Report produced and the evidence accessed by Montax served as the basis for dismissal for just cause, initiation of a police inquiry for misappropriation and Precautionary Measure for the preparatory search and seizure of the Private Criminal Action, required by article 524 et seq. of the Brazil´s Code of Criminal Procedure in cases of crimes against industrial property.

 

 

Case Study – Swindler Customer

 

Leading company in the recycling market was hired by a smaller competitor, by e-mail, to dispose of construction waste in order to obtain Certificates from environmental agencies.

 

The service taker did not pay the bill, and the environmental company identified serious compliance failures.

 

Montax discovered that the client was, in reality, a gang of swindlers.

 

Its leader and other members were identified, as well as the asset protection scheme and money “laundering” in the purchase of real estate through real estate business powers of attorney and purchase and sale deeds in the wife’s name, not registered in the Registry of Properties.

 

Be sure to close deals online, but first, make sure that people and organizations De facto exist and what their operations are in the offline universe.

 

 

Case Study – Conflict of Interest of the Controlling Shareholder

 

Controlling shareholder usually wants the best for the company, doesn’t he? Not always.

 

Montax Intelligence was hired by the minority shareholders to obtain evidence of the controlling shareholder’s abuse of control power.

 

Suspicious accounting records indicated asset emptiness through “ghost” service providers.

 

Montax conducted an external audit of the company’s headquarters and found that they simply did not exist. And he got evidence of the equity – and suspicious – evolution of the controlling shareholder, with assets both in Brazil and abroad, and the constitution of a competing company, at the same time as the “fall” of net income and shareholder participation.

 

The controlling shareholder had improperly appropriated intangible assets such as organization, projects, know-how, specialized labor, computerized systems, marketing briefings and the company’s customer list to favor a company belonging to the economic group hidden from minority shareholders.

 

 

Case Study – Conflict of Interest II

 

A leading chemical industry innovation company hired Montax for Intelligence, Evidence Search & Investigations services after its commercial director abandoned its job.

 

Montax identified the corporate fraud consisting in the theft of trade secrets (in this case, the listing of clients) and the company that the former employee opened in open unfair competition.

 

During the research, Montax unwittingly identified a Conflict of Interest (COI) of the patent and trademark registration consultancy.

 

This company provided identical service to competing companies, however, without communicating the relevant fact, because it had promoted the registration of identical trademarks of similar products to competing companies (!).

 

Investment funds may hold values from individuals with high insolvency rates.

 

Case Study – Asset Search Abroad

 

A South Korean multinational manufacturer of electronic equipment has not received million-dollar invoices for the sale of parts and components to a national distributor.

 

China with its cheap labor and highly competitive prices ended the Brazilian industry, starting with the electronics market.

 

Bankrupt, the company’s controller could not pay suppliers.

 

In fact, he didn’t want to. It maintained the same standard of living of luxury and ostentation.

 

Montax was hired to do what they do best, Asset Search & Investigations and anti-money laundering actions.

 

Several controlling shareholder properties were identified and listed with more than 30 offshore companies in the Tax Havens of the Bahamas, Cayman Islands, British Virgin Islands and the state of Delaware (USA), which allowed for a debt settlement agreement.

 

We teach searching for assets in Brazil and in at least 3 states of the United States of America in our online course Success in Execution and Pledge, Creditor Manual – Financial Intelligence for Asset Search and Credit Recovery.

 

 

Case Study – Fraud to the Bidding Law

 

An information technology company was wrongly accused of unfair competition by the public bidding participant to sabotage its government business.

 

It counterattacked by hiring Montax to check the background of the slanderous competitor’s owners and vulnerabilities.

 

Montax discovered that the adversary’s partners defrauded the Bidding Law by creating a successor company on behalf of third parties (“strawman”), to escape the registration of disreputable companies of the Brazil´s Union General-Comptroller.

 

The partners also collected debts, and Montax accessed evidence of money “laundering” and concealment of assets through a Bank Credit Bill (CCB, its acronym in Portuguese) used to prevent the tracking and blocking of values by the Bacen Jud, the Justice Asset Search System (currently SISBAJUD) of online attachment.

 

 

Case Study – Industrial Property vs. Antitrust Laws

 

A funeral insurance company with a strong presence in the Southeast of the country was sued by the competitor, based on brand “plagiarism”.

 

Montax Intelligence listened to the client company’s industrial property lawyers, conducted market research, accessed data, information and was able to access evidence that the competitor strategically abused the Industrial Property Law to harm free competition.

 

It looked like a normal case of looking for evidence for a simple industrial property litigation, but the corporate investigation revealed several Deposits at the Brazil´s National Institute of Industrial Property (INPI) of multiple trademarks and common expressions of the industry and advertising campaigns, one evidence of violation of the Law Economic for abuse of economic power and violation of the economic order subject to federal investigation by the Administrative Council for Economic Defense (CADE) of Brazil.

 

Brazil is a democratic State whose main foundation is the principle of free enterprise, making any attempt at monopoly a crime.

 

 

Case Study – Passport & European Citizenship

 

A Brazilian living in Italy for more than 10 years found it difficult to prove his European (Portuguese) descent because he could not find documents from his grandfather, a Portuguese who immigrated to Brazil in the 1940s.

 

Without proof that he was the grandson of a citizen of Portugal, despite living in Europe for so long, the Brazilian could not get citizenship.

 

He requested research from Montax, which obtained certified personal documents from the grandfather, allowing the individual customer to obtain European citizenship.

 

Montax consulted “Conservatórias” (notary offices) in Portugal; Church Archdioceses of Brazil; Civil and cultural associations and even the National Archives can access the Foreigner Registration Record with a certified copy of the grandfather’s old Portuguese passport.

 

The brazilian trusted Montax and got portuguese citizenship and now lives in Europe with the status of a european citizen.

 

European Citizenship and Passports are invaluable assets and services such as documentation, paralegals and the search for evidence are highly specialized, but they are well worth the investment..

 

 

Case Study – Defamed Company

 

An oil and gas services company valued at R$50 million received an anonymous e-mail with defamatory content against directors and technical employees, displeasing the targets of the defamation.

 

Top management was curious to identify the author of the messages and worried about the possibility of him/her being part of the corporation’s staff.

 

The slanderer had opened a fake e-mail account with no apparent traces, solely to send the message.

 

Montax Intelligence fully identified the author of the messages in just 3 hours, a former employee regretting leaving the company to join the competitor’s staff who felt discredited when his readmission request was denied.

 

 

Case Study – Concealment of People and Assets

 

A leading regional accounting services firm has not been paid for tax credit recovery services – tax liability reduction – from a declining oil carrier.

 

After 8 (eight) years “fighting” in court to recover its assets, the creditor company discovered that the debtor company was bankrupt, its partners did not maintain assets in their names, accumulated debts of approximately R$ 200 million.

 

The assets pledged by other creditors were insufficient to pay tax and labor debts, and their partners disappeared in order not to pay debts.

