Entenda o que está por trás daquilo que a imprensa do Brasil chama de “ataques à Igreja Universal do Reino de Deus em Angola”.

 

Porque o Presidente Bolsonaro e o Itamaraty pouco ou nada poderão fazer para solucionar o impasse entre líderes da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) do Brasil e seus homólogos em Angola.

 

Montax Inteligência faz uma análise da conjuntura da disputa social, econômica e política com pano-de-fundo religioso e o risco às relações internacionais entre Brasil e Angola.

 

 

 

“Angola é e sempre será por vontade própria, a trincheira firme da revolução em África”.

Antonio Agostinho Neto, Filósofo e Poeta angolano.

 

Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) em Angola.

 

A Igreja Católica Apostólica Romana é uma instituição religiosa, evidentemente.

 

A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), também.

 

A primeira tem quase 2.000 anos. A segunda tem pouco mais de 40 anos.

 

A Igreja Católica nasceu romana, depois passou a ser italiana, e agora é do recente Estado do Vaticano.

 

O líder da Igreja Católica é argentino.

 

A IURD é brasileira, produto do gênio empreendedor do Brasil Bispo Edir Macedo. Portanto seu líder é brasileiro. Ainda sem um Estado próprio (ainda).

 

As diferenças entre as concorrentes são grandes.

 

Que tal falarmos das semelhanças?

 

Ambas são igrejas multinacionais. Elas estão presentes em vários países.

 

Seu patrimônio bruto é composto basicamente de ativos fixos imobiliários (imóveis) que chamam de “igrejas” ou “templos”, enquanto que sua receita bruta vem de dízimos, doações, ofertas, heranças e campanhas de solidariedade ou “campanhas santas”.

 

E o modelo de negócios, perdão, de fé, do país de origem da Igreja é implementado nos outros países.

 

É um modelo parecido com o do franchising: Know-how, marca (símbolo) e ideias são replicadas com sucesso.

 

E o franqueado tem que repassar royalties para o franqueador. E conseguir mais fiéis, como um marketing multi nível.

 

Ambas as Igrejas tiveram dissidências, com acusações de heresias de um lado e ganância e luxúria do outro.

 

Disputas econômicas, políticas e ideológicas são a regra dos conflitos entre seus líderes.

 

Edir Macedo Archives - O buxixo Gospel

O fundador da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) e dono do império midiático Rádio e Televisão Record S/A, Bispo Edir Macedo, é um dos key players mais poderosos do Brasil.

 

Situação atual da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola.

 

O atual Presidente da IURD Angola é o Bispo angolano Valente Bezerra Luiz.

 

Não foi uma eleição normal, foi um “golpe”.

 

Os templos religiosos da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola foram tomados por Pastores angolanos, que expulsaram os Pastores brasileiros ou mesmo Pastores angolanos que não aderiram ao movimento nacionalista.

 

Pastores brasileiros foram inclusive expulsos de suas próprias casas, sob ameaça de morte.

 

Alguns deles foram alvo de ordens judiciais de busca e apreensão e tiveram suas casas invadidas por agentes do Serviço de Investigação Criminal (SIC), órgão central do Ministério do Interior, com funções de polícia judiciária e criminal.

 

Mas, que movimento é esse?

 

LEIA TAMBÉM

7 Erros Comuns da Investigação Empresarial

Microfranquia de Serviços de Due Diligence, Pesquisa de Bens, Investigação Empresarial e Compliance

7 Filmes sobre Inteligência Empresarial e Espionagem Industrial – Alerta de Spoiler

Sun Tzu, Pai de Espionagem

 

Direitos civis e nacionalismo.

 

O movimento dos Pastores angolanos foi intitulado “Comissão Reformada”.

 

Os angolanos se sentiram humilhados em sua dignidade como cidadãos. Eles acusam os Pastores brasileiros de racismo e exploração.

 

O Serviço de Investigação Criminal (SIC) de Angola vem invadindo residências de Pastores brasileiros em busca de provas, com apreensão de computadores, documentos e telefones celulares.

 

Ainda não está claro se a investigação criminal angolana tem enfoque em crimes financeiros contra o Estado e o sistema financeiro de Angola ou crimes contra a honra e contra os costumes dos Pastores angolanos, ou ambos.