 

Montax Intelligence managed to locate the partners in 30 days, identified a successor company, the fate of the fortune (Paraíso Fiscal) and a holding company that housed fixed real estate assets in the name/CPF of an “strawman”.

 

With this strategic information, the reluctant debtors sat down at the negotiating table and signed an agreement to pay 1/3 of the debt, with interest and monetary correction, a reasonable amount for those who had lost hope after eight years with no guarantee of receipt.

 

 

Case Study – Defrauding Employee

 

The largest car dealership in the Brazil noticed vacuums in the computerized system for controlling car stocks caused by an employee in a position of trust.

 

He did not enter entries and exits in the database to misappropriate both sales values and vehicles. And to favor a third party.

 

Montax Intelligence discovered that the business partner was, in reality, a company owned by the employee, who ran an economic group of companies formed in the name/CPF of “strawmen” to defraud his employer.

 

In addition to the obvious conflict of interests, the partners De jure (“strawmen”) and de facto (hidden), real fraudsters, were identified.

 

We also access evidence of the connection between the internal and external fraudster and private property purchase and sale Deeds (“drawer” contracts), the mechanism of “laundering” or concealment of assets, rights and values that hindered the recovery of assets.

 

Case Study – Shell Company

 

A multinational food production and distribution giant was not paid for several shipments of goods purchased by a supermarket chain in the city of São Paulo-SP.

 

Proceeded in court, the defrauded company could not locate either the debtor company or its partners.

 

Montax Intelligence discovered that the entire supermarket chain was actually made up of a variety of simple people with no control over the business, most likely “orange”, among them people from another state of the federation.

 

The client company chose to withdraw from asset recovery actions after Montax warned that there was strong evidence that the supermarket chain was controlled and laundered money for a faction of organized crime in Brazil.

 

 

 

ABOUT THE AUTHOR

MARCELO CARVALHO DE MONTALVÃO is the director of Montax Intelligence, franchise of private Intelligence services such as Compliance, Investigation, Due Diligence and Asset Search that has assisted large law firms and legal departments of companies such as PSA Group (Peugeot Citroën), Cyrela, LG Eletronics, Localiza Rent A Car, Sara Lee, Kellog, CWA Consultores, Geowellex, Sonangol Oil & Gas, Chinatex Grains and Oils, Generali Seguros, Estre Ambiental , Magneti Marelli, Pan Bank, BTG Pactual Bank, Alfa Bank, W3 Engineering and many other trademarks.

A Criminal lawyer specialized in Economic Criminal Law and financial crimes such as fraud in the execution, laundering or concealment of assets, rights and values and reverse engineering of asset shielding for the solution of millions fraud schemes.

Author of the book “Intelligence & Industry – Espionage and Corporate Counterintelligence

Connect with Marcelo on LinkedIn

Listen to Marcelo on YouTube

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Due Diligence | Asset Search | Corporate Investigation | Compliance Intelligence

 

 

Rio de Janeiro – RJ

Rua Figueiredo Magalhães, 387/801 – Copacabana – CEP: 22031-011

Telefone + 55 (21) 2143-6516

WhatsApp +55 (21) 98102-2001

E-mail montax@montaxbrasil.com.br


www.montaxbrasil.com.br 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Montax Inteligência Ltda.
CNPJ 11.028.620/0001-55
Copyright © 2009

English Version

Estudo de Casos é a descrição de um problema e sua solução. Estudo de Casos bem feito revela o problema estudado, identificando-o como um fenômeno comum.

 

Teorias de solução de problemas são mais facilmente aplicadas quando existem evidências de sua aplicação anterior, de forma bem sucedida.

 

Estudo de Casos é pedagógico para a solução de um problema, teorias de causas e prevenção. O decisor com um problema semelhante pode realizar melhor questionamento sobre o método de solução.

 

Confira os vários Estudos de Casos da Montax para saber se podemos ajudá-lo.

 

 

Estudo de Caso – Minha Casa Minha Vida

 

Provas de fraude à execução, “lavagem” ou ocultação de bens acessadas pela Montax Inteligência permitiram a indisponibilidade de bens de todas as empresas de um grupo econômico da construção civil e seus sócios após abandonar obras do programa Minha Casa Minha Vida do governo federal em parceria com a Caixa Econômica Federal (CEF) no Estado do Pará.

 

Montax descobriu uma holding patrimonial e que os sócios da construtora insolvente, em fase pré-falimentar, transferiram as quotas sociais de sua holding patrimonial para suas respectivas mães.

 

A cessão de quotas sociais ocorreu pouco antes de o controlador comparecer na Audiência no Ministério Público do Trabalho para fechar um acordo com o Sindicato da categoria.

 

O acordo não havia sido cumprido.

 

Estudo de Caso – Background Check de Gigantes

 

Uma gigante estadunidense da indústria de bebidas analisa contratar um CEO de uma gigante brasileira de bebidas para o cargo de diretor de operações no exterior e consultou a Montax Inteligência para a checagem de antecedentes (criminais, cíveis e profissionais) do executivo nacional.

 

Em apenas 72h, Montax confirmou os antecedentes profissionais, checou os antecedentes cíveis e constatou apenas 1 antecedente criminal relativamente a suposta sonegação fiscal alegadamente realizada em favor da companhia brasileira de bebidas.

 

Indagada sobre o conteúdo da Denúncia, a peça inicial da Ação Penal, Montax sugeriu a cliente do exterior que consultasse um Tradutor juramentado e um Advogado criminalista especializado em Direito Penal Econômico, profissionais legalmente autorizados para opinar sobre o assunto, porém, alertando que a pessoa consultada não tem outros registros criminais, tem excelente reputação no mercado nacional e a complexidade das leis tributárias e trabalhistas do Brasil muitas vezes gera demandas injustas contra diretores de companhias com operações no Brasil.

 

Estudo de Caso – Fraude Societária

 

A indústria da commodity “proteína animal” cresceu muito nos últimos anos, quer pela demanda da Classe C quer pela demanda da China e Oriente Médio.

 

Um dos três sócios de uma das maiores fabricantes de alimentos de origem animal desconfiou que estava sendo passado para trás.

 

Montax Inteligência descobriu o esquema fraudulento e obteve provas da fraude societária, que consistia basicamente na transferência de ativos fixos e intangíveis da companhia para empresas “clone” de propriedade dos sócios, que negociavam diretamente com clientes e fornecedores da empresa-matriz.

 

De estelionato a sonegação fiscal e “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores na forma de ativos fixos imobiliários registrados na razão social/CNPJ de holdings patrimoniais abertas em nome/CPF dos filhos e esposas dos sócios fraudadores, a companhia foi praticamente esvaziada.

 

Montax identificou as holdings patrimoniais e os imóveis por elas absorvidos com receitas da companhia, bem como provas do abuso da personalidade jurídica e da confusão patrimonial, requisitos da integração econômica mediante a desconsideração (normal e inversa) da personalidade jurídica que possibilitaria a responsabilidade civil (indenização) do sócio fraudado por todas as empresas “clone”, holdings e seus sócios De direito e De facto.

 

Estudo de Caso – Simulação de Retirada de Sócio

 

Um fornecedor europeu de peças automotivas sofreu “calote” de um dos maiores clientes do Brasil, uma distribuidora que também é fabricante de peças automotivas concorrentes.

 

Mas a investigação nada tinha a ver com conflito de interesses.

 

O cliente europeu precisava localizar bens da empresa devedora e dos sócios para melhor eficácia da ação judicial de recuperação de ativos.

 

Montax Inteligência descobriu provas do crime de fraude à execução caracterizado pelo sofisticado esquema de blindagem patrimonial: Um dos sócios simulou sua retirada da sociedade, levando consigo como “indenização” os ativos fixos imobiliários da companhia.

 

Um esvaziamento patrimonial simulado.

 

Montax acessou provas de que a exclusão do sócio foi apenas “no papel”, a lista de bens da companhia transferidos para o nome/CPF do sócio excluído e ainda listou outros bens dos sócios.

 

Estudo de Caso – Comércio Exterior, Lavagem de Dinheiro

 

Poucas empresas geram tanto dinheiro como o comércio externo, comércio internacional de commodities do agronegócio, como carne bovina, milho e soja.

 

Não estamos falando de navios, mas produtores e intermediários, pessoas que garantem que um grande volume de sementes chegará ao porto no dia combinado.

 

Produtores, cooperativas e intermediários compram “sementes” e recebem antecipadamente.

 

Montax Inteligência já investigou muitas dessas cooperativas e empresas de comércio exterior e descobriu que alguns simplesmente “desaparecem” depois de ganhar a confiança de clientes estrangeiros ansiosos pela commodity do Brasil.

 

Em uma ocasião, uma cooperativa que negociou com a China, Europa e Oriente Médio parou de entregar bens depois de receber mais de US$ 20 milhões.

 

Montax identificou que seu controlador tinha uma fábrica que não gerava lucro – para onde estava indo o dinheiro dos clientes do comércio exterior -, abriu uma falsa empresa de comércio internacional no exterior e fez investimentos em outra empresa parceira nos Estados Unidos da América.

 

Simples due diligence investigativa ou checagem de antecedentes relevaria que o sócio controlador, um ex-pastor protestante com muitos processos judiciais, não tinha boa reputação.

 

Além de negócios no exterior, Montax descobriu investimentos imobiliários longe da sede da empresa, mas, em cidades de vínculo emocional dele, premissa de pesquisa de ativos que explicamos em nosso curso online Sucesso em Execução e Penhora, Manual do Credor – Inteligência Financeira à Busca de Bens e Recuperação de Créditos.

 

Estudo de Caso – Metalúrgica Pré Falimentar

 

China “quebrou” muitos negócios na América, principalmente no Brasil, onde o ambiente de negócios já não era dos melhores.

 

O setor mais afetado foi o Setor Secundário (manufaturas e indústria-de-base).

 

E a indústria mais prejudicada foi a siderurgia e a metalurgia.

 

Com dívidas de aproximadamente R$ 10 milhões para com um consulente da Montax Inteligência, descobrimos que uma fábrica de materiais metálicos está em estado pré-falimentar, e o que é pior, de insolvabilidade porque tem dívidas de mais de R$ 150 milhões.

 

Uma dessas dívidas remonta desde a década de 1990.

 

Falha do compliance, da contrainteligência e da segurança corporativa levaram o fornecedor ao erro de entregar produtos sem nenhuma garantia de pagamento.

 

Montax identificou a extensão, todas as empresas do grupo econômico devedor, especialmente a empresa patrimonial registrada em nome dos filhos do patriarca controlador.

 

Essa empresa patrimonial abriga muitas áreas rurais e terrenos em cidade pequena do interior.

 

As 2 estratégias de blindagem patrimonial de

 

a) investimentos em nome de terceiros (“laranjas”) e

b) investimentos longe do domicílio do controlador ou da sede das empresas por ele controladas.

 

Essas táticas foram usados conjuntamente, mas, não foram páreo para os Analistas da Montax.

 

Estudo de Caso – Varejo e Risco

 

Vender tudo para todos, especialmente consumidores das Classes C e D, é uma boa estratégia de negócios, correto?

 

Não em tempos de crise econômica.

 

Um banco de investimentos credor contratou a Montax Inteligência para identificar empresas patrimoniais e localizar ativos financeiros em poder dos acionistas de um dos maiores grupos varejistas do Brasil, atualmente em recuperação judicial.

 

O credor bancário desconfiava que os controladores ocultaram bens pessoais, direitos e valores do Quadro Geral de Credores no processo de recuperação judicial. Investidores tinham razão.

 

Montax descobriu 4 fazendas e 2 empresas patrimoniais abertas em nome de terceiros sob controle dos acionistas majoritários, às vésperas da recuperação judicial, para abrigar imóveis, semoventes (gado bovino) e ações de outro banco de investimento.

 

Estudo de Caso – Empresa “Clone”

 

Uma clínica médica com várias unidades de atendimento líder regional com inovadora técnica de marketing com suspeita de fraude corporativa.

 

Montax Inteligência descobriu que seu Administrador havia criado empresas “clones”, de razão social e nome de fantasia idêntico, em nome dele e da esposa, para se apropriar indevidamente dos valores das consultas.

 

O Relatório de Inteligência Financeira produzido e as provas acessadas pela Montax serviram de fundamento para a demissão por justa causa, instauração de inquérito policial por apropriação indébita e Medida Cautelar de busca e apreensão preparatória da Ação Penal Privada, exigência do artigo 524 e seguintes do Código de Processo Penal em casos de crimes contra a propriedade imaterial.

 

Estudo de Caso – Cliente Estelionatário

 

Empresa líder do mercado de reciclagem foi contratada por concorrente de menor porte, por e-mail, para fazer o descarte de resíduos de construção, para obter os Certificados das agências de meio ambiente.

 

O tomador dos serviços não pagou a fatura, tendo a empresa ambiental identificado graves falhas de Compliance.

 

Montax descobriu que o cliente era, em realidade, uma quadrilha de estelionatários.

 

Seu líder e demais integrantes foram identificados, bem como o esquema de blindagem patrimonial e “lavagem” de dinheiro na compra de imóveis por meio de Procurações de negócios imobiliários e Escrituras de compra-e-venda em nome da esposa, não averbadas no Registro de Imóveis.

 

Não deixe de fechar negócios online, mas, antes, certifique-se que as pessoas e organizações existem De facto e quais suas operações no universo off-line.

 

Estudo de Caso – Conflito de Interesses do Acionista Controlador

 

Acionista controlador geralmente quer o melhor para companhia, não? Nem sempre.

 

Montax Inteligência foi contratada pelos acionistas minoritários para conseguir provas do abuso de poder de controle do acionista controlador.

 

Registros contábeis suspeitos indicavam esvaziamento patrimonial por meio de empresas prestadoras de serviços “fantasmas”.