 

Aparentemente, é um movimento angolano de direitos civis nacionalista sectário-religioso contra o imperialismo religioso do Brasil.

 

A ideia de imperialismo religioso ou estratégia de dominação religiosa é rara, mas, tem exemplos na História como o Império Bizantino, Estado do Vaticano etc. (vide Inteligência & Indústria – Espionagem e Contraespionagem Corporativa – Capítulo 25 – Introdução acerca da Inteligência econômica).

 

Ao menos é o que se nota com as alegações de racismo e o uso da bandeira nacional de Angola nas “manifestações” dos Pastores angolanos da Igreja Universal do Reino de Deus.

 

O movimento “Comissão Reformada” é uma espécie de luta por direitos civis combinado com nacionalismo anti-imperialista.

 

Segundo um porta-voz do grupo angolano, a “ala brasileira” teria recusado proposta de privatização dos bens da IURD em favor dos angolanos realizada em novembro de 2019.

 

O discurso xenófobo foi reforçado pelo Deputado do parlamento angolano, Lindo Bernardo Tito, que teria divulgado nota chamando Pastores religiosos do Brasil de “malfeitores”.

 

O que está realmente em jogo.

 

Segundo o próprio Bispo Valente Bezerra Luiz, que assumiu a Presidência da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola com o movimento, a principal causa da disputa entre líderes da Igreja Universal angolanos e sua matriz brasileira é uma receita de US$ 80 milhões por ano.

 

E livre de impostos.

 

É dinheiro do Povo de Angola.

 

Acusações de evasão de divisas e branqueamento de capitais pela IURD em Angola.

 

O atual Presidente da IURD em Angola, Bispo Valente Bezerra Luiz, afirma que o dinheiro arrecadado nas igrejas de Angola não permanece na economia local.

 

Ele seria retirado do país africano em esquema de evasão de divisas.

 

O dinheiro arrecadado pela Igreja Universal do Reino de Deus com ofertas de fiéis em suas reuniões religiosas e campanhas como “A Fogueira Santa de Israel” não são reinvestidos em projetos sociais em Angola.

 

O dinheiro é enviado para o Brasil e até outros países onde a IURD tem igrejas, geralmente por meio da África do Sul, via estradas de terra da Namíbia.

 

Os próprios Pastores levam o dinheiro de carro até a África do Sul…

 

As acusações de evasão de divisas e branqueamento de capitais (“lavagem” de dinheiro, segundo as leis do Brasil) são graves e devem ser apuradas.

 

Democracia em Angola.

 

Atualmente, é notável o desenvolvimento social, político e econômico de Angola depois de uma guerra civil de quase 30 anos.

 

As denúncias de evasão de divisas são ainda mais graves se levarmos em conta que a democracia em Angola tem pouco mais de 3 anos, com a eleição do atual presidente João Lourenço após 38 anos de governo do antecessor, José Eduardo dos Santos, que permaneceu no poder por 40 anos, quase trinta deles dedicados a unir as partes dissidentes de uma guerra civil que devastou o país.

 

Em 2017, depois de mais de 37 anos no poder, o então Presidente José Eduardo dos Santos decidiu não se recandidatar ao cargo, mas, tão somente, se manter na liderança do MPLA.

 

A eleição de seu sucessor, o atual Presidente João Lourenço, foi aplaudida pela comunidade internacional como exemplo de verdadeira democracia em Angola, após sua independência em 1975.

 

Angola é um país democrático que tem enfrentado com seriedade problemas como corrupção, lavagem de dinheiro (branqueamento de capitais, na lei angolana) e evasão de divisas.

 

Acusações de racismo e políticas de controle de natalidade.

 

Além das questões econômicas e financeiras, como o supostos privilégios concedidos a líderes religiosos brasileiros em Angola, existem acusações de imposições de práticas de planejamento familiar forçado como a vasectomia – também chamada localmente de “castração” – alegadamente exigido pelos líderes religiosos do Brasil aos Pastores angolanos.

 

Nesse ponto é importante ressaltar as diferenças culturais.

 

Enquanto no Brasil os pais e mães há décadas já discutem o planejamento familiar e tem em média 3 filhos, em Angola a cultura é diferente. Casais angolanos são mais respeitados e felizes quando têm mais filhos.

 

Os Pastores angolanos também acusam os líderes religiosos do Brasil de proibir que suas esposas frequentem cursos superiores. Ainda não está claro se isso é verdade, nem tampouco se tem a ver com a pregação supostamente baseada na Bíblia de que a mulher deve ser submissa ao “varão”.

 

Mas, o que mais desagradou os Pastores angolanos a ponto de promover uma revolução foram as acusações de racismo.

 

Racismo em Angola?

 

Como é possível o racismo em um país predominantemente negro?

 

Por questões estratégicas, a maioria dos líderes religiosos brasileiros enviados pela IURD à Angola são negros. Alguns são brancos e mestiços, mas, a maioria são negros. Até porque a Igreja Universal do Reino de Deus nasceu no Rio de Janeiro – RJ (Brasil), onde a maioria da população é de cor negra.

 

Os Pastores angolanos acusam os Pastores brasileiros de racismo. Há relatos de que Pastores “de tons de pele mais clara” discriminam Pastores e até fiéis de tons de pele mais escura.

 

Há relatos de que Pastores angolanos seriam proibidos de frequentar a cozinha e usar banheiros usados por Pastores brasileiros.

 

Portanto, a principal queixa dos Pastores angolanos e possível fator de adesão ao movimento rebelde é a suposta discriminação e abuso de autoridade alegadamente praticados por líderes da IURD brasileiros em Angola.

 

Tavares Armando Cassinda, ex-pastor é uma pedra no sapato da IURD.

 

“A Igreja Universal faz comércio do evangelho”

 

Essa afirmação polêmica é de um ex-Pastor angolano da Igreja Universal do Reino de Deus, Tavares Armando Cassinda, que agora prega o evangelho por meio de seu canal no YouTube, o Radical TV.

 

Assistimos ao canal e vimos mais assuntos relacionados a política que religião.

 

Para se ter uma ideia, os 3 vídeos mais visualizados no canal Radical TV são “Youtuber entra na Universal e desmascara a falsa Arca da Aliança”; “Quem matou o Pastor Abel | Conheça os assassinos!” e “O povo acordou! Igreja Mundial do Poder de Deus entra em falência e milhares de pastores a abandonam”.

 

Não será a primeira nem a última vez que um conglomerado da televisão menospreza o poder da Internet e sua audiência.

 

O Bispo Edir Macedo não deveria ignorar ou fingir ignorar o poder e alcance midiático do ex-Pastor e agora Youtuber, Tavares Armando Cassinda.

 

A versão da outra parte.

 

Honorilton Gonçalves, líder oficial da Igreja Universal em Angola, se defende dizendo que a polícia não encontrou nada em sua casa porque não há ilegalidade alguma na Igreja.

 

O líder máximo da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), Bispo Edir Macedo, que também é dono de um dos maiores impérios da comunicação no Brasil, a Rádio de Televisão Record S/A, acusa os ex-bispos brasileiros João leite e Alfredo Paulo de tramarem o “golpe” em Angola.

 

Apoiador político, financeiro e midiático do Presidente do Brasil Jair Messias Bolsonaro, o Bispo Edir Macedo exigiu providências no campo da política e das relações internacionais.

 

O Itamaraty, como chamamos o Ministério das Relações Exteriores do Brasil, enviou uma carta ao Ministro das Relações Exteriores de Angola demonstrando “preocupação” e solicitando segurança e preservação de direitos dos Pastores brasileiros e seus familiares em solo angolano.

 

Presidente Bolsonaro também enviou uma carta ao presidente de Angola, João Manuel Lourenço, nesse mesmo sentido.

 

Ainda não há notícias de resposta.

 

LEIA TAMBÉM

7 Erros Comuns da Investigação Empresarial

Microfranquia de Serviços de Due Diligence, Pesquisa de Bens, Investigação Empresarial e Compliance

7 Filmes sobre Inteligência Empresarial e Espionagem Industrial – Alerta de Spoiler

Sun Tzu, Pai de Espionagem

 

Relações Internacionais Brasil Angola.