 

Montax realizou uma auditoria externa nas sedes das empresas e descobriu que elas simplesmente não existiam. E conseguiu provas da evolução patrimonial – e suspeita – do acionista controlador, com bens tanto no Brasil quanto no exterior, e a constituição de empresa concorrente, na mesma época da “queda” do lucro líquido e da participação dos acionistas.

 

O acionista controlador havia se apropriado indevidamente de ativos intangíveis como organização, projetos, know-how, mão-de-obra especializada, sistemas informatizados, briefings de marketing e listagem de clientes da companhia para favorecer empresa integrante do grupo econômico ocultada dos sócios minoritários.

 

Estudo de Caso – Conflito de Interesses II

 

Uma empresa líder de inovação da indústria química contratou a Montax para serviços de Inteligência, Busca de Provas & Investigações depois do abandono de emprego pelo seu diretor comercial.

 

Montax identificou a fraude corporativa consistente no roubo de segredo comercial (no caso, a listagem de clientes) e a empresa que o ex-empregado abriu em franca concorrência desleal. Durante a pesquisa, sem querer a Montax identificou um conflito de interesses (COI, na sigla em Inglês) da empresa de consultoria de registro de marcas e patentes.

 

Essa empresa prestou serviço idêntico a empresas concorrentes, porém, sem comunicar o fato relevante, porque havia promovido o registro de marca idêntica de produtos similares para empresas concorrentes (!).

 

Fundos de investimentos podem abrigar valores de pessoas físicas com elevados índices de insolvência.

 

Fundos de investimentos podem abrigar valores de pessoas físicas com elevados índices de insolvência.

 

Estudo de Caso – Busca de Ativos no Exterior

 

Uma multinacional sul-coreana fabricante de equipamentos eletroeletrônicos não recebeu faturas milionárias de venda de peças e componentes para um distribuidor nacional.

 

China com sua mão-de-obra barata e preços altamente competitivos acabaram com a indústria brasileira, começando pelo mercado de eletrônicos.

 

Falido, o controlador da companhia não tinha como pagar os fornecedores. Na verdade, não queria. Mantinha o mesmo padrão de vida de luxo e ostentação.

 

Montax foi contratada para fazer aquilo que faz de melhor, Busca de Ativos & Investigações e ações anti-lavagem de dinheiro.

 

Foram identificados vários imóveis do acionista controlador e listagem com mais de 30 empresas offshore nos Paraísos Fiscais das Bahamas, Ilhas Cayman, Ilhas Virgens Britânicas e no estado de Delaware (EUA), o que permitiu um acordo de quitação da dívida.

 

Ensinamos busca de bens no Brasil e em ao menos 3 estados dos Estados Unidos da América em nosso curso online Sucesso em Execução e Penhora, Manual do Credor – Inteligência Financeira à Busca de Bens e Recuperação de Créditos.

 

Estudo de Caso – Fraude à Lei de Licitação

 

Uma empresa de tecnologia de informação foi acusada injustamente de concorrência desleal pelo participante de concorrência pública para sabotar seus negócios com o governo.

 

Ela contra-atacou contratando a Montax para checar os antecedentes dos donos e vulnerabilidades da concorrente caluniadora.

 

Montax descobriu que os sócios da adversária fraudaram a Lei de Licitação ao criar empresa sucessora em nome de terceiros (“laranjas”), para escapar do cadastro de empresas inidôneas da Controladoria-Geral da União.

 

Os sócios também colecionavam dívidas, e Montax acessou provas de “lavagem” de dinheiro e ocultação de bens por meio de Cédula de Crédito Bancário (CCB) usava para evitar o rastreamento e bloqueio de valores pelos sistema Bacen Jud (atual SISBAJUD) de penhora online.

 

Estudo de Caso – Propriedade Industrial x Direito Econômico

 

Uma seguradora de assistência funeral com forte presença no sudeste do País foi acionada judicialmente pela concorrente, sob fundamento de “plágio” da marca.

 

Montax Inteligência ouviu os advogados de propriedade industrial da empresa cliente, realizou pesquisas de mercado, acessou dados, informações e conseguiu acessar provas de que a concorrente estrategicamente abusava do Direito de Propriedade Industrial para prejudicar a livre concorrência.

 

Parecia um caso normal de busca de provas para um simples litígio de propriedade industrial, mas, a investigação corporativa revelou vários Depósitos no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) de múltiplas marcas e expressões comuns da indústria e campanhas publicitárias, provas de violação do Direito Econômico por abuso do poder econômico e infração à ordem econômica passíveis de investigação federal pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE).

 

O Brasil é um Estado democrático que tem como um dos fundamentos principais o princípio da livre iniciativa tornando crime qualquer tentativa de monopólio.

 

Estudo de Caso – Passaporte & Cidadania

 

Um brasileiro radicado mais de 10 anos na Itália encontrou dificuldades em comprovar sua descendência Europeia (portuguesa) porque não encontrou documentos do avô, português que imigrou para o Brasil na década de 1940.

 

Sem provas de que era neto de cidadão de Portugal, apesar de viver tanto tempo na Europa o brasileiro não conseguia a cidadania.

 

Ele solicitou pesquisa da Montax, que obteve documentos pessoais certificados do avô, permitindo ao cliente pessoa física obter a cidadania europeia.

 

Montax consultou Conservatórias em Portugal (cartórios); Arquidioceses do Brasil; Associações civis e culturais e até o Arquivo Nacional acessar o Prontuário de Registro de Estrangeiro com cópia autenticada do antigo Passaporte português do avô.

 

O brasileiro confiou na Montax e conseguiu a cidadania portuguesa e agora vive na Europa com o status de cidadão europeu.

 

Cidadania e Passaporte europeus são ativos valiosíssimos e documentação, para-legal e busca de provas são serviços altamente especializados que valem o investimento.

 

Estudo de Caso – Empresa Difamada

 

Uma empresa de serviços de petróleo e gás avaliada em R$ 50 milhões recebeu mensagem eletrônica anônima de conteúdo difamatório contra diretores e colaboradores técnicos, desagradando aos alvos da difamação.

 

A alta gerência ficou curiosa para identificar o autor das mensagens e preocupada com a possibilidade dele(a) integrar os quadros da corporação.

 

O difamador havia aberto conta de e-mail falsa e sem vestígios aparentes, exclusivamente para enviar a mensagem.

 

Montax Inteligência identificou plenamente o autor das mensagens em apenas 3h, um ex-colaborador arrependido de deixar a companhia para integrar os quadros da concorrente que se sentiu desprestigiado ao ver negado seu pedido de readmissão.

 

Estudo de Caso – Ocultação de Pessoas e Bens

 

Uma empresa líder regional em serviços contábeis não recebeu pelos serviços de recuperação de créditos fiscais – diminuição do passivo tributário – de uma transportadora de petróleo em declínio.

 

Depois de 8 (oito) anos “brigando” na Justiça para recuperar seus ativos, a empresa credora descobriu que a empresa devedora estava falida, seus sócios não mantinham bens em seus nomes, acumulavam dívidas de aproximadamente R$ 200 milhões.

 

Os bens penhorados pelos demais credores eram insuficientes para pagar as dívidas fiscais e trabalhistas, e seus sócios desapareceram para não pagar dívidas.

 

Montax Inteligência conseguiu localizar os sócios em 30 dias, identificou a uma empresa sucessora, o destino da fortuna (Paraíso Fiscal) e uma holding patrimonial que abrigava ativos fixos imobiliários em nome/CPF de um “laranja”.

 

Com essas informações estratégicas os relutantes devedores sentaram à mesa de negociação e fecharam um acordo de pagamento de 1/3 da dívida, com juros e correção monetária, quantia razoável para quem tinha perdido as esperanças depois de oito anos sem nenhuma garantia de recebimento.

 

Estudo de Caso – Empregado Fraudador

 

A maior revendedora de veículos do País notou vácuos no sistema informatizado de controle de estoques de automóveis causados por um colaborador em cargo de confiança.

 

Ele não lançava entradas e saídas no banco de dados para se apropriar indevidamente tanto de valores das vendas quanto de veículos. E para favorecer um terceiro.

 

Montax Inteligência descobriu que a parceira de negócios era, em realidade, empresa de propriedade do colaborador, que comandava um grupo econômico de empresas constituídas em nome/CPF de “laranjas” para fraudar sua empregadora.

 

Além do evidente conflito de interesses, foram identificados os sócios De direito (“laranjas”) e De facto (ocultos), verdadeiros fraudadores.

 

Acessamos ainda provas da conexão entre o fraudador interno e externos e Escrituras particulares de compra-e-venda de imóveis (contratos “de gaveta”), o mecanismo de “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores que dificultavam a Recuperação dos ativos.

 

Estudo de Caso – Empresas Fantasmas

 

Uma gigante multinacional da produção e distribuição de alimentos não recebeu por várias remessas de mercadorias compradas por uma rede de supermercados da cidade de São Paulo-SP.

 

Acionados judicialmente, a empresa fraudada não conseguia localizar nem a empresa devedora nem seus sócios. Montax descobriu que toda a rede de supermercados era, na verdade, de uma variedade de pessoas simples sem controle algum sobre os negócios, muito provavelmente “laranjas”, dentre eles pessoas de outro estado da federação.

 

A empresa cliente preferiu desistir das ações de recuperação de ativos depois que a Montax Inteligência alertou que eram fortes os indícios de que a rede de supermercados era controlada e lava dinheiro para uma facção do crime organizado.

 

 

 

SOBRE O AUTOR

MARCELO CARVALHO DE MONTALVÃO é diretor da Montax Inteligência, franquia de Inteligência & Investigações que já auxiliou centenas de escritórios de advocacia e departamentos jurídicos de empresas como PSA Group (Peugeot Citroën), Cyrela, LG Eletronics, Localiza Rent A Car, Sara Lee, Kellog, Tereos, Todeschini, Sonangol Oil & Gas, Chinatex Grains and Oils, Generali Seguros, Estre Ambiental, Magneti Marelli, Banco Pan, BTG Pactual, Banco Alfa, W3 Engenharia, Geowellex, Quantageo Tecnologia e muitas outras marcas.

Especialista em Direito Penal Econômico e solução de crimes financeiros como estelionato (fraude), fraude a credoresfraude à execuçãoevasão de divisas e “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores.

Autor do livro Inteligência & Indústria – Espionagem e Contraespionagem Corporativa.

Conecte-se com Marcelo no LinkedIn

Ouça o Marcelo no YouTube

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Due Diligence | Pesquisa de Bens | Investigação Empresarial | Compliance Intelligence

 

 

Rio de Janeiro – RJ

Rua Figueiredo Magalhães, 387/801 – Copacabana – CEP: 22031-011

Telefone + 55 (21) 2143-6516

WhatsApp +55 (21) 99682-0489

E-mail montax@montaxbrasil.com.br


www.montaxbrasil.com.br 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Montax Inteligência de Crédito e Cobrança Ltda.
CNPJ 11.028.620/0001-55
Copyright © 2009

 

O “Programa de Integridade” é um “conjunto de mecanismos e procedimentos internos de integridade, auditoria e incentivo à denúncia de irregularidades e na aplicação efetiva de códigos de ética e de conduta, políticas e diretrizes com objetivo de detectar e sanar desvios, fraudes, irregularidades e atos ilícitos praticados contra a administração pública, nacional ou estrangeira“.

 

Ao menos essa é a definição do Programa de Integridade na lei. A expressão “Programa de Integridade” aparece 14 vezes no Decreto 8.420/2015, que regulamentou a Lei 12.846/2013 (Lei Anticorrupção).

 

Segundo essa regulamentação, caso a empresa acusada de corrupção apresente em sua Defesa provas da existência e do efetivo funcionamento de um “Programa de Integridade”, poderá participar do Acordo de Leniência e ter penalidades menos severas.

 

É o que diz a Lei Anticorrupção.

 

Mas, o que é o “Programa de Integridade”?

 

Segundo o Decreto 8.420/2015, é um “conjunto de mecanismos e procedimentos internos de integridade, auditoria e incentivo à denúncia de irregularidades e na aplicação efetiva de códigos de ética e de conduta, políticas e diretrizes com objetivo de detectar e sanar desvios, fraudes, irregularidades e atos ilícitos praticados contra a administração pública, nacional ou estrangeira“.

 

Além de evitar perdas com fraudes corporativas, esses mecanismos e procedimentos internos vão ajudar sua empresa a evitar multas desnecessárias.

 

Um bom Programa de Integridade varia de acordo com o Objeto Social (atividade econômica) e o porte da companhia, mas, existem mecanismos e procedimentos internos básicos comuns a todas as empresas que pretendem estar em Compliance, em conformidade com a Lei Anticorrupção.

 

De quebra, a empresa vai diminuir perdas com fraudes internas.

 

 

Chief Compliance Officer (CCO), um novo cargo

 

Chief Compliance Officer (CCO) é um cargo novo, criado recentemente, mas, geralmente ocupado por ex-diretores jurídicos ou profissionais de Inteligência & Segurança Empresarial.

 

É do Chief Compliance Officer (CCO) a tarefa de implementar o Programa de Integridade.

 

A partir do orçamento definido pelo CEO ou Conselho de Administração ou comissão específica, o Chief Compliance Officer deve selecionar quais mecanismos e procedimentos internos são fundamentais.

 

O CCO deve também convencer diretores, empregados, clientes, fornecedores e demais stakeholders a aderir ao Programa de Integridade e a colaborar com seus mecanismos e procedimentos internos.

 

Enfim, o CCO deve fazer o Programa de Integridade sair do papel…

 

Tudo isso para mitigação dos riscos e danos em casos de corrupção, fraudes e outras inconformidades, e para poder exercer o direito de Acordo de Leniência e redução do valor das multas, caso necessário.

 

Ninguém espera ter que fazer um Acordo de Leniência ou implorar à redução do valor de uma multa, mas, estamos no Brasil, não na Suíça.

 

Um bom Programa de Integridade vai ajudar sua empresa na Defesa de processos administrativos de agências governamentais do Brasil como o Departamento de Polícia Federal, Receita Federal do Brasil (RFB), Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), Sindicatos e ordens de classe, B3 (BM&FBOVESPA), Comissão de Valores Mobiliários (CVM), às vezes até do exterior como a U.S. Department of Justice e U.S. Securities and Exchange Commission.

 

Seguem os 7 Procedimentos que Montax Considera Essenciais ao Compliance Anticorrupção:

 

#1 – Elaboração e aplicação dos Códigos de Ética e de Conduta

#2 – Verificação de antecedentes de candidatos a vagas de emprego (Background check)

#3 – Devidas diligências para conhecer seu cliente e fornecedor (Due diligence KYC)

#4 – Compliance 360º – Check-up Contábil, Cível, Tributário, Trabalhista e Previdenciário

#5 – Canal de Denúncias e apuração de supostas irregularidades

#6 – Comunicação, treinamento e investigação ininterruptos (Non Stop Compliance)

#7 – Arquivamentos de relatórios de auditoria e autos de processos administrativos

 

Algumas expressões estão em Inglês, porque foi o Império Anglo-estadunidense, consolidado a partir da 2ª Guerra Mundial, com sua experiência em decifrar códigos alemães e proteger pessoa e organizações de ataques inimigos (nazistas, comunistas e agora terroristas) definiu técnicas de Segurança & Contrainteligência e foi pioneiro na legislação anticorrupção e implementação de programas de integridade em empresas no mundo todo.

 

O estopim dessa política econômica foi com o escândalo de fraudes contábeis da Enron Corporation que enganou o mercado e acionistas em 2001 e gerou legislações como a Lei Sarbanes-Oxley de padronização de normas contábeis; a Foreign Account Tax Compliance Act (FATCA) ou Lei de Compliance Tributário Em Conta no Exterior, lei federal estadunidense que obriga pessoas e organizações dos EUA com filiais no exterior a informar à Receita Federal dos EUA todas as receitas e rendimentos obtidos no exterior, bem como a listagem de clientes estadunidenses das companhias, a fim de evitar evasão de divisas, sonegação fiscal e “lavagem” e ocultação de bens, direitos e valores; e a UK Bribery Act ou Lei do Suborno do Reino Unido, considerada “a mais dura legislação anticorrupção no mundo” porque pune com a extinção toda e qualquer organização que tenha qualquer conexão com o Reino Unido por atos de suborno ou corrupção praticados em qualquer lugar do planeta. Apesar de rigorosa, essa lei é de difícil eficácia devido a falta de fiscalização do Reino Unido ao redor do mundo.

 

Americanos e ingleses parecem rigorosos com corruptos… Não entendemos por que ainda existam tantas International Business Companies em Delaware (USA) e Overseas Companies no Reino Unido (leia-se empresas offshore) … Mas, isso é assunto para outro artigo…

 

Preparado para conhecer alguns mecanismos e procedimentos internos do Programa de Integridade da Lei Anticorrupção?

 

Então vamos lá!

 

 

#1 – Elaboração e aplicação dos Códigos de Ética e de Conduta

 

É aqui que começa o jogo.

 

Os Códigos de Ética e de Conduta (que podem ser um só ou separadamente) são uma espécie de Constituição da companhia no sentido de impor regras acerca das relações entre a corporação e seus colaboradores, acionistas, clientes e fornecedores.

 

E especificar as práticas consideradas inadequadas entre os colaboradores e entre esses e terceiros, principalmente fornecedores e clientes.

 

Os Códigos de Ética e de Conduta devem estabelecer o Programa de Integridade e seus mecanismos e procedimentos internos de integridade, auditoria e incentivo à denúncia de irregularidades.

 

Montax Inteligência auxilia empresas na elaboração de seu Código de Ética e Manual Anticorrupção, em conformidade com seu Objeto Social, atividades econômicas e cultura organizacional, que servirão de base legal e prática de Compliance & Governança Corporativa, com os principais objetivos do Programa de Integridade, que são

 

1) Identificação de fraudes e desvios de conduta;
2) Cooperação da organização na apuração de suas próprias infrações;
3) Manutenção de mecanismos e procedimentos internos de integridade, auditoria e incentivo à denúncia de irregularidades para aplicação efetiva de códigos de ética e de conduta, políticas e diretrizes com objetivo de detectar e sanar desvios, fraudes, irregularidades e atos ilícitos praticados contra a administração pública, nacional ou estrangeira; e
4) Manutenção de arquivos com informações e documentos referentes à existência e ao funcionamento de Programa de Integridade, úteis na Defesa da companhia em eventuais ações legais do governo;

 

Os Códigos de Ética e de Conduta devem ser entregues conjuntamente com cada Contrato de Trabalho ou Contrato de Serviços ou Contrato de Compra-e-venda celebrados com cada empregado ou fornecedor ou cliente e publicados no site da companhia e no hall de entrada de seus escritórios, sedes operacionais e galpões.

 

Se possível, cada stakeholders deve assinar uma versão, dando ciência do conteúdo dos Códigos de Ética e de Conduta.

 

Empregados e demais stakeholders não poderão dizer que “não sabiam” das regras.

 

Modelo de Código de Ética e Manual Anticorrupção da Montax Inteligência

 

 

#2 – Verificação de antecedentes de candidatos a vagas de emprego (Background check)

 

A checagem de antecedentes dos candidatos a vagas de emprego (Background check) é o mecanismo ou procedimento interno de integridade mais importante de uma organização.

 

Se a companhia quiser evitar fraudes e corrupção, a fraude envolvendo empresas públicas, autarquias e agentes do Estado, deve antes de qualquer coisa lançar mão desse mecanismo ou procedimento interno de integridade: Verificar os antecedentes criminais, cíveis e profissionais (trabalhistas) dos candidatos a vagas de emprego.

 

Da mesma forma que a Magistratura, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e outras ordens como a Maçonaria realizam um escrutínio de seus candidatos, realizam um levantamento de informações acerca das pessoas que pretendem ingressar em suas consagradas instituições, inclusive com pesquisa social que inclui entrevistas com vizinhos, familiares e amigos e outras fontes humanas de Inteligência, as companhias devem realizar investigação corporativa prévia acerca dos candidatos a vagas de emprego.

 

É só um emprego privado, não é um emprego público com direito a estabilidade e o candidato, se contratado, poderá ser dispensado quando o gestor quiser. Porém, se a empresa trouxer para dentro de suas fileiras uma pessoa desonesta ou mal intencionada, o estrago poderá ser grande.

 

Portanto, antes de contratar um novo empregado, seja diretor, gerente ou entregador, realize pesquisa de antecedentes acerca do candidato a vaga de emprego ou consulte uma agência de Inteligência & Investigações especializada em verificação de antecedentes (Background check).

 

 

#3 – Devidas diligências para conhecer seu cliente e fornecedor (Due diligence KYC)

 

De mesma forma que a companhia deve realizar a checagem de antecedentes dos candidatos a vagas de emprego (Background check), ou seja, das pessoas físicas que integrarão os times da organização, a empresa deve realizar uma investigação prévia acerca das pessoa jurídicas que pretendem negociar com a companhia, seja como cliente seja como fornecedor.

 

As devidas diligências para conhecer com mais profundidade o cliente ou fornecedor são chamadas Due diligence KYC (sigla em Inglês para “Know Your Customer”) e funcionam como excelente mecanismo ou procedimento interno de integridade mais importante de uma organização.

 

Se a companhia quiser evitar fraudes e corrupção, não basta só investigar seus empregados, o pessoal interna corporis, mas, o pessoal de fora, clientes e fornecedores.

 

Pessoas mal intencionadas podem se travestir de empresas, constituindo sociedades empresárias e outras pessoas físicas e realizar compras ou se cadastrar como fornecedores para fraudar a companhia ou envolvê-la em atos de corrupção.

 

Devidas diligências (Due diligence) sobre potenciais clientes e candidatos a fornecedores é outro importante mecanismo ou procedimento interno de integridade porque previne fraudes e inconformidades.

 

E deve ser realizado Background check sobre os fundadores e sócios da empresa cliente ou fornecedora.

 

Se a companhia for do setor bancário ou financeiro ou securitário, além das devidas diligências comuns  a todas as indústrias deve realizar também as devidas diligências de prevenção da lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo (PLDFT) Compliance Anti Lavagem de Dinheiro da Circular (BACEN) 3.978/2020, Instrução (CVM) 617/2019 e Circular (SUSEP) 612/2020.

 

Due diligence KYC serve para evitar negócios com organizações com histórico de problemas ou constituídas por pessoas problemáticas que podem envolver a companhia em ações legais ou prejudiciar a marca e a imagem corporativa.

 

Antes de realizar uma venda ou adquirir um produto ou serviço, ou seja, antes de fechar negócio com um novo cliente ou fornecedor, realize devidas diligências para conhecer com mais profundidade o novo cliente ou fornecedor ou consulte uma agência de Inteligência & Investigações especializada em Due diligence KYC.

 

No artigo Fundos, Lavagem de Dinheiro, CVM & Compliance demonstramos como a Instrução (CVM) 617/2019 criou a Política de PLDFT, espécie de Programa de Integridade das Asset Management e outras instituições financeiras, obrigando-as a realizar Due Diligence KYC

 

 

Para pesquisa de antecedentes de candidatos a vagas de emprego (Background check), Devidas diligências de clientes e fornecedores (Due diligence KYC) e prevenção a lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo (PLDFT), o Chief Compliance Officer (CCO) e demais integrantes do Departamento de Compliance podem realizar um curso online de Inteligência Financeira – Due Diligence, Pesquisa de Bens & Compliance de Prevenção a Lavagem de Dinheiro – Roteiro de Proteção e Recuperação de Ativos. Clique no banner abaixo para acessar agora mesmo o seu Manual:

 

Inteligência Financeira – Due Diligence, Pesquisa de Bens & Compliance de Prevenção a Lavagem de Dinheiro – Roteiro de Proteção e Recuperação de Ativos

 

 

#4 – Compliance 360º – Check-up Contábil, Cível, Tributário, Trabalhista e Previdenciário

 

“Casa de ferreiro, espeto de pau” (Autor desconhecido).

 

A frase acima é um axioma sobre pessoas e organizações especializadas que não atendem de forma especial a si próprias.

 

No caso do Programa de Integridade, não adianta nada se preocupar somente com as ameaças externas (candidatos a vagas de emprego, clientes e fornecedores) e esquecer das ameaças internas, das falhas de seus próprio pessoal.

 

E as falhas internas que constituem as maiores ameaças a uma organização são aquelas que podem causar graves impactos financeiros, ambientais e legais como as inconformidades contábeis, danos civis, sonegação ou omissão fiscal, tributária e dívidas trabalhistas e previdenciárias.

 

A companhia deve relatar e arquivar a comunicação entre o Chief Compliance Officer (CCO) e o Diretor Financeiro, o Controller, o Diretor Jurídico e o Diretor de Recursos Humanos (RH) na tentativa de sanar eventuais inconformidades legais e diminuir os riscos de dívidas cíveis, fiscais e trabalhistas.

 

Essa comunicação de certo poderá expor a companhia, revelar fraudes ou inconformidades dos quais os fiscais do governo talvez nem imaginavam, porém, é importante arquivar ao menos Memorandos de Entendimento ou Resoluções ou Atas de Reuniões de Diretores que esclareçam as inconformidades e demonstrem a sincera intenção do Chief Compliance Officer (CCO) em solucioná-las.

 

Uma simples Due diligence tendo como pessoa de interesse a própria companhia poderá revelar seus histórico de disputas e litígios e, consequentemente, alertar os diretores acerca de suas principais inconformidades. Exemplo: Se existem muitas Reclamações Trabalhistas e se o pedido mais comum delas for o pagamento de “horas extras”, talvez a empresa esteja contratando pessoas inadequadas para a função ou com histórico de criação de problemas ou mesmo deixando de contratar mais pessoas, forçando os membros da equipe a trabalhar além do horário combinado.

 

Compliance 360º é parte delicada do Programa de Compliance porque envolve apontar ou reconhecer erros de gestão de diretorias. Aqui separamos os Chief Compliance Officer pitbulls dos CCO chiuaua.

 

Amparado nos Códigos de Ética e Conduta e com bastante jogo-de-cintura, o CCO deve produzir e enviar relatórios de auditoria interna ou externa acerca de cada departamento e promover reuniões com seus respectivos diretores, quer para esclarecimentos e correção dos trabalhos quer para encontrar soluções.

 

Tudo deve ser documentado, de preferência lavrando-se uma Ata da Reunião.

 

Se os relatórios de auditoria serão produzidos interna ou externamente, por empresa terceirizada de Inteligência & Investigações, com ou sem comunicação prévia do diretor do departamento, dependem das atribuições do Chief Compliance Officer e do que ficou estabelecido nos Códigos de Ética e Conduta.

 

É no Compliance 360º que se revela o comprometimento do CEO e do Conselho de Administração.

 

No artigo Situação Cadastral, Due Diligence Relâmpago de Empresas demonstramos como fazer uma investigação corporativa prévia rápida de clientes e fornecedores, inclusive nós mesmos

 

 

#5 – Canal de Denúncias e apuração de supostas irregularidades

 

O Canal de Denúncias é um receptáculo, a caixa de coleta de denúncias anônimas ou não de fraudes e irregularidades.

 

Ela já foi uma caixa de correio (físico), instalada em local discreto da empresa. Atualmente é uma caixa de mensagens eletrônicas (e-mail) ou serviço de atendimento telefônico (tele-atendimento).

 

O objetivo do Canal de Denúncias é

 

a) receber denúncias – anônimas ou não – de fraudes e inconformidades; e

b) apurar as ocorrências ali relatadas, de preferência por meio de um processo administrativo de Auditoria interna ou externa transparentes e que dêem chance de defesa à pessoa delatada.

 

O Canal de Denúncias é um canal de delação, premiada ou não.

 

O Canal de Denúncias e sua apuração escorreita são um dos mais eficazes mecanismos e procedimentos internos de integridade por sua assertividade e prevenção. É contrainteligência a serviço do Compliance & Mitigação de Riscos.

 

Se houver falha em seus sistemas de checagem de antecedentes de candidatos a vagas de emprego (Background check) e de devidas diligências de clientes e fornecedores (Due diligence KYC), é por meio do Canal de Denúncias que empregados honestos e até terceiros vão indicar fraudes ou inconformidades.

 

As denúncias devem ser apuradas com cautela, para evitar calúnia ou denuncismo, e as investigações corporativas e auditorias externas devem ser muito bem documentadas (não basta ser bom, tem que parecer ser bom).

 

O Canal de Denúncias pode mitigar riscos com fraudes maiores que o CCO não poderia prever sem a ajuda de um denunciante, um delator anônimo.

 

Mas, atenção: O Canal de Denúncias deve ser instalado, divulgado e ter seu uso incentivado pela empresa. E tudo deve ser muito bem documentado. O Canal de Denúncias pode ser interno, mas, a apuração de fraude ou inconformidade nele relatada deve ser realizada de preferência por empresa terceirizada especializada em Inteligência & Investigações corporativas.

 

 

#6 – Comunicação, treinamento e investigação ininterruptos (Non Stop Compliance)

 

Não adianta ser, tem que parecer ser.

 

Essa máxima se aplica tanto na política quanto nos negócios.

 

Não adianta nada ter um Programa de Integridade de ninguém o conhece…

 

O Programa de Integridade e todos os seus mecanismos e procedimentos internos têm que ser amplamente divulgados com comunicação social ao público interno e externo. Colaboradores de todos os níveis hierárquicos, clientes, fornecedores, consumidores e o público em geral devem saber da existência desses mecanismos e procedimentos internos ou, ao menos, acessá-los facilmente pela Internet.

 

Além de ativar os mecanismos e procedimentos internos e solucionar fraudes e inconformidade com a ajuda do público em geral, a publicidade do Programa de Integridade é outro ponto a favor da companhia na hipótese de flagrante ou multas por corrupção, fraude ou inconformidade.

 

Além da comunicação social por meio de jornais, folders e e-mails, devem ser realizadas palestras, workshops e treinamentos periódicos das equipes diretamente envolvidas com os mecanismos e procedimentos internos mencionados, bem como para incentivar os demais colaboradores a não praticar infrações e a delatá-las.

 

Non Stop Compliance também se aplica às investigações ininterruptas e aleatórias que podem recair sobre todo e qualquer pessoa ou departamento, política que funciona como uma mecanismo dissuasivo da prática de fraudes e inconformidades.

 

Em um artigo antológico discorremos sobre Compliance, Due Diligence e Gestão do Jurídico na Perspectiva de Clausewitz

 

 

#7 – Arquivamentos de relatórios de auditoria e autos de processos administrativos

 

Por último, e não menos importante, a companhia deve arquivar corretamente os relatórios de auditoria interna e externa e os autos dos processos administrativos.

 

Parece bobagem mas muitas empresas “perdem” esses arquivos, ficando impossibilitadas de comprovar fatos relevantes em processos judiciais e administrativos.

 

Lembrando que esses arquivos cuidam de fraudes e inconformidades, logo, muitos desses arquivos são alvo de roubo de dados e informações por pessoal interno ou Hackers. Colaboradores investigados podem persuadir colegas a roubar pastas ou deletar arquivos gravados no computador, enfim, a sumir com provas que poderão incriminá-los em Diligências Investigatórias e/ou Investigação Defensiva do Provimento 188/2018, do Conselho Federal da OAB, ou em Inquérito Administrativo dos artigos 494, 628 § 3º, 652 alínea “b”, 821 e 853 da CLT.

 

Se as provas produzidas em relatório de auditoria ou Canal de Denúncia forem prejudiciais a um empregado corrupto, ele pode tentar apagá-las, logo, o CCO deve cuidar para que somente o pessoal autorizado tenha acesso aos arquivos confidenciais da companhia.

 

E esses arquivos devem ser facilmente acessados, o mais breve possível, a contar da data de sua solicitação por fiscais do governo. A pronta resposta em tempo exíguo com entrega de material satisfatório demonstra a existência e eficácia do Programa de Integridade.

 

 

Quê preciso para a Montax Inteligência analisar um caso?

 

Para auxiliar na elaboração dos Código de Ética e Conduta, realizar Background check, Due diligence KYC ou Due diligence 360 graus, investigação ou apuração de denúncias, o Chief Compliance Officer (CCO) ou Diretor Jurídico da companhia devem enviar e-mail para montax@montaxbrasil.com.br informando o que se segue:

 

a) Um breve relato dos fatos, com datas e valor econômico do dano ou ameaça;

b) Nome completo, CPF, e-mail e telefones dos envolvidos com as supostas fraudes ou inconformidades;

 

A partir dessas informações, analisaremos o caso e entregaremos orçamento de investigação corporativa.

 

 

Um Manual de Inteligência Financeira da Montax Inteligência. Um roteiro de Busca de Bens que não dependem da Justiça. Um método de Compliance Anti Lavagem de Dinheiro. Um Briefing secreto de Pesquisa de Bens. Um sistema de Recuperação de Ativos Uma lista de links úteis à recuperação de créditos Listagem com aproximadamente 20 sistemas de busca de bens na Justiça (inclusive dados cadastrais das 7 principais empresas de intermediadoras de pagamentos online, onde absurdamente muitos devedores atualmente “lavam” ou ocultam bens).

 

 

 

 

 

 

SOBRE O AUTOR

Marcelo Carvalho de Montalvão é diretor da Montax Inteligência, franquia de Inteligência & Investigações que já auxiliou centenas de escritórios de advocacia e departamentos jurídicos de empresas como PSA Group (Peugeot Citroën), Cyrela, LG Eletronics, Localiza Rent A Car, Sara Lee, Kellog, Tereos, Todeschini, Sonangol Oil & Gas, Chinatex Grains and Oils, Generali Seguros, Estre Ambiental, Magneti Marelli, Banco Pan, BTG Pactual, Banco Alfa, W3 Engenharia, Geowellex e muitas outras marcas.

Especialista em Direito Penal Econômico e solução de crimes financeiros como estelionato (fraude), fraude a credoresfraude à execuçãoevasão de divisas e “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores.

Conecte-se com Marcelo no LinkedIn

Ouça o Marcelo no YouTube

 

 

 

 

 

Due Diligence | Pesquisa de Bens | Investigação Empresarial | Compliance Intelligence

 

 

Rio de Janeiro – RJ

Rua Figueiredo Magalhães, 387/801 – Copacabana – CEP: 22031-011

Telefone + 55 (21) 2143-6516

WhatsApp +55 (21) 99682-0489

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Montax Inteligência de Crédito e Cobrança Ltda.
CNPJ 11.028.620/0001-55
Copyright © 2009