 

O Brasil foi o primeiro país a reconhecer a independência de Angola em 1975.

 

Não obstante o Brasil ser governado naquela época por uma ditadura de direita e Angola ter sido libertada pela coalisão UNITA, liderada pelo Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), partido político de tendência marxista-leninista, o governo do Brasil foi solidário ao movimento angolano.

 

Talvez por compartilharmos ressentimentos históricos contra a mesma potência imperialista, Portugal.

 

O fato é que o Brasil precisava do petróleo angolano… E ainda precisa…

 

Relações comerciais Brasil Angola.

 

Segundo o Ministério das Relações Exteriores do Brasil, o Brasil mantém com Angola uma balança comercial favorável em de já chegou a superar US$ 1 bilhão em 2008, com retração devido a crise do petróleo.

 

Mesmo assim, nós empresários brasileiros exportamos mais para Angola que para a África do Sul, Portugal e Noruega, dentre outros parceiros comerciais tradicionais.

 

Montax Inteligência, por exemplo, já vendeu serviços de Inteligência para organizações de Angola, mas, ainda não vendeu para nenhum desses 3 países mencionados.

 

E meu livro “Inteligência & Indústria – Espionagem e Contraespionagem Corporativa” é vendido mais em Angola do que em Portugal, Moçambique e Guiné-Bissau, dentre os países lusófonos.

 

Mas agora o que mais importante: Em 2018, o fluxo foi de US$ 669 milhões, com US$ 458,11 milhões de exportações brasileiras e US$ 210,89 milhões em importações de produtos angolanos (Fonte: Itamaraty).

 

O Brasil exporta basicamente proteína animal (38%) e açúcar refinado (20%).

 

E importa petróleo angolano (85%).

 

Portanto há mais 40 anos o Brasil continua dependente do petróleo angolano.

 

Inteligência de Angola em edifício da China.

 

Há pouco mais de 1 ano foi criada a Academia de Ciências Sociais e Tecnologias, um centro de pesquisa e desenvolvimento de sistemas de inteligência e segurança pública. É vinculada ao Serviço de Inteligência Externa (SIE), a ABIN de Angola, e está subordinada ao Presidente da República.

 

São cursos de Mestrado em Globalização e Segurança, Direito e Segurança Externa, Economia e Finanças Internacionais, Segurança de Redes de Comunicação, e pós-graduação em Inteligência Estratégica e Inteligência e Estudos de Segurança.

 

Língua Portuguesa, Inglês, Frances e idiomas locais como o Lingala e o Swaili também serão ministrados.

 

O que chamou a atenção da comunidade de relações internacionais é o fato de um centro de estudos de Inteligência de Estado ter sido patrocinado 90% com capital do Eximbank da China (Fonte: Diário de Notícias de Portugal).

 

Sonangol, estatal do petróleo é a querida dos angolanos e do mundo.

 

Quem estuda geopolítica e economia sabe que a indústria do petróleo é a indústria mais poderosa do planeta.

 

Ninguém come petróleo, mas, a comida não chega na sua casa voando no tapete do Aladim. Chega de navio, trem e caminhões movidos a… Petróleo e seus derivados… E é um gás derivado do petróleo que cozinha os alimentos…

 

Nesse ponto, o destaque vai para a Sonangol, a estatal angolana do petróleo, que a Montax Inteligência já teve a honra de atender aqui no Brasil.

 

Assim como sua homóloga brasileira, a Petrobras, a Sonangol também sofreu denúncias de corrupção.

 

Sonangol é a empresa mais querida dos Angolanos… E do resto do mundo…

 

Para se ter uma ideia, em 2018 a Sonangol arrecadou mais de US$ 17 BILHÕES (Fonte: Jornal Angola 24 Horas).

 

Nesse mesmo período, a Petrobras do Brasil teria arrecadado apenas metade desse valor (Fonte: Petrobras).

 

O futuro das relações internacionais Brasil Angola.

 

Angola é um país soberano e a Constituição do Brasil prestigia o princípio da autodeterminação dos povos.

 

Os governos do Brasil e Angola devem promover as boias relações e zelar pela cidadania, segurança e direitos de seus respectivos cidadãos, com base no princípio da reciprocidade.

 

As denúncias de evasão de divisas angolanas por uma organização do Brasil são um problema interno de Angola.

 

Cabe ao departamento de justiça de Angola resolver, mas, não antes de respeitar o direito de propriedade tanto da Igreja Universal do Reino de Deus quanto de seus líderes religiosos, sejam eles nacionais ou estrangeiros.

 

Enquanto se apuram as denúncias de evasão de divisas e lavagem de dinheiro/branqueamento de capitais pela Igreja Universal em Angola, as autoridades dos países lusófonos parceiros devem se esforçar para que interesses privados não prejudiquem o interesse público.

 

Se esses interesses privados forem criminosos, os governos dos países signatários dos Acordos e Convenções da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) devem promover cooperação jurídica para Inteligência Financeira na pesquisa de bens e recuperação de ativos.

 

Porém, os serviços de Inteligência doméstica (interna) de Angola devem alertar a Presidência da República acerca do risco de grupos econômicos travestidos de grupos religiosos e com o viés do nacionalismo e de luta por direitos civis realizarem apropriação indébita (indevida) de bens de cidadãos e organizações estrangeiras.

 

Eventual crime de evasão de divisas não justificaria outros como roubo ou apropriação indevida.

 

E porque os bens ameaçados são de propriedade de cidadãos e organização do Brasil.

 

Fontes ligadas ao governo de Angola acham que o movimento “Comissão Reformada” da IURD não afetará as relações internacionais, as relações comerciais entre Brasil e Angola.

 

Concordo.

 

Os povo angolano trata os brasileiros em Angola com muita simpatia. O problema é pontual e dirigido apenas aos Pastores da IURD, nada mais.

 

E porque o petróleo angolano e os clientes angolanos das empresas do Brasil são muito mais importantes para as empresas do Brasil e o governo de Bolsonaro que a Igreja Universal.

 

O movimento “Comissão Reformada” é só uma crise de uma igreja não secular do Brasil em sua filial angolana.

 

Bolsonaro já tem problemas internos demais com filhos, ex-aliados, STF e Covid-19 para resolver e não seria estúpido de conseguir um problema externo com um fornecedor estratégico de petróleo.

 

Mas, o Presidente do Brasil deve se preparar para a diminuição ou mesmo o fim do apoio midiático, político e financeiro do Bispo Edir Macedo.

 

Imagens marcantes na TV, reportagens favoráveis ao governo e até apoio financeiro podem acabar se a Igreja Universal do Reino de Deus não conseguir recuperar “templos” e fontes de receitas com ofertas e dízimos em Angola.

 

 

SOBRE O AUTOR

Marcelo Carvalho de Montalvão é diretor da Montax Inteligência, franquia de Inteligência & Investigações que já auxiliou centenas de escritórios de advocacia e departamentos jurídicos de empresas como Cyrela, LG Eletronics, Localiza Rent A Car, Sara Lee, Kellog, Tereos, Todeschini, Sonangol Oil & Gas, Chinatex Grains and Oils, Generali Seguros, Estre Ambiental, Magneti Marelli, Banco Pan, BTG Pactual, Banco Alfa, W3 Engenharia, Geowellex e muitas outras marcas.

Advogado criminalista especialista em Direito Penal Econômico e solução de estelionato (fraude), fraude a credores, fraude à execução, evasão de divisas e “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores.

Autor do livro “Inteligência & Indústria – Espionagem e Contraespionagem Corporativa” e do “Manual de Inteligência – Busca de Ativos & Investigações” comentados AQUI.

Conecte-se com Marcelo no LinkedIn

Ouça o Marcelo no YouTube

 

 

 

 

 

 

 

Due Diligence | Pesquisa de Bens | Investigação Empresarial | Compliance Intelligence

Rio de Janeiro – RJ

Rua Figueiredo Magalhães, 387/801 – Copacabana – CEP: 22031-011

Telefone + 55 (21) 2143-6516

WhatsApp +55 (21) 99682-0489

E-mail montax@montaxbrasil.com.br

www.montaxbrasil.com.br 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Montax Inteligência de Crédito e Cobrança Ltda.
CNPJ 11.028.620/0001-55
Copyright © 2009

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